Se você é mulher, é bem possível que você se identifique com a personagem de Emma Watson em “A Bela e a Fera”

  16. fevereiro 2017   Cinema   0
Se você é mulher, é bem possível que você se identifique com a personagem de Emma Watson em “A Bela e a Fera”

Desde que fez um discurso na ONU, em 2014, sobre a importância do feminismo, Emma Watson tem aproveitado todas as oportunidades para levar sua mensagem adiante, seja por meio de seu ativismo, seja por meio da arte.

Ela, que no mês que vem estará nos cinemas com o live-action “A Bela e a Fera”, já antecipou que a personagem será mais do que apenas uma princesa: ela será, também, uma inventora! Como a própria atriz revelou no ano passado, a ideia é dar mais profundidade à história de Bela.

“No desenho, o pai dela é o inventor, e nós adaptamos isso para a Bela”, contou a atriz à Entertainment Weekly. “Não havia muita informação ou detalhes no começo da história sobre o motivo pelo qual Bela não se encaixa, além do fato de que ela gosta de ler. Além disso, o que ela faz durante o dia? Então nós criamos uma história para ela, que é ela ter inventado uma espécie de máquina de lavar. Por isso, em vez de lavar roupas, ela poderia sentar e ler. Então, nós criamos uma Bela inventora”.

Não só isso, Emma Watson fez questão de um vestido sem espartilhos e sapatos confortáveis para que a personagem pudesse salvar seu pai.

Com a proximidade do lançamento de “A Bela e a Fera”, a artista britânica começou a divulgar o longa-metragem. Conversando, mais uma vez, com a EW, ela deu mais detalhes sobre a trama, revelando que Bela inventa a máquina de lavar para que ela tenha mais tempo para ensinar uma garotinha a ler, o que não é permitido às meninas do vilarejo, apenas aos meninos.

“Eles [o povo da vila] não acham que  mulheres deveriam ler e vai além disso”, contou Emma. “Eles suspeitam da inteligência e de pessoas como ela. Eles não gostam de nada que seja estrangeiro, desconhecido, que não faça parte da experiência deles”.

Eventualmente, as pessoas do vilarejo acabam quebrando a máquina de lavar criada por Bela, impossibilitando que ela continue ensinando sua amiga a ler.

“Quebrar a máquina é simbólico. Não só porque eles quebram algo que ela passou horas trabalhando, mas por quererem quebrar seu espírito. Eles tentam moldá-la em uma versão ‘mais aceitável’ dela”, explica a atriz. “Eu acho que isso acontece muito com as mulheres.e com muitas jovens meninas. É tipo: ‘ah, isso é legal, mas por que não vamos por esse caminho? Nós preferimos esse aspecto da sua personalidade’”.

Com certeza, Emma Watson fez um ótimo trabalho nessa transformação da personagem, que mesmo tendo seu sonho destruído, deve ir atrás “de algo maior do que essa vida de província”. E a gente mal pode esperar para ver essa versão feminista de uma das princesas mais conhecidas da Disney.

“A Bela e a Fera” estreia no dia 16 de março no Brasil.