Um guia com os locais onde a série “Emily em Paris” foi gravada

Ame ou odeie, “Emily em Paris” é uma das atrações de maior sucesso da Netflix atualmente. Lançada no dia 2 de outubro, a série acompanha a executiva de marketing Emily Cooper (Lily Collins) em sua viagemde trabalho à capital francesa. Embora os críticos não tenham gostado da produção, o público parece ter apreciado as aventuras da personagem na Cidade Luz.

E embora a história toda seja fictícia, os locais que servem de cenário para o seriado são reais e podem ser visitados. Por enquanto, as viagens pelo mundo precisam ser adiadas, mas para quem quiser se adiantar e montar um roteiro de viagem para viver a sua própria versão de “Emily em Paris” (ou apenas saber mais sobre onde foram feitas as gravações), fiz uma lista para você não se perder.

Place de l’Estrapade

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por 🄱🄾🅁🄸🅂 (@jaghander) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por 🇫🇷 Discover France (@super_france) em

O apartamento onde Emily mora fica na Place de l’Estrapade, localizado no 5º arrondissement, em Paris. É uma praça charmosa que esconde um passado que ninguém imaginaria ser tão sangrento: o lugar era palco de torturas realizadas contra soldados desertores e ladrões. O castigo “estrapade” vem do italiano, “strappado”, e consistia em içar os criminosos presos pelos braços por uma corda e derrubá-los várias vezes de modo a romper ligamentos e fazer fraturas. Em 1687, a punição foi interrompida e a praça reformada.

Boulangerie Moderne/Café de la Nouvelle Mairie/Les Deux Compère

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Designcardboard (@designcardboard) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Everything is perfect (@emilyinparis1002) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Stephanie Cabon (@stephanie.cabon) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por EmilyinParis (@terra_nera) em

Como esquecer o pão com chocolate que Emily come com o maior gosto do mundo ainda no primeiro episódio? O Boulangerie Moderne é o nome do local, pertinho do apartamento da personagem. Aliás, por ali também estão o Café de la Nouvelle Mairie, onde a protagonista faz seu brunch, e o Les Deux Compère, o restaurante onde Gabriel (Lucas Bravo) trabalha. O local, porém, leva o nome italiano de Terra Nera.

Jardim de Luxemburgo

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Paris (@paris_maville) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Passageiro de Primeira (@passageirodeprimeira) em

Pela manhã, antes do trabalho, Emily vai ao Jardim de Luxemburgo para correr. O parque fica próximo da casa dela e é ali onde se situa o Palácio de Luxemburgo, propriedade do Senado francês. Foi criado por iniciativa da rainha Maria de Médicis, em 1612. No local, há 106 esculturas, um lago e jardins floridos.

Panteão

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Le Panthéon (@pantheon.paris) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Le Panthéon (@pantheon.paris) em

Perto do prédio onde Emily mora está o Panteão, também no 5º arrondissement. Ele foi concebido para ser uma igreja dedicada à Santa Genoveva, padroeira de Paris, por ordem do rei Luís XV. Contudo, com o passar dos anos, tornou-se um mausoléu para grandes personalidades francesas. Ali estão sepultados Voltaire, Marie Curie e Jean Moulin. No interior do Panteão, além das criptas, há diversas esculturas, o famoso pêndulo de Focault e pinturas.
Para quem não se lembra, é na frente do Panteão onde Emily e o seu então namorado americano terminam o relacionamento.

Place de Valois

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Mi Guía de París (@miguiadeparis) em

O escritório da Savoir, agência de publicidade onde Emily trabalha, fica na Place de Valois, no 1º arrondissement, bem próximo ao Jardin du Palais Royal, onde a personagem almoça, e do Museu do Louvre. Trata-se de uma praça contornada por prédios, cujo centro só pode ser acessado a pé.

Jardin du Palais Royal

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Palais Royal (@jardindupalaisroyal) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Palais Royal (@jardindupalaisroyal) em

É no Jardin du Palais Royal onde Emily conhece Mindy Chen (Ashley Park, aka uma das melhores personagens da série). O local é um parque público pequeno, localizado perto do Museu do Louvre, e é um espaço de tranquilidade na capital francesa, perfeito para sentar, ler um livro, ver o movimento das pessoas que passam por ali e tomar um café nos estabelecimentos do entorno. Ali está o Palais Royal, que apesar do nome, nunca foi lar da família real, construído no século XVII. Atualmente, ele abriga órgãos do governo da França.

Le Flore en l’Île

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FREDDY BROS. (@antiques_freddy_bros) em

Ao final do primeiro episódio, Emily senta em um restaurante, onde é encontrada por um de seus novos colegas de trabalho. O estabelecimento chama-se Le Flore en l’Île, que fica na ilha Saint Louis, de onde é possível avistar a famosa Catedral de Notre-Dame.

Le Café de L’Homme

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Paris + Moi (@parisplusmoi) em

No segundo episódio, Emily participa de uma festa da Savoir no elegante Le Café de L’Homme, localizado na Place du Trocadéro, de onde é possível ver a famosa Torre Eiffel. 

Pont Alexandre III

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Paris.focus_on (@paris.focus_on) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Renée (@reneereneee) em

Os fãs de Adele talvez reconheçam a Ponte Alexandre III, já que ela foi cenário para o clipe de “Someone Like You”, um dos maiores sucessos da cantora britânica, além de estar presente em diversos filmes. Na série, a ponte é palco do polêmico comercial de perfume. Ela leva o nome do czar russo como forma de celebrar um acordo entre França e Rússia. Foi inaugurada em 1900, junto do Grand Palais e do Petit Palais para a Exposição Universal realizada naquele ano.
A Pont atravessa o rio Sena e liga os bairros os bairros Champs-Élysées e Invalides. Possui várias luminárias e esculturas de querubins, ninfas e cavalos alados.

