12 artistas acusados de violência doméstica

  13. junho 2016   Cinema   0

No final de maio, a atriz Amber Heard pediu o divórcio de Johnny Depp, com quem foi casada por 15 meses, alegando ter sido agredida pelo ex-marido. Ela também conseguiu uma ordem de restrição contra o ator, apresentando imagens que mostram hematomas em seu rosto e citou um episódio em que “temeu pela própria vida”.

E logo que a notícia se espalhou, muitos foram rápidos em defender Johnny, afinal, ele não é (ou não seria) o ‘tipo’ de homem que faz esse tipo de coisa. É preciso acabar com essa ideia de que pessoas abusivas tem uma determinada aparência ou vivem em becos escuros. Essas pessoas podem ser qualquer um: pais de família, maridos, irmãos, melhores amigos ou até mesmo o seu ídolo.

É difícil de acreditar que pessoas que nos acostumamos a ver nos filmes que amamos possam ser agressores de mulheres, mas a verdade é que eles e tantos outros caras legais podem cometer violência doméstica.

Vale lembrar: segundo dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), o Brasil registra 1 caso de violência contra a mulher a cada 7 minutos (a maioria das vítimas são negras). A cada 4 minutos, uma mulher é atendida em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). E a cada 11 minutos, uma mulher é estuprada, um crime ainda muito subnotificado. De acordo com as informações do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, estima-se que apenas 10% deles sejam denunciados. No mundo todo, cinco mulheres morrem por hora em decorrência da violência doméstica.

Abaixo você confere outros 11 grandes artistas acusados de violência contra a mulher:

Chris Brown:

Foto: Jordan Strauss/Invision/

Em 2009, quando namorava Chris Brown, Rihanna foi espancada por ele na véspera da entrega do Grammy Awards. Na época, Riri deu uma entrevista a um canal de televisão para falar sobre a agressão cometida pelo ex-namorado. “Isso aconteceu comigo. Pode acontecer com qualquer pessoa”, afirmou a cantora.

Os dois reataram o relacionamento em 2012, mas terminaram em seguida. No ano passado, Rihanna contou à revista Vanity Fair que pensou que pudesse mudar o comportamento do ex, algo que leva muitas mulheres a continuarem em relacionamentos abusivos.

“Eu era aquela garota, aquela garota que, embora toda a dor que esse relacionamento tenha, talvez algumas pessoas sejam mais fortes do que as outras. Talvez eu seja uma daquelas pessoas que conseguem lidar com uma merda dessas.”

Sean Penn:

O casamento entre Sean Penn e Madonna durou quatro anos, entre 1985 e 1989, e foi marcado pelas supostas agressões do ator contra a ex-mulher. Em junho de 1987, ele teria batido na popstar com um taco de baseball.

Segundo uma suposta denúncia feita por Madonna á polícia, e obtida pelo Daily Mail, a cantora foi amarrada em uma cadeira pelo ex-marido, após uma discussão com ele. O que aconteceu a seguir foi um verdadeiro pesadelo: foram várias horas de abuso físico e sexual. Quando conseguiu escapar, ela foi à polícia e Sean foi preso. Uma semana depois ela pediu o divórcio, mas retirou as queixas contra ele.

Contudo, no ano passado, Madonna saiu em defesa do ex-marido, que foi acusado de violência doméstica por Lee Daniels, cocriador da série “Empire”. Penn moveu um processo contra ele, acrescentando uma carta da ex-esposa, a qual negou que tenha apanhado durante o casamento. “Sean nunca me bateu, ‘me amarrou’ ou me agrediu fisicamente e qualquer notícia contrária é um absurdo completo, malicioso irresponsável e falso.”

Dado Dolabella:

O ator, que se declara feminista, agrediu sua então namorada, a atriz Luana Piovani, e a camareira Esmeralda de Souza, em 2008. Em 2011, Dado recorreu da sentença de dois anos e nove meses de prisão em regime aberto e, em 2012, a 7ª Câmara Criminal do Rio decidiu que não tinha competência de julgar o caso de agressão envolvendo Dado Dolabella e Luana Piovani com base na Lei Maria da Penha.

Em 2013 o processo foi anulado. Na sentença, o desembargador Sidney Rosa da Silva justificou dizendo que o fato dos atores namorarem e não morarem juntos não poderia configurar o caso como violência doméstica, acrescentando que Luana também não era uma mulher em situação de vulnerabilidade. “É público e notório que a indicada vítima nunca foi uma mulher oprimida ou subjugada aos caprichos do homem.”

No ano seguinte, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, decidiu que a Lei Maria da Penha se aplica ao caso. Apesar de ser condenado de nove meses de prisão, Dado não cumpriu a pena porque o crime prescreveu em quatro anos, em 2012.

