Confira os indicados a ‘Melhor Ator’ no Oscar

E chegou a hora de conhecer quem são os indicados ao Oscar na categoria ‘Melhor Ator’. Será que Leonardo DiCaprio vai finalmente levar a estatueta esse ano? Pelo que temos visto nas outras premiações da temporada, as chances são favoráveis. Mas se levarmos em conta o talento (e merecimento, em alguns casos) dos outros indicados, a disputa será acirrada.

Bryan Cranston – “Trumbo”:

trumbo-bryan-cranston-image

O mais velho entre os atores indicados, Bryan Cranston apresenta, com sua interpretação da personagem título de “Trumbo”, um trabalho digno de reconhecimento.

Famoso por estrelar a série de TV “Breaking Bad”, Cranston vive no filme o roteirista Dalton Trumbo, que foi banido de Hollywood durante a perseguição aos Comunistas na indústria do cinema na década de 1940, e passou a escrever roteiros anonimamente, usando pseudônimos.

Essa é sua primeira indicação ao Oscar, e apesar de merecida, as outras premiações da temporada indicam que suas chances de levar o prêmio são poucas. Mas o talento e competência do ator fazem valer uma torcida mesmo assim.

Eddie Redmayne – “A Garota Dinamarquesa”:

The-Danish-Girl_2015-22

Vencedor da estatueta no ano passado por seu papel em “A Teoria de Tudo”, Eddie Redmayne parece ter ganho de vez o carimbo de ‘ator versátil’. E, se for verdade mesmo que a Academia adora trabalhos que envolvam transformações físicas dos atores, não podemos excluir suas chances de levar o prêmio outra vez.

Apesar das críticas sobre a escolha de Redmayne para viver a personagem transgênero de “A Garota Dinamarquesa”, não se pode negar que o trabalho do ator é bastante digno. Sua Lili Elbe é impecável, e chega quase a se sobrepor ao tom conservador do filme diante do tema.

Talvez ser versátil e mudar muito (inclusive fisicamente) de uma personagem a outra acabe se tornando não um feito impressionante, mas uma característica inerente ao trabalho de Redmayne. Mas, enquanto o rapaz estiver fazendo isso com competência e honestidade, vai merecer todas as atenções.

Leonardo DiCaprio – “O Regresso”:

NErJ7X7Ydpxguz_1_a

As brincadeiras com as esnobadas que a Academia deu em Leonardo DiCaprio ao longo dos anos podem chegar ao fim. Desde sua primeira indicação, como Ator Coadjuvante em 1993 pelo sensacional “Gilbert Grape”, DiCaprio tem provado ter talento e competência o suficiente para levar um Oscar para casa. Em 2014, muitos apostavam que a indicação por “O Lobo de Wall Street” colocaria fim a essa injustiça da Academia, mas acabou ficando pra depois.

Seu trabalho em “O Regresso” é intenso, a começar pela caracterização. A entrega do ator ao papel do explorador deixado para trás para morrer, e que retorna em busca de vingança, é digna de reconhecimento. Se esse reconhecimento vier na forma de uma estatueta, será até certo ponto merecido.

Motivos não faltam para problematizar por que essa “injustiça do Oscar” é considerada maior que tantas outras. Mas talvez seja o momento de deixar rolar. Se DiCaprio levar o prêmio no domingo, o quanto melhor. Pelo menos o foco das injustiças da Academia pode ir para questões mais relevantes do que premiar um ator que, independente de qualquer coisa, já está entre os grandes de Hollywood.

Matt Damon – “Perdido Em Marte”:

3047165-poster-p-1-ares-iii-trailer-martian

Segunda indicação de Matt Damon ao prêmio de Melhor Ator, seu papel em “Perdido Em Marte” é o que confere graça ao filme. Sua personagem é um astronauta abandonado pelos colegas durante uma missão em Marte, e que precisa sobreviver sozinho até um possível e ainda incerto resgate.

Apesar da premissa tensa, o filme de Ridley Scott tem uma abordagem leve, beirando o cômico. E é o trabalho de Damon, que ao longo de quase todo o filme contracena somente com a câmera, que guia “Perdido Em Marte” através dessa abordagem despretensiosa, conferindo ainda assim alguma seriedade ao filme.

Nada mais justo, então, do que reconhecer esse trabalho com a indicação. Além disso, é a única atuação cômica entre os indicados. Isso se considerarmos que “Perdido Em Marte” é, em essência, uma comédia. E por que não? Até o Globo de Ouro considerou, e ainda premiou Damon na categoria esse ano.

Michael Fassbender – “Steve Jobs”:

steve-jobs-universal

Na contramão dos que defendem que uma grande interpretação biográfica vem sempre acompanhada de caracterização física, o trabalho de Michael Fassbender em “Steve Jobs” prova que há coisas mais relevantes a serem levadas em conta. Apesar da boa caracterização, Fassbender pouco lembra o verdadeiro Steve Jobs fisicamente. Mas, em uma cinebiografia pouco convencional, o que conta mesmo é o talento do ator ao construir três momentos diferentes da vida do empresário fundador da Apple. E Fassbender não deixa a desejar.

Um dos grandes atores da atualidade, Fassbender está ganhando espaço, e merecidamente. A primeira indicação na categoria de Melhor Ator (ele foi indicado antes, em 2013, como Ator Coadjuvante por “12 Anos de Escravidão”) veio na hora certa. E, levando ou não o prêmio no domingo, uma coisa essa certa: ainda vamos ver muitas outras vezes seu nome entre os indicados.

 

Para quem vai sua torcida? O Oscar acontece no dia 28 de fevereiro e o Prosa Livre vai fazer a cobertura da premiação pelo Twitter (@ProsaLivre). Não perca!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.