Dia Roxo: conheça famosos com epilepsia

  24. março 2016   Internet   0

Durante a semana, lembramos que o dia 26 de março é comemorado em diversos países como o Dia Roxo, ou “Purple Day”. Ele foi criado em 2008 por Cassidy Megan, uma menina canadense com 9 anos de idade na época, como uma forma de conscientizar as pessoas sobre a epilepsia. Seu objetivo é fazer com que as pessoas conversem e se eduquem sobre o assunto, de forma que preconceitos sejam desfeitos e que nós possamos estar preparados para ajudar quem vive com ela.

Diagnosticada com epilepsia aos 7 anos, Cassidy escolheu o roxo pela associação da cor à solidão, um sentimento experimentado pelos portadores da doença. “Comecei o Dia Roxo porque pensei que era a única com epilepsia, e queria que as outras pessoas soubessem que não estão sozinhas e que há outros como elas”, contou Cassidy ao CBC News.

A epilepsia é um distúrbio que causa descargas elétricas que interrompem as atividades normais das células nervosas, e podem resultar nas crises epiléticas. Segundo a Associação Brasileira de Epilepsia, para o diagnóstico da enfermidade, é preciso que aconteçam ao menos duas crises num intervalo superior a 24 horas, sendo necessário que elas não tenham sido provocadas, por exemplo, pela ingestão de drogas, bebidas alcoólicas ou lesões.

Estima-se que 50 milhões de pessoas tenham epilepsia no mundo todo. No Brasil, o número gira em torno de 3 milhões de pessoas com a doença.

E como hoje é Dia Roxo, conheça alguns famosos com epilepsia:

Lil Wayne:

Em 2013, após ser hospitalizado por conta de três crises epiléticas seguidas, o rapper Lil Wayne admitiu ter a doença, e que estava se recuperando. “Esse não foi o meu primeiro, segundo, terceiro, quarto, quinto, sexto ou sétimo ataque, vocês apenas nunca souberam disso”, disse o cantor em uma entrevista para uma rádio.

Machado de Assis:

Machado de Assis tinha epilepsia, mas não admitia ter a doença, referindo-se a ela como “fenômenos nervosos”, tendo ocultado-a até da própria esposa, Carolina.

Van Gogh:

O pintor holandês foi diagnosticado com epilepsia do lobo temporal, agravada pela ingestão do absinto, uma bebida considerada a “musa” dos grandes artistas.

Dostoiévski:

Na época em que o autor russo viveu, a epilepsia não era muito conhecida, mas ele descrevia os sintomas da doença em suas obras. Em “O Idiota”, publicado em 1869, Dostoiévski escreveu o personagem Príncipe Míchkin, o qual sofre com epilepsia.

“Ele sonhou com a fase em que se anunciavam os ataques epilépticos quando estes o surpreendiam em estado de vigília. Nesses instantes rápidos como um relâmpago, o sentimento da vida e da consciência se decuplicavam nele. Seu espírito e seu coração se iluminavam com uma claridade intensa; todas as suas emoções, todas as suas dúvidas, todas as suas preocupações se acalmavam ao mesmo tempo para se converterem numa serenidade soberana, feita de alegria luminosa, de harmonia e de esperança, em favor da qual sua razão se elevava à compreensão das causas finais.” 

Ian Curtis:

O líder da banda Joy Division tinha ataques epiléticos frequentes, inclusive durante shows. Uma das músicas do grupo, “She’s Lost Control”, do álbum “Unknown Pleasures”, é sobre a doença.

Danny Glover:

O ator, famoso por filmes como “Máquina Mortífera” e “A Cor Púrpura”, contou que teve seu primeiro ataque epilético aos 15 anos. Com quase 70 anos, ele disse não ter mais crises desde os 35 anos.

Prince:

Em uma entrevista realizada em 2009, o cantor Prince revelou ter epilepsia, sendo ela responsável pela criação de sua persona efusiva e excêntrica. “Eu nunca falei sobre isso antes, mas nasci epilético”, disse o artista. “Eu costumava ter convulsões quando era novo. Meus pais não sabiam o que fazer ou como lidar com elas, mas fizeram o melhor que puderam com o pouco que tinham.”

Susan Boyle:

A cantora Susan Boyle, conhecida por ter encantado o mundo com sua versão de “I Dreamed a Dream”, no Britain’s Got Talent, contou ao Daily Mail que teve epilepsia durante a infância. “Na escola, eu costumava cair bastante. É algo que eu nunca falei antes. Eu tenho epilepsia. As pessoas que vivem no olho do público não têm coisas assim. Durante toda minha infância me disseram que tinha a ver com uma doença mental. E agora eu percebo que não.”

Hugo Weaving:

O ator, que já participou dos filmes “Matrix” e “V de Vingança”, contou que começou a ter ataques epiléticos aos 13 anos. “Acho que eu tinha uma grande convulsão por ano. Às vezes eu caía e acordava nos braços de alguém perguntando se eu estava bem. Mas isso nunca afetou meus trabalhos.” Em 2012, ano em que falou sobre a doença, ele disse que estava há 18 anos sem ter convulsões.