Menino de 13 anos cria poderoso vídeo contra o cyberbullying

  11. fevereiro 2016   Internet   0
Menino de 13 anos cria poderoso vídeo contra o cyberbullying

“Você já fez cyberbullying com alguém? Você já sofreu cyberbullying? Você já testemunhou cyberbullying? 100% dos jovens dizem ‘sim’ para uma dessas perguntas.”

Eu arrisco dizer que você já vivenciou alguma das situações acima descritas por Luke Culhane, um menino de 13 anos, criador de um poderoso vídeo contra o cyberbullying, que embora seja uma violência virtual, deixa marcas reais. Após receber insultos e ofensas nas redes sociais, o garoto aparece com o nariz sangrando, um olho roxo e o braço engessado, ilustrando as feridas emocionais deixadas pela agressão emocional.

Afinal de contas, caso elas fossem visíveis como um braço quebrado, você não faria alguma coisa?

Ao final do vídeo, Luke pede três ações às pessoas que o assistem:

“Pare: pare e pense antes de postar algo na internet que possa entristecer alguém. Pense em como você se sentiria se estivesse naquela posição;

Bloqueie: se você é uma vítima de cyberbullying, bloqueie e reporte a pessoas que tem feito bullying com você;

Conte: se você acha que está sendo alvo de cyberbullying, conte para seus pais, professores ou responsável. O cyberbullying não é legal, ninguém merece passar por isso e nós podemos ajudar a colocar um fim a ele.”

Segundo uma pesquisa da SaferNet, ONG que trabalha no enfrentamento de crimes e violações aos Direitos Humanos na Internet, com  2.834 jovens brasileiros, 35% deles têm um amigo que já sofreu cyberbullying e 12% admitiram ter sofrido algum tipo de agressão nas redes sociais. 49% afirmaram que tem medo de sofrer bullying na internet, mas muitos disseram que não praticam o ato.

O vídeo de Luke transmite uma mensagem muito importante e valiosa de respeito às pessoas, principalmente na internet, quando as agressões podem ser constantes e levam o indivíduos a situações de estresse, ansiedade, depressão e até suicídio. Faça como o rapaz de 13 anos e não crie ódio, mas ajude a criar um ambiente seguro para todo mundo. A gente agradece!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *