Por dentro da trilha sonora de “Pequenos incêndios por toda parte”

A minissérie “Pequenos incêndios por toda parte”, exibida no Brasil pela Amazon Prime Video, é toda ambientada na década de 90, e traz ótimas atuações de Kerry Washington, Reese Witherspoon e do elenco secundário, além de uma trilha sonora com vários sucessos daquela época.

Quem cresceu durante o período, com certeza, tem muito o que relembrar. Hits como “You Oughta Know”, da Alanis Morissette, “Truly Madly Deeply”, do Savage Garden, e “Lovefool”, do The Cardigans, fazem parte da trilha que acompanha as vidas e os conflitos de Mia, Elena, Pearl, Trip, Lexi, Moody e Izzy. E, para ser justo, há ainda canções dos anos 60, 70 e 80 para completar a coletânea.

Separei neste texto as músicas que acompanham cada um dos 8 episódios de “Pequenos incêndios por toda parte”. Confira a seguir:

Episódio 1 – The spark

“Little bird” – Annie Lennox

“Little bird”, de Annie Lennox, é a música que nos introduz à dedicada e organizada Elena Richardson (Reese Witherspoon). A canção faz parte do disco “Diva”, de 1992.

“Hole in the bucket” – Spearhead

Para apresentar Mia (Kerry Washington) e Pearl (Lexi Underwood), a produção escolheu “Hole in the bucket”, música que integra “Home”, primeiro álbum do grupo de hip hop Spearhead, lançado em 1994.

“Rain king” – Counting Crows

“Rain king” é do álbum “August and everything after”, lançado em 1993 pela banda Counting Crows. É dela também “Accidentally in love”, música que fez enorme sucesso na trilha sonora de “Shrek 2”.

“Whip-smart” – Liz Phair

“Whip-smart” dá uma pista sobre os gostos musicais da rebelde Izzy (Megan Stott), filha de Elena. A canção é uma das faixas do disco que leva o mesmo nome, lançado em 1994 pela cantora Liz Phair. O ábum foi o segundo na carreira da artista, sucedendo o aclamado “Exile in Guyville”, de 1993.

“Summer in the city” – Quincy Jones

Enquanto trabalha no ateliê, Mia fica para lá e para cá com seu walkman, ouvindo vários artistas negros do soul, funk, jazz e R&B. Dentre eles, está Quincy Jones com “Summer in the city”, música do álbum “You’ve got it bad girl”, de 1973.

“Sex and candy” – Unions

O primeiro episódio termina com “Sex and candy”, uma regravação de 2016 feita pela dupla Unions. A canção original é da banda Marcy Playground e foi lançada em 1997.

Episódio 2 – Seeds and all

“It’s what you do” – King Hannibal

A música que abre o segundo episódio é “It’s what you do”, de King Hannibal, lançada em 1973 com o álbum “Truth”. Grande artista da música americana, o cantor morreu no começo de 2014.

“Express yourself” – Charles Wright and the Watts 103rd Street Rhythm Band

“Express yourself” foi lançada em 1970 e se tornou música assinatura de Charles Wright and the Watts 103rd Street Rhythm Band. É uma canção muito conhecida nos Estados Unidos e já fez parte de diversas trilhas sonoras e comerciais.

“U.N.I.T.Y.” – Queen Latifah

Em 1993, Queen Latifah lançava “Black Reign”, seu terceiro álbum de estúdio. “U.N.I.T.Y” foi o primeiro single do disco, cuja letra trata das diversas formas de violência enfrentadas pelas mulheres, como assédio sexual e a violência doméstica. No ano seguinte, a cantora levou o Grammy Award de Melhor Performance de Rap pela música.

“I walk on guilded splinters” – Dr. John

Dr. John, ou Malcolm John Rebennack Jr, lançou em 1968 o álbum “Gris Gris”, com 7 faixas, incluindo “I walk on guilded splinters”, uma música que já foi regravada por diversos artistas, como a Cher. O músico morreu em junho de 2019.

“Femme fatale” – The Velvet Underground

Em 1967, The Velvet Underground lançou seu primeiro álbum “The Velvet Underground & Nico”, que contava com os vocais da artista alemã Nico. A título de curiosidade: a banda era produzida por Andy Warhol, pintor conhecido mundialmente por ser um dos fundadores da pop art.

Episódio 3 – Seventy cents

“Tubthumping” – Chumbawamba

“Tubthumping” talvez seja a música mais conhecida da banda Chumbawamba. Lançada em 1997, ela fez um enorme sucesso e integrou ainda o jogo “World Cup 98” no ano seguinte.

