Uma linda história de família explica a importância da representação em “Star Wars: Rogue One”

  04. janeiro 2017   Cinema   0

“Star Wars: Rogue One” tem repetido o sucesso de “O Despertar da Força”, como mostra o resultado das bilheterias: apesar dos pedidos de boicote ao filme, o longa já arrecadou mais de US$ 800 milhões no mundo todo, sendo uma das maiores de 2016 nos Estados Unidos, onde lucrou US$ 440 milhões, perdendo apenas para “Procurando Dory”, que alcançou US$ 486 milhões.

E é possível afirmar – ou pelo menos imaginar – que parte do motivo que levou as pessoas a ir ao cinema assistir a “Rogue One” é a diversidade do elenco: além de uma mulher liderando, há também personagens asiáticos, negros e de origem latina.

Diego Luna, nascido no México, dá vida ao capitão Cassian Andor, que comanda as tropas da Aliança Rebelde, e possui um dos papéis de maior destaque na franquia. Não só isso, ele ainda pôde manter seu sotaque original para o filme. E se você não entende a importância do personagem em “Star Wars” para o público latino, uma linda história de família explica o quão significativo ele é.

No Twitter, o ator compartilhou um relato feito no Tumblr, e que tem emocionado seus seguidores e a internet.

“Eu levei meu pai para ver ‘Rogue One’ hoje. Eu queria levá-lo há algum tempo. Eu queria que meu pai mexicano, com forte sotaque, experimentasse o sentimento de ver um herói, que fala como ele, em um filme grande”, escreveu a usuária riveralwaysknew. “E embora eu não estivesse certa de que o filme ressoaria com ele, eu o levei mesmo assim. Quando o personagem de Diego Luna apareceu e começou a falar, meu pai me cutucou e disse: ‘ele tem um forte sotaque’. Eu disse: ‘sim’. Quando o filme acabou e fomos para o carro, ele virou para mim e disse: ‘você reparou que ele tem sotaque?’ e eu disse: ‘sim, pai, assim como o seu’. Ele perguntou, então, se o longa fez muito dinheiro. Eu disse que foi o segundo mais lucrativo de 2016, apesar de ter sido lançado por 18 dias no ano. Ele perguntou depois se as pessoas gostaram do filme, eu respondi que ele teve uma boa resposta online e ótimas críticas. Ele perguntou o motivo para o Diego Luna não ter mudado o sotaque dele e eu disse que o Diego havia falado de seu sotaque e o orgulho que possui dele. E meu pai disse: ‘e ele era o personagem principal’. E eu disse: ‘ele era’. E meu pai ficou muito feliz. Enquanto voltávamos para casa, ele começou a falar sobre atores mexicanos que ele acredita que deveriam estar em filmes americanos. Representação importa”.

Em dezembro do ano passado, Diego Luna comentou seu sotaque em “Star Wars: Rogue One” em uma entrevista. Ele afirmou que não houve nenhuma pressão para mudar sua forma de falar, e que a conversa sobre isso foi: “Esse é meu sotaque”, contou ao canal MVTO.

“Eu tive um técnico de dialeto, porque essa não é minha primeira língua [inglês], mas era mais para entender. Atuar em inglês é algo que demanda duas ou três vezes mais energia. Mas sobre o sotaque, eles disseram que eu estava lá justamente por conta dele. ‘Você está aqui porque seu sotaque torna você diferente, e é isso o que queremos no filme’”.

Segundo a usuária riveralwaysknew, a qual fez o relato no Tumblr, a reação de seu pai foi muito especial, já que ele não é uma pessoa emotiva.

“Acho que foi importante para ele ver um herói em um filme grande, que fala com confiança e ainda possui o mesmo sotaque”, ela disse. “Ele ficou muito contente. Quero dizer, você já viu um homem mexicano de 60 anos pular em seu carro? Porque eu vi”.