A diversidade parece estar finalmente chegando ao universo cinematográfico dos super-heróis

Enquanto temos visto os quadrinhos de super-heróis com mais diversidade entre seus personagens, o mesmo não se podia dizer das adaptações cinematográficas dos mesmos. Até agora, os heróis que chegaram às telas do cinema em suas próprias produções foram homens brancos (e héteros). Mas isso vai começar a mudar em breve.

Durante a Comic-Con, um dos maiores evento de cultura pop, a Warner e a Marvel mostraram que têm escutado seu público e anunciaram grandes e importantes novidades.

A começar, a Warner divulgou o primeiro trailer de “A Mulher Maravilha”, estrelado por Gal Gadot, que já havia dado as caras na pele da heroína em “Batman Vs Superman: A Origem da Justiça”. O longa deve ser lançado somente em 2017 (eu sei), e será o primeiro do tipo com uma mulher no papel principal, desde que os estúdios voltaram a fazer esses filmes.

E tem mais: quem dirige “Mulher Maravilha” também é uma mulher: Patty Jenkins, responsável por “Monster: Desejo Assassino”. Ela também se tornou uma das poucas diretoras de um longa com um orçamento de US$ 100 milhões.

“É uma história de uma garota tornando-se uma mulher. Acho que apenas uma mulher, que já foi uma garota, pode ser capaz de contar essa história do jeito certo”, contou Gadot à Entertainment Weekly. “Tenho trabalhado somente com homens diretores na minha vida, o que eu gostei muito. E eu tive muita sorte de ter trabalhado com homens que têm muito respeito pelas mulheres, mas trabalhar com uma mulher é uma experiência diferente. Parece que a comunicação é diferente. Nós falamos sobre emoções”.

A Warner também trouxe um novo trailer do “Esquadrão Suicida”, cujo filme conta com um elenco bem mais diverso do que a DC e a Marvel já apresentaram. Outra novidade do estúdio foi o trailer de “Liga da Justiça”, que possui Batman (Ben Affleck), Superman (Henry Cavill) Mulher-Maravilha (Gal Gadot), Aquaman (Jason Momoa), The Flash (Ezra Miller) e Cyborg (Ray Fisher) entre os protagonistas. Vale destacar: uma mulher, um negro e um havaiano (Momoa) nos papéis principais é algo a ser celebrado, especialmente em uma época em que Hollywood ainda peca no quesito diversidade.

Contudo, a Marvel também parece ter escutado seus fãs e também apresentou novidades bem animadoras. Primeiro, finalmente foi anunciado quem dará vida à Capitã Marvel nos cinemas: Brie Larson, ganhadora do Oscar por “O Quarto de Jack”. Finalmente a empresa dará a uma heroína feminina seu próprio filme solo. Já há algum tempo se especulava quem seria a atriz a pegar o papel de Carol Danvers, já que a personagem nos quadrinhos assume várias identidades e poderia ser tanto branca quanto negra.

“Nossa primeira escolha de elenco como nosso próprio estúdio foi Robert Downey Jr. como Tony Stark”, disse Kevin Feige na Comic-Con. “Então, nós definimos um parâmetro muito, muito alto para as escolhas futuras. Cada vez que contratamos alguém, seja para coadjuvante ou protagonista, precisamos corresponder à ótima escolha que foi Downey Jr. Com Carol Danvers, com o nosso primeiro filme de super-heroína, não poderíamos decepcionar. O fato de que Brie, mesmo depois de ter ganhado o Oscar, estava interessada em conversar conosco para viver a personagem. E foi aí que me apaixonei por ela. Tivemos muita sorte”.

“Capitã Marvel” deve chegar aos cinemas somente em 2019.

Não só isso, o filme do Pantera Negra, super-herói que já apareceu no filme “Capitão América: Guerra Civil”, também ganhou um pouco mais de forma. Além de Chadwick Boseman como o protagonista T’Challa, também estarão no elenco: Lupita Nyong’o, a qual dará vida a Nakia, membro da Dora Milaje, uma organização de segurança pessoal do personagem principal, Michael B. Jordan, o vilão Erik Killmonger, e Danai Gurira será Okoye, que também faz parte da Dora Milaje.

Não fosse o bastante o elenco principal ser todo composto por atores negros, vale lembrar que “Pantera Negra” terá quase todo seu elenco feito por artistas negros, uma decisão que Kevin Feige explicou como sendo importante para manter a história fiel às origens do personagem nos quadrinhos. O super-herói negro também será o primeiro da Marvel a ganhar um filme solo. A direção será de Ryan Coogler e o longa deve ir aos cinemas em 2018.

A Marvel parece estar dedicada em levar mais diversidade em suas adaptações cinematográficas. Recentemente, foi confirmado que Tessa Thompson (“Creed”) integrará o elenco de “Thor: Ragnarok”. Segundo o diretor do filme, Takai Waititi, a escolha por Tessa é a de que ele queria “ser mais inclusivo e oferecer uma representação maior”.

São boas notícias e que mostram um comprometimento dos estúdios em transformar o discurso da diversidade em prática. Talvez muitos estejam saturados de filmes de super-heróis, mas talvez sejam as fórmulas que estejam batidas. Vamos dar a oportunidade para novos personagens brilharem e conquistarem o mundo. E já era passada a hora.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.