Jennifer Aniston: “Não precisamos estar casadas ou ter filhos para estarmos completas”

Jennifer Aniston não está grávida. Ela está é farta de tanta especulação sobre sua aparência e sua vida. E resolveu se manifestar.

Jennifer Aniston é alvo constante das revistas de fofoca. Seja pelo fim de seu casamento com o ex-marido, o ator Brad Pitt, com quem ainda insistem que ela teria um caso, mesmo estando casada com Justin Theroux; seja pelo fato de não ter tido filhos, algo que não foi bem aceito pelas publicações voltadas para o universo dos famosos, que tentam empurrar uma gravidez para ela toda semana.

Quanto a isso, a atriz resolveu se manifestar através de um texto publicado no Huffington Post. “Eu não estou grávida. Eu estou é de saco cheio”, escreveu Jennifer. “Estou de saco cheio da podridão e vergonha que ocorrem diariamente sob o disfarce de ‘jornalismo’, ‘primeira emenda’ e ‘notícias de celebridades’.”

Os novos rumores de gravidez surgiram após a revista In Touch divulgar fotos da atriz numa praia com uma barriga saliente, junto a uma matéria que afirma que ela estaria grávida do marido. “A quantidade de recursos sendo gastos agora pela imprensa para tentar descobrir se eu estou ou não grávida (pela bilionésima vez, mas quem está contando?) aponta para a perpetuação dessa noção de que as mulheres são, de alguma forma, incompletas, malsucedidas ou infelizes se não estiverem casadas e com filhos.”

Em seu texto, além de criticar a cobertura da mídia sobre as mulheres, ela reclamou dos padrões de beleza e do impacto disso para as jovens mulheres, que acabam sendo expostas a mensagens tão problemáticas.

“Se eu sou algum tipo de símbolo para algumas pessoas, então, é claro que eu sou um exemplo das lentes pelas quais nós, enquanto sociedade, vemos nossas mães, filhas, irmãs, esposas, amigas e colegas”, disse Jennifer. “A objetificação e escrutínio em que colocamos as mulheres são absurdos e perturbadores. A forma pela qual sou representada pela mídia é simplesmente um reflexo da forma que nós vemos e retratamos as mulheres em geral, medidas contra um padrão de beleza de deturpado.

Às vezes, padrões culturais só precisam de uma perspectiva diferente para que possamos vê-los pelo que são de verdade: uma aceitação coletiva… Um acordo subconsciente. Somos responsáveis pelo nosso acordo. Meninas de todas as partes estão absorvendo nosso acordo, passivamente ou de outra maneira. E isso começa cedo. A mensagem de que as garotas não são bonitas a menos que sejam incrivelmente magras, de que não são merecedoras de nossa atenção a menos que pareçam com super modelos ou uma atriz na capa de uma revista é algo que nós estamos comprando de bom grado. Essa condição é algo que as meninas carregam para a vida adulta. Usamos as ‘notícias’ de celebridades para perpetuar essa visão desumanizadora das mulheres, focada apenas na aparência física de cada uma, as quais os tabloides transformam em um evento esportivo de especulação. Ela está grávida? Ela está comendo muito? Ela se deixou levar? Seu casamento está turbulento porque a câmera detectou alguma ‘imperfeição’ física?”

Estudos já apontaram que as imagens apresentadas pela mídia podem influenciar a satisfação corporal e que as mulheres são a maioria dos casos de transtornos alimentares e de imagem, embora alguns homens também sofram com os mesmos. Contudo, são as jovens que acabam formando o maior grupo de pessoas insatisfeitas e infelizes com seus corpos. Portanto, quando Aniston afirma que é preciso mudar essa cultura de subjugação da mulher, ela não está mentindo.

“Eis onde eu queria chegar: nós somos completas com ou sem um parceiro, com ou sem uma criança. Nós decidimos o que é lindo no que diz respeito aos nossos corpos. Essa decisão é nossa e somente nossa. Vamos tomar essa decisão sozinhas e para as jovens mulheres nesse mundo, as quais olham para nós como exemplos.Vamos tomar essa decisão conscientemente, fora do barulho dos tabloides. Nós não precisamos estar casadas ou ter filhos para estarmos completas. Somos nós que determinamos nossos próprios ‘felizes para sempre’. […] Não estou procurando a maternidade porque me sinto incompleta de alguma maneira, como nossas notícias de celebridades nos fazem acreditar. Eu fico ressentida por me fazerem sentir ‘inferior’ porque meu corpo está mudando e/ou porque comi um hambúrguer e fui fotografada em um ângulo esquisito e por isso estou condenada a duas coisas: ‘grávida’ ou ‘gorda’.”

Como a própria atriz coloca no texto, essa é uma conversa que precisa ser ampliada e é ótimo que ela participe disso. É fundamental que mudemos essa cultura que atrela o valor de uma mulher à aparência e se está casada e com filhos. Também é igualmente importante que a mídia seja parte dessa mudança, pois com um poder de influência tão grande, seria muito bem-vinda uma abordagem mais humanizada das mulheres.

Para ler o texto completo de Jennifer Aniston, clique aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.