Modelo trans, Andreja Pejic, acredita que “falta mais entendimento” na indústria da moda

Andreja Pejic, primeira modelo trans a ter um perfil escrito na revista Vogue americana, disse em entrevista à Cosmopolitan que a indústria da moda necessita de mais entendimento no que diz respeito a pessoas trans. “Acho que há um desentendimento em qualquer indústria. É importante lembrarmos que a indústria da moda é muito criativa, e muito amiga dos gays – mas não entende, necessariamente, as experiências de pessoas trans. O nível de entendimento poderia ser melhor”.

A fala da modela diz respeito a uma declaração sua à revista Vogue, onde afirmou que foi desencorajada a fazer a transição para mulher. “Várias pessoas disseram, ‘você vai perder o que é especial em você. Não será mais interessante'”, contou ela à publicação. Isso porque Andreja fez vários trabalhos como modelo andrógino e temia que perdesse trabalhos após a cirurgia de redesignação sexual.

A Cosmopolitan conversou com Andreja Pejic durante o 26º GLAAD Media Awards, que premia a representação positiva da comunidade LGBT na mídia. “É importante lembrar que estamos vivendo numa ótima época, onde nossas histórias estão sendo contadas e a representação está melhorando, mas é preciso mais para melhorar e mudar a vida das pessoas”, contou a modelo à publicação.

De fato, a representatividade de pessoas trans tem melhorado nos Estados Unidos, com a atriz Laverne Cox, Bruce Jenner, Jazz Jennings e uma publicidade positiva e inclusiva. Com a visibilidade dada a essas pessoas, além de possibilitar uma transformação na forma como elas são vistas, uma discussão séria acerca de gênero e sexualidade está se formando. “Finalmente estamos percebendo que gênero e sexualidade são mais complicados”, contou Andreja à Vogue. O desejo da modelo, é que possamos viver em mundo onde “gênero, nacionalidade, orientação sexual e, acima de tudo, status financeiro, não afetem as oportunidades que lhes são dadas na vida, a forma como as pessoas tratam umas às outras e à liberdade”, declarou ela em entrevista à revista Out, em dezembro de 2011.

E do que depender de Andreja, ela fará o possível para trazer mais visibilidade às causas das pessoas trans. Seu documentário, intitulado “Andrej(a)”, está em produção, e contará sua transição e as consequências disso em sua carreira. “Tive sorte com a forma como as coisas aconteceram e me sinto muito bem-vinda. Mas houve julgamentos e tribulações, e você verá isso [no documentário]”, revelou a modelo para a Cosmopolitan.

Foto de destaque: via.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.