Le Grand Véfour

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por J Forgeot (@myparismyfrance) em

No quarto episódio, Emily faz uma reserva no restaurante Le Grand Véfour, localizado no Palais Royal. Infelizmente, a data da reserva estava errada e ela e seus convidados tiveram de jantar em outro lugar. O estabelecimento é mesmo muito concorrido e um dos melhores de Paris, com duas estrelas do guia Michelin. Ou seja, é uma visita para quem tem tempo E dinheiro. Aberto há mais de dois séculos, o restaurante já serviu o imperador Napoleão Bonaparte, o romancista Victor Hugo, o filósofo Jean-Paul Sartre, dentre outras grandes personalidades.

Atelier des Lumières

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por @atelierdeslumieres em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por @atelierdeslumieres em

No episódio cinco, Emily topa sair com Camille (Camille Razat) e Gabriel (Lucas Bravo) e os três vão ao Ateliere des Lumières, no 11º arrondissement de Paris. O espaço, originalmente uma fundição criada em 1835, fechou as portas em 1929, por conta da grande crise financeira que ocorreu naquele ano. Em 2018, foi reaberto como um centro de artes digitais, com projeções feitas nas paredes, pilares e pisos.
Pelo site do centro de artes, é possível conhecer os espaços, temas em exposição e fazer reservas.

La Maison Rose

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por La Maison Rose, Restaurant (@lamaisonroseofficial) em

Localizado no bairro Monmartre, no 18º arrondissement da capital francesa, o restaurante La Maison Rose é o ponto de encontro de Emily e Mindy no quinto episódio. Essa fofa casinha rosa está em funcionamento há mais de 100 anos e não fica longe da Basílica de Sacre Couer, outro grande ponto turístico. E já que estamos aqui, La Maison Rose está situado, exatamente na Rue de L’Abreuvoir. E Por que essa informação é relevante?

Rue de L’Abreuvoir

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por 法國 O’Bon Paris (@obonparis.asia) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Jean Iptrucs (@iptrucs) em

Porque essa é a mesma rua onde Emily e Mindy passeiam bêbadas e onde tiram uma selfie juntas – o que acaba ajudando a executiva de marketing em uma ação promocional para um de seus clientes na Savoir. Ela é sinuosa, feita de paralelepípedos e muito charmosa. No cruzamento entre a Rue de L’Abreuvoir e a Rue Girardon, está a praça Dalida, uma homenagem à cantora de mesmo nome e que fez um enorme sucesso na França, onde morreu em 1987.

Café de Flore

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Café de Flore Paris official (@lecafedeflore) em

É no Café de Flore onde Emily conhece Thomas (Julien Floreancig), um dos seus “rolos” em Paris. Localizado no 6º arrondissement, no Boulevard Saint-Germain, o estabelecimento é descrito como “o mais descolado de Paris”, por Thomas, já que o café carrega a fama de ter sido frequentado por vários intelectuais e artistas. Aberto há mais de 100 anos, é um dos cafés mais tradicionais da cidade, porém, há quem diga que ele já deixou de ser “o mais descolado” há um bom tempo.

Ópera Garnier

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Paris (@paris__culture) em

Numa tentativa de conquistar um importante cliente para a Savoir, Emily vai à Ópera Garnier, localizada no 9º arrondissement. A casa de ópera foi iniciada em 1861 e inaugurada em 1875, depois de vários incidentes. É possível fazer visitas guiadas ao local, que possui uma linda e impressionante decoração no interior. 

Hôtel Plaza Athénée

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Hôtel Plaza Athénée (@plaza_athenee) em

É no Hôtel Plaza Athénée onde está hospedada a atriz Brooklyn Clark (Carlson Young), localizado no 8º arrondissement, próximo da Pont de L’Alma, a qual cruza Rio Sena. A vista do hotel é privilegiada: é possível ver a torre Eiffel pela Haute Couture Suite, um dos quartos mais luxuosos da hospedaria.

Musée des Arts Forains

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Urbansider Paris (@urbansiderparis) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cultival (@cultivalparis) em

Um museu “dedicado a eventos especiais”, ele pode ser alugado para eventos e também recebe visitantes. Situado no 12º arrondissement, é ali onde é realizada uma festa de um dos clientes da Savoir. O museu foi criado por Jean Paul Favand, um designer e colecionador de objetos de arte e de parques de diversão, os quais estão todos expostos para os visitantes. 

Pont des Arts/Pont Neuf

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por li_and_the_world (@li_and_the_world) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FrenchmanParis🇫🇷 (@frenchmanparis) em

A Pont des Arts aparece rapidamente em “Emily em Paris” e é reconhecida mundialmente pelos cadeados colocados pelos casais apaixonados. Ela atravessa o Rio Sena, dá acesso ao Louvre e ao Instituto da França e, a partir dela, é possível enxergar outra famosa ponte parisiense: a Pont Neuf, inaugurada em 1607. É um dos pontos turísticos mais conhecidos da Cidade Luz.

Monnaie de Paris

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Monnaie de Paris (@monnaiedeparis) em

Bem próximo da Pont Neuf está a Monnaie de Paris, a casa da moeda francesa, fundada em 864. No seriado da Netflix, a fachada pode ser vista no desfile de Pierre Cadault/Grey Space.