Por que as mulheres não têm rosto ou cabeça nos pôsteres de filmes?

Hollywood não é nenhum exemplo de igualdade de gênero: mulheres são, em média, 30% de todos os personagens em filmes, vão perdendo papéis enquanto envelhecem (o que não acontece com seus colegas do sexo masculino), são reduzidas a estereótipos e objetos sexuais em roteiros e testes de elenco e, muitas vezes, sequer têm rosto ou cabeça nos pôsteres das produções cinematográficas.

Talvez você nunca tenha reparado nisso, mas a comediante Marcia Belsky percebeu que os cartazes de filmes mostram as mulheres sem rosto ou cabeça, e criou o Tumblr “Headless Women of Hollywood” (“As Mulheres Sem Cabeça de Hollywood”, em tradução literal), onde vai reunindo esses pôsteres, com o objetivo de “chamar atenção a essa prática de fragmentar, fetichizar e desumanizar as imagens das mulheres que vemos.”

Veja alguns exemplos:

posteres
Filmes: “Some Velvet Morning” e “Tirando o Atraso”
posteres-2
Filmes: “Mamãe Não Quer que Eu Case” e “The Inbetweeners”

“Ao decapitar a mulher, ela se torna, inquestionavelmente, um objeto para o olhar masculino”, escreve Marcia em seu Tumblr. “Seu consentimento é removido junto com sua cabeça e seu propósito se torna somente ser vista obedientemente por homens. Seu valor consiste apenas em ser um apelo sexual aos homens e não ter personalidade.”

A comediante contou ao Buzzfeed News que percebeu a prática de tirar as cabeças das mulheres dos cartazes em uma aula da faculdade e, desde então, tem reparado o mesmo em propagandas, capas de livros e discos e na televisão. “Quando eu mostrava isso às pessoas, a maioria não acreditou que essas imagens ainda eram tão normalizadas e comuns.” Foi aí que surgiu “Headless Women of Hollywood”, que já conta com diversos pôsteres e aceita contribuições de outros usuários.

No geral, os cartazes mostram as mulheres de pé e com as pernas abertas, ou seus seios, ou a bunda. “Quando você fragmenta o corpo da mulher em partes sexuais, você não tira somente a individualidade dela, mas também tira sua humanidade”, explica Marcia ao Buzzfeed News.

Ela acrescenta ainda que os homens também acabam sem rosto ou cabeça, mas em menor proporção, e com uma diferença. “Quando os homens estão sem cabeça, não é gratuito, não é comum e, com frequência, não é de forma sexual. Seu apelo ao gênero oposto não é o foco. Eles são uma parte engajada e única da piada”, o que difere da mulher, que está ali apenas para entreter o público masculino.

E essa imagem sexualizada da mulher é tão explorada pela mídia, que acabamos não nos dando conta de como isso se tornou comum e naturalizado. Pior ainda: não percebemos como isso afeta os jovens, principalmente as meninas. “Afeta a forma como nos vemos, como definimos nosso valor e como os outros nos veem e nos tratam”, diz a autora do blog. “Eu quero que as garotas percebam que o valor delas não é seu apelo aos homens, e que elas mesmas decidam seu valor, ao invés de deixarem-se ser definidas por homens. Quero que elas pensem e conversem sobre isso.”

Por fim, Marcia conclui que “a objetificação vende”, portanto, enquanto isso ainda gerar lucro, “eles vão vende-la”. “Mas as pessoas deveriam saber exatamente o que estão vendo e deveriam se perguntar por que as mulheres continuam sendo tratadas como pedaços de carne.”

"Ilegalmente Tua"
“Ilegalmente Tua”
alvo-humano-poster
“Alvo Humano”
"Amateur Night"
“Amateur Night”
"A Ressaca"
“A Ressaca”

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.