Feliz aniversário, Prosa Livre!

  30. abril 2016   Internet   0

Há dois anos nascia o Prosa Livre, o blog no qual escrevo e dedico boa parte do meu dia. São dois anos dedicados a um projeto que eu não sabia bem como seria e para onde ele iria, mas que fui tocando, pois ele me dava alegria. Dava não. Ainda dá, afinal, não parei ainda. E espero não parar tão cedo.

Eu sempre fui daquelas pessoas que começam vários projetos e nunca terminam. Tipo a Julie do filme “Julie & Julia”, sabe? Sempre com várias ideias, mas sempre desistindo no meio do caminho. Com o Prosa Livre não parei, me mantive firme. Já tive meus dias de querer desistir, de querer jogar o computador pela janela, mas ainda bem que não o fiz. Com toda certeza do mundo eu me arrependeria em seguida. Esse é o espaço em que eu escrevo o que eu gosto (cultura pop) e compartilho o que acredito (mensagens para empoderar). É aqui onde sei que as pessoas sentem-se menos sozinhas. Sei disso porque recebo alguns comentários e emails. Há pouco tempo eu me sentia sozinho. Agora sei que não estou mais.

Nesses dois anos, muita coisa aconteceu. O blog cresceu muito, mais do que eu poderia imaginar quando publiquei o primeiro texto no dia 30 de abril de 2014. E no meio do caminho, eu cresci junto. Já escrevi uma vez sobre isso, como o Prosa Livre tem me ajudado a ser uma pessoa melhor. O Artur que começou este espaço há dois anos não é o mesmo de agora. Eu me abri para entender questões que não entendia, descobri coisas que não sabia, conheci histórias que não teria conhecido de outra maneira. E fiz de peito aberto. Uma viagem dentro do outro, do desconhecido e de mim. Fui me transformando e seguindo em frente.

Nesses dois anos, sinto que as pessoas puderam me conhecer um pouco, além daquilo que acredito, que está por trás de tudo o que eu escrevo. Aqui contei como foi sair do armário e ver a minha história ser compartilhada e comentada e dar um pouco de conforto para quem já viveu ou vive a mesma situação; contei como foi o primeiro beijo que eu dei na vida, aos 24 anos! Um misto de confusão, de romper com dores e de gostar de tudo como foi: no tempo que tinha que acontecer. Também contei como é não saber o que fazer da vida, quando parece que precisamos ter essa certeza antes de entrar na faculdade, e que não nos é permitido errar ou mudar de rota. Contei como foi ter pensamentos suicidas e ser ansioso. Tudo que está neste blog tem um pouco de mim, mas esses textos vão muito além de mim.

Vão além porque a minha história é minha, mas ela não é única. Há várias pessoas vivendo coisas similares, em maior ou menor grau. Estamos todos tendo que nos entender e acharmos a melhor forma de passar por essa vida, mas algumas pessoas, infelizmente, precisam lidar com mais questões do que deveriam. É por isso que mantenho o blog: para que ninguém se sinta tão sozinho e para que mensagens que precisam de mais visibilidade ganhem mais espaço. A internet é um lugar enorme, mas acho que estou ajudando a torná-la um pouco melhor e mais acolhedora. O poder da cultura pop de influenciar comportamentos é enorme, então, problematizar algumas questões e reforçar pontos positivos são formas de transmitir o bem e a mudar o mundo em que vivemos.

No final do ano passado ganhamos uma logo e, em abril deste ano, inauguramos um layout novo para o Prosa Livre, além de criarmos uma identidade visual e abrirmos uma conta no Instagram. As redes sociais do blog continuam a crescer, o que mostra que estamos no caminho certo. Se é sua primeira vez por aqui, seja muito bem-vindo. Se você já passou por aqui, obrigado por continuar comigo e por ajudar o Prosa Livre (e eu) a crescer. E obrigado ao Jean e ao Fernando que também fazem esse blog ser o que é hoje.

Este é um espaço que apoia o feminismo, que apoia a luta contra o racismo, o fim dos padrões estéticos, a homofobia e a transfobia, e que quer o fim do estigma sobre as doenças mentais. Este é um espaço que pede para que a cultura pop seja mais inclusiva e que reflita o mundo que vivemos. A diversidade precisa ser celebrada, e acredito que o mundo do entretenimento pode fazer mais por isso.

Obrigado por esses dois anos. Vamos crescendo todos juntos.

Um abraço,

Artur.