“Lovefool” – The Cardigans

Em 1996, a banda sueca The Cardigans lançou o álbum “First band on the moon”, o terceiro na discografia do grupo, e que trazia um dos seus maiores sucessos até hoje: “Lovefool”. A música tornou-se hit internacional e integrou a trilha sonora do filme “Romeu + Julieta”, também de 1996, com Leonardo DiCaprio e Claire Danes nos papéis principais.

“Truly madly deeply” – Savage Garden

Em 1997, a dupla australiana lançou “Truly madly deeply”, um hino para os apaixonados na época. A música chegou ao #1 na parada de singles da Billboard e é lembrada até hoje como um dos maiores sucessos da década de 90.

“It’s your birthday” – Luke

“It’s your birthday” faz parte do álbum “Freak for life”, lançado em 1994 por Luther Campbell ou Luke. Foi o único single a fazer sucesso do disco.

Episódio 4 – The spider web

“Don’t explain” – Etta James

Em 1994, a lendária cantora Etta James lançou o disco “Mystery Lady: Songs Of Billie Holiday”, com regravações de Billie Holiday, outra grande artista da música americana. O trabalho inclui “Don’t explain”, de 1945, cuja composição é da própria cantora, inspirada por uma traição de seu então marido Jimmy Monroe.

“Honey” – Mariah Carey

Primeiro single do álbum “Butterfly”, de 1997, “Honey” chegou ao primeiro lugar nas paradas musicais dos Estados Unidos e marcou a carreira de Mariah Carey, por trazer uma sonoridade e uma imagem diferente daquelas que a cantora apresentava nos primeiros trabalhos.

“Come baby come” – K7

“Come baby come” integra o primeiro álbum do rapper K7, o “Swing batta swing”, de 1993, e é um dos maiores sucessos do músico.

“Killing me softly with his song” – Fugees

Antes de lançar seu aclamado e premiado primeiro álbum, “The Miseducation of Lauryn Hill”, Lauryn Hill fez parte do trio Fugees, que também contava com Wyclef Jean e Pras Michael. Juntos, eles lançaram “The Score”, álbum que contém “Killing me softly with his song”, uma regravação de Charles Fox e Norman Gimbel, interpretada pela cantora Roberta Flack em 1973.

“Chilly wind” – Maxine Weldon

Maxine Weldon pode ser um nome desconhecido para boa parte do público brasileiro, mas a cantora possui um nome de relevância na música dos Estados Unidos. No quarto episódio de “Pequenos incêndios por toda parte”, é possível escutar “Chilly wind”, de 1971, em uma das cenas.

Episódio 5 – Duo

“Fly Robin Fly” – Silver Convention

Em 1975, o grupo alemão de disco music, o Silver Convention, chegou ao #1 na Billboard Hot 100, a parada de singles dos Estados Unidos, com a música “Fly Robin Fly”, tornando-se o primeiro artista da Alemanha a realizar tal feito.

“You oughta know” – Alanis Morissette

É impossível falar da década de 90 sem falar do nome Alanis Morissette. A canadense foi uma das maiores artistas no período, graças ao álbum “Jagged Little Pill, de 1995, que completou 25 anos neste ano. “You oughta know” foi um dos maiores sucessos do disco, sendo o primeiro single a ser lançado e ganhador de 2 prêmios Grammy.

“Spin the bottle” – The Juliana Hatfield Three

Ao lado de Dean Fisher e Todd Philips, Juliana Hatfield montou The Juliana Hatfield Three, lançando o álbum “Became what you are” em 1993. O single “Spin the bottle” fez sucesso na época e também integrou a trilha sonora de “Caindo na real”, de 1994, que traz Wynona Ryder no papel principal.

“Come to mama” – Ann Peebles

“Pequenos incêndios por toda parte” valoriza muito cantoras negras de décadas passadas. No episódio 5, a minissérie traz Ann Peebles com “Come to mama”, do álbum “Tellin’ it”, lançado em 1975. A artista nasceu numa família de músicos e começou a cantar ainda pequena, na igreja onde o pai ministrava cultos.

Episódio 6 – The uncanny

“Take me with you” – Aretha Franklin

Aretha Franklin dispensa introduções. Rainha do soul, a cantora é muito conhecida por seu extenso repertório, que inclui a icônica “Respect”. Na trilha sonora de “Pequenos incêndios”, ela participa com “Take me with you”, do álbum que leva seu nome, lançado em 1980. O sexto episódio é especial, pois volta no tempo, acompanhando as vidas das jovens Mia Warren e Elena Richardson, explicando como se tornaram quem são.

“It’s nasty” – Grandmaster Flash & The Furious Five

Grandmaster Flash and the Furious Five foi um grupo de hip-hop, originado na cidade de Nova York –  a mesma cidade onde a jovem Mia morou e estudo na década de 80. Nessa época, eles lançaram “It’s nasty (Genius of love)”, como parte do primeiro álbum de estúdio, “The message”.

“This must be the place (Naive melody)” – Talking Heads

Em 1983, o grupo Talking Heads lançou seu quinto álbum, o “Speaking in Tongues”, cujo principal single foi “Burning down the house”, o qual alcançou o top 10 da principal parada de singles dos Estados Unidos. “This must be the place” foi o segundo single do disco e traz a banda de new wave cantando sobre o amor.

“Broken wings” – Mr. Mister

“Broken wings” é uma das músicas mais conhecidas da banda Mr. Mister, tendo alcançado o #1 na Billboard Hot 100 em 1985. O feito foi atingido com o álbum “Welcome to the real world”, que também teve outro single liderando as paradas musicais, “Kyrie”. Uma curiosidade: o nome da banda é citada em “Hey, Soul Sister”, do grupo Train: “hey, soul sister / ain’t that Mr. Mister on the radio, stereo”.

“My eyes adored you” – Frankie Valli

“My eyes adored you” ficou famosa na voz de Frankie Valli, que gravou a canção solo, em 1974. Até então, ele fazia parte do grupo The Four Seasons, o qual também gravou a música, mas a gravadora optou por não lançá-la. Como resultado, Valli chegou ao primeiro lugar nos charts no ano seguinte.

“Piece of clay” – Marvin Gaye

“Piece of clay” foi lançada após a morte de Marvin Gaye e aparece nas coletâneas “The Master 1961-1984”, de 1995, e em “You’re the man”, de 2019. A música também fez parte da trilha sonora do filme “Fenômeno”, de 1996, com John Travolta como protagonista.

“Bitch” – Meredith Brooks

“Bitch” é a música mais conhecida de Meredith Brooks, que lançou a faixa em 1997 com o álbum “Blurring the edges”. A canção quase foi censurada pela gravadora, por conta do seu teor “controverso” (bitch em inglês é algo como vadia). A música, contudo, é sobre uma mulher aceitar as diferentes partes de si mesma: “sou vadia / sou namorada / sou criança / sou mãe / sou pecadora / sou santa / e eu não tenho vergonha disso”.

Episódio 7 – Picture perfect

“Shine” – Collective Soul

Em 1994, o álbum “Hints, allegations & things left unsaid” marcava a estreia da banda alternativa Collective Soul no cenário musical. Para divulgar o material, “Shine” foi escolhida como primeiro single e até hoje é uma das preferidas no catálogo do grupo.

“Only happy when it rains” – Garbage

O gosto musical de Izzy inclui muito rock feminino, o que inclui “Only happy when it rains”, do grupo Garbage. A banda fez um enorme sucesso na década de 90, sendo indicada a prêmios Grammy, além de ter feito a música-tema do filme “007 – O mundo não é o bastante”, de 1999, que tinha Pierce Brosna na pele do famoso espião britânico.

“Ambition az a ridah” – 2Pac

“All eyez on me” foi o quarto e último álbum lançado pelo rapper 2Pac antes de morrer em um tiroteio em 1996. “Ambition az a ridah” é a faixa que abre o aclamado disco, que teve duas músicas atingindo o primeiro lugar da Billboard Hot 100.

Episódio 8 – Find a way

“Here I am (Come and take me)” – UB40

UB40 é uma banda inglesa, que mistura rock e reggae, cuja contribuição para a trilha sonora de “Pequenos incêndios” foi “Here I am (Come and take me)”, um cover do cantor de soul Al Green. A música foi lançada em 1990 e integra o álbum “Labour of love II”.

“Build it up” – Ingrid Michaelson

Ingrid Michaelson  possui uma extensa carreira, com várias de suas músicas aparecendo em trilhas sonoras de séries de televisão. Dentre elas, “Pequenos incêndios por toda parte”, para a qual ela escreveu “Build it up”. A canção encerra a produção e possui em seus versos uma mensagem de construir a vida com suas próprias mãos.