Danielle Brooks, de “Orange Is The New Black”, escreve poderoso artigo sobre autoaceitação para a Glamour

Não bastasse viver a divertida Taystee em “Orange Is The New Black” (a propósito, a série volta dia 12 de junho), Danielle Brooks também é inspiração. A atriz, formada na prestigiada escola de artes Julliard, cresceu em uma família cristã, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, e escreveu um artigo para a revista “Glamour” onde narra ter crescido cheia de inseguranças por ser negra e gorda. “Pela definição de beleza que eu absorvi do mundo à minha volta, eu tinha três pontos contra mim: eu era muito escura, tinha muitas curvas e era muito gorda”.

danielle brooks orange is the new black
Foto: Danielle Brooks posa em biquíni preto para a Glamour.

Em seu texto, Danielle dá detalhes sobre sua adolescência, onde aparentava ter auto-confiança, mas era o contrário por dentro. “Por causa da insegurança, eu era muito infeliz. Eu tive até pensamentos suicidas. Mas você jamais diria isso. O mundo via uma jovem garota que era feliz em sua pele, ria muito, e não ligava muito para o que as pessoas pensavam dela. A verdade é que eu não era feliz na minha pele; eu ria para esconder a minha dor, e ligava muito para o que minhas colegas pensavam sobre a minha aparência – ao ponto de ter pensamentos suicidas. Mas você jamais diria isso”, escreve a atriz.

A insegurança de Danielle com seu corpo começou quando estava na época do ginásio e uma mulher apontou algumas “falhas” no que via. “Eu não era autoconsciente. Quando era nova, sempre fui uma criança saudável, mas nunca magra. Eu não sabia que havia algo ‘errado’ com meu corpo até entrar no ginásio e uma mulher da minha igreja sentir o espírito que a fez falar comigo. Enquanto eu voltar para casa após os estudos bíblicos, ela me parou e exclamou: ‘Danielle, você possui estrias nos braços!’, e apontou umas quatro ou cinco pequenas linhas que estavam começando a se formar. Ela continuou, ‘você é muito nova para ter estrias’, apesar de que ela tinha várias. E foi assim que o ciclo de julgamento interno começou”.

Foi então que a atriz resolveu ser a atriz e percebeu como havia poucos referenciais de mulheres como ela na sua profissão. “Quando procurei por reflexos de pessoas como eu na televisão, encontrei poucas. Ainda assim, encontrei inspiração nas palavras de Sharon Flake e na música de India Arie”. E foi durante as aulas de atuação que Danielle conseguiu recriar sua confiança e voltou a se enxergar de forma positiva. “Eu me sentia livre e aceita. Livre para libertar meus maiores gritos, para rolar pelo chão como uma gato, e para chorar muito sem ser julgada. Aceita pelos outros atores, indivíduos únicos, que me davam valor pelo meu talento e ousadia, não pelo que eu parecia (ou não parecia)”.

“Ironicamente, alcançar um tanto de sucesso nessa área mexeu com a confiança que eu tanto lutei para reconquistar. Estar no olho público aumenta minha “imperfeição” a um nível insano. Ao comparecer ao Globo de Ouro pela primeira vez, percebi como a maioria das atrizes não se pareciam comigo. Veja, o tamanho médio das mulheres é entre 40 e 42. Aquelas atrizes não parecem com a maioria das mulheres. Não estou dizendo que elas deveriam ganhar peso, mas eu coloco a questão: se a arte deveria refletir a vida, então por que os tapetes vermelhos e revistas não refletem a realidade?”

Por fim, Danielle quer inspirar outras mulheres como ela a amarem-se como são. “Agora que eu sou o reflexo que eu procurava, prometo falar por aquela pequena garota que eu era. Talvez eu não tenha o poder de mudar o que a mídia coloca, ou convencer jovens meninas a gostarem e amarem-se, mas o que eu posso fazer é começar comigo: viver cada dia de uma vez e amar quem eu sou”.

“Amar quem eu sou ao recusar esconder minhas pernas ou cobrir meus braços porque alguém se sentiu desconfortável. Amar quem eu sou ao perceber que cada estria no meu corpo foi  beijada pelo sol e não querer que elas sumam. Amar quem eu sou ao não controlar o medo. Então, se você me ver num tapete vermelho com meus braços e pernas reluzentes, ou com meu diafragma exposto, é um lembrete a mim mesma e ao mundo que eu sou linda”.

Vai ter muito empoderamento no que depender de Danielle Brooks. <3

Foto: via.

 

Comments

  1. Pingback:Danielle Brooks compartilha foto e mensagem inspiradoras em seu Instagram - Prosa Livre

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.