Amber Rose encarna ícones feministas em fotos para a revista “Paper”

  03. dezembro 2015   Estilo   0

Todos já sabemos que Amber Rose é uma mulher incrível. Mas dessa vez, ela decidiu homenagear outras mulheres incríveis, que vieram antes dela. Em um ensaio para a revista Paper, a fim de promover seu livro “How To Be a Bad Bitch” (“Como Ser uma Mulher Foda”, em tradução minha), a modelo encarnou alguns ícones feministas em fotos lindíssimas feitas por Charlotte Rutherford:

Amber Rose como Rosie, a Rebitadeira

Em uma das imagens, Rose é Rosie, a Rebitadeira, ilustração feita por J. Howard Miller, que se inspirou na operária Geraldine Doyle para fazer o desenho durante a Segunda Guerra Mundial, quando as fábricas nos Estados Unidos precisavam de mão de obra, já que os homens estavam em campos de batalha fora do país.

A modelo e ex-stripper também se vestiu como as meninas da banda russa Pussy Riot, cujas integrantes foram presas em 2012 por fazer um protesto dentro de uma catedral, em Moscou, contra o presidente do país Vladimir Putin. Sozinha, Amber também foi fotografada refazendo o famoso gesto de Gloria Steinem e Dorothy Pitman Hughes, com punhos ao alto. Rose também viveu Marlene Dietrich, a atriz, cantora e uma das responsáveis pela popularização das calças para mulheres, e Susan B. Anthony, uma das primeiras mulheres a lutarem pelo direito ao voto nos Estados Unidos. E, claro, ela não poderia deixar de representar a si mesma, né?

Ser uma feminista não foi algo que aconteceu do dia para noite na vida da modelo. Mas quando tomou consciência dos duplos padrões sociais, ela resolveu tomar uma atitude.

“Eu olhava o Instagram dele [Wiz Khalifa, seu ex-marido] e ele tinha fotos com várias mulheres sobre ele. E então eu postava uma foto minha e do meu filho e as pessoas diziam, ‘seu filho sabe que a mãe dele é uma vagabunda?’ As pessoas diziam, ‘Wiz está transando com várias vadias enquanto você está em casa chorando por ele, porque ele é a melhor coisa que já aconteceu na sua vida. Agora você é uma mãe solteira, gorda e careca e ninguém nunca vai te amar.’ Então, acho que após meses vendo merdas desse tipo, eu percebi que não podia viver assim. Algo está errado”, contou Amber à revista Paper.

Desde então, ela está na luta para ressignificar os termos “vagabunda” e “vadia”, a fim de ensinar as mulheres a não terem vergonha de sua sexualidade. Desde quando era uma adolescente e foi colocada numa situação armada por um rapaz para denegri-la, o slut-shaming sempre fez parte de sua vida, mas isso é algo que ela não quer mais  ver por aí. É por isso que ela realizou uma Marcha das Vadias em Los Angeles, em outubro passado, participou de uma esquete em que mostra como uma mulher seria tratada num mundo em que ter uma vida sexual ativa não é problema dos outros, e compareceu ao VMA 2015 em um vestido coberto por expressões pejorativas que já recebeu.

“Eu quero que nossa geração não seja mais assim”, ela diz, pedindo união entre as mulheres. “Todas nós, mulheres, vamos nos unir e cuidar uma da outra”, ela conclui para a publicação.

Confira as fotos abaixo:

Amber Rose como Pussy Riot
Amber Rose como Pussy Riot
Amber Rose como Gloria Steinem e Dorothy Pitman Hughes
Amber Rose como Marlene Dietrich
Amber Rose como Susan B. Anthony
Amber Rose como Amber Rose