Fernanda Lima levou o feminismo para o “Amor & Sexo” e não conseguimos deixar de aplaudi-la

Foi ao ar na noite dessa quinta-feira (26) a 10ª temporada de “Amor e Sexo”, na Rede Globo. Comandado por Fernanda Lima, que também é responsável pelo roteiro da atração, o programa levou o feminismo para o público.

“Pra começar, aqui a gente acredita na igualdade entre homens e mulheres. Pra quem ainda não sabe, gente, isso é o feminismo. Simples assim”, disse a apresentadora, que logo no início cantou “Piranha”, junto com Karol Conká e Gaby Amarantos.

Em seguida, ela pediu para as convidadas presentes responderem o que era ser ‘piranha’, já que esse ainda é um xingamento muito comum para tachar mulheres que ‘pegam’ muitos homens.

“[Ser piranha é] Dar na segunda noite. Mulher legal dá de primeira”, brincou a roteirista e feminista Antonia Pellegrino. Mas Fernanda fez questão de pontuar, contudo, que há diferenças entre as mulheres brancas e negras. Se o primeiro grupo luta pela liberdade sexual, o segundo batalha contra a hipersexualização de seus corpos. Para falar sobre isso, ela passou a palavra para a filósofa, pesquisadora e feminista negra Djamila Ribeiro.

“A gente [mulheres negras] precisa ter o direito ao que fazer com o nosso corpo”, explicou Djamila. “Como a gente é muito hipersexualizada, então, para nós, mulheres negras, em determinados momentos a gente prefere não mostrar o nosso corpo. Mas eu acho que essa imposição não pode impedir o exercício da nossa sexualidade. Inclusive mostrar o nosso corpo, desde que seja uma escolha”.

Também durante a atração, a apresentadora, convidadas e bailarinas queimaram sutiãs (quase que literalmente), reclamando o direito da “mulher ser homossexual”, “não usar tamanho 36” e “que mulher nenhuma merece ser estuprada”.Girl Power total!

O foco do “Amor & Sexo” ficou em desmistificar o feminismo, que ainda é muito mal-interpretado socialmente e esclarecer a desigualdade de gênero. A disparidade salarial entre homens e mulheres (elas recebem 30% menos do que seus colegas do gênero oposto), a falta de representatividade feminina na política e a liberdade sexual da mulher foram debatidos. O momento de maior seriedade aconteceu quando o tema da violência contra a mulher entrou em pauta, sendo expressa em números para ninguém duvidar. Atualmente, o Brasil é o quinto país do mundo em um ranking de violência contra a mulher.

Por fim, a grande diva nacional, Elza Soares, além de cantar “Maria de Vila Matilde, música que fala sobre violência doméstica, também participou de um bate-papo rápido com Fernanda Lima sobre carreira, vida e amor. Ela ainda soltou a voz ao lado de Karol Conká na canção “Tombei”, um dos maiores hits da rapper curitibana.

Foi um programa didático, divertido e inteligente, que soube discutir questões pertinentes sobre as mulheres. Alguém podia esperar debates mais ‘profundos’, mas é preciso ter em mente que esse é um programa exibido para todo o país e que a linguagem precisa ser acessível para todos.

O feminismo é importante e é ótimo que a maior emissora do país esteja disposta a levar essa conversa para o maior número de pessoas. Com esperança, começaremos a construir uma sociedade mais igualitária e que trate com respeito TODAS as mulheres.

Para assistir na íntegra o “Amor & Sexo”, acesse o GShow, site de entretenimento da Rede Globo.