Bill Murray:

Bill Murray é aquele tipo de artista que crescemos amando, especialmente se você cresceu entre as décadas de 80 e 90, quando ele protagonizou “Os Caça-Fantasmas”. Sua imagem foi muito bem trabalhada, de forma que sequer pensamos que ele poderia ser capaz de agredir alguém.

Contudo, sua ex-esposa, Jennifer Butler,  o acusou de violência doméstica após o divórcio. De acordo com o Smoking Gun, ela o acusou de “adultério, vício em maconha, álcool, comportamento abusivo, abuso físico, vícios sexuais e abandono frequente”,  o que a levou a se mudar com os quatro filhos para uma casa na Carolina do Sul.

Jennifer alegou que o ex-marido, com quem foi casada por 10 anos, a abusou fisicamente várias vezes e que, em 2007, durante uma briga em que ele a teria estapeado, Bill disse que “ela tinha sorte que ele não a matou”.

Charlie Sheen:

Foto: Jason Merritt/Getty Images

Charlie Sheen tem um histórico de misoginia em seu currículo, e ele inclui acusações de violência doméstica. Em 2009, o ator foi preso após agredir sua ex-esposa, a corretora Brook Muller. Não foi, contudo, a primeira vez que ele foi acusado disso. Em 2005, durante o processo de divórcio, outra ex-esposa do artista, a atriz Denise Richards, também alegou ter sido agredida por ele.

Netinho de Paula:

Em 2005, imagens da ex-esposa de Netinho de Paula, Sandra Mendes de Figueiredo, chocaram o Brasil. Há dois anos, ele participou do programa Domingo Show, da Record, e lembrou do episódio. “Eu não tinha o que fazer, porque a imagem do olho roxo é mais forte que qualquer palavra. Então, como homem, errei porque, independentemente, deveria ter tido sangue frio e ido pra rua. Como ela provocou, eu agredi”, afirmou.

Hoje, Netinho se diz muito arrependido do que fez e se considera o homem “mais feminista do Brasil”. “É a oportunidade (campanha) para eu dizer que me tornei o homem mais feminista do Brasil. Foi nesse partido (…) que entendi que a cada 5 minutos uma mulher é agredida no Brasil.”

Depois do episódio, Sandra Mendes, a ex-esposa, criou uma ONG para ajudar vítimas de violência doméstica.

Kadu Moliterno:

Kadu Moliterno foi acusado de violência doméstica duas vezes. Em 2005, Ingrid Saldanha, ex-esposa do ator, o denunciou por lesão corporal. Segundo depoimento, ele a agrediu com um soco no olho esquerdo no caminho para Cabo Frio. Numa entrevista para a Isto É, Ingrid contou que Kadu foi violento durante todo o casamento.

Em 2014, ele voltou a ser acusado de violência doméstica pela ex-namorada, a atriz Brisa Ramos. Em seu Facebook, ela escreveu que foi agredida 3 vezes pelo ator, “um homem de 61 anos, que imaginei ser maduro, responsável e sincero.”

Mel Gibson:

Foto: Mark Sullivan/Getty Images

O astro de “Coração Valente” admitiu ter agredido sua ex-namorada, a cantora Oksana Grigorieva, mãe de um seus filhos. Em 2011, o ator foi condenado a três anos de condicional, um ano de aconselhamento e serviços comunitários. Três anos depois, em 2014, uma juíza anulou a condenação dada ao ator.

Michael Fassbender:

Michael Fassbender, que concorreu ao Oscar deste ano por “Steve Jobs”, foi acusado de agredir a ex-namorada, a atriz Leasi Andrews. Segundo o TMZ, o ator chegou a quebrar o nariz dela, que pediu uma ordem de restrição contra ele.

Pouco tempo depois, Leasi retirou as queixas contra Michael. De acordo com fontes próximas, ela tomou a decisão para não atrapalhar a carreira do artista, que é alemão e poderia ter a entrada nos Estados Unidos negada.

Bobby Brown:

Bobby Brown e Whitney Houston foram casados por 15 anos, uma união destrutiva, marcada por “agressões e cocaína”, como descreve o Daily Beast. “Ele era minha droga”, comentou Whitney em uma entrevista para Oprah Winfrey. “Eu não fazia nada sem ele. Eu não ficava alucinada sozinha. Era eu e ele, juntos, e nós éramos parceiros. E isso era minha alucinação: ele. Ele e eu juntos. E tudo o que fazíamos, fazíamos juntos. Não importa o que fosse, fazíamos juntos.”

Em 2003, a cantora ligou para a polícia após uma agressão de Bobby, que acabou se entregando e foi condenado pelo crime.

Ozzy Osbourne:

Em 1989, Ozzy Osbourne quase matou sua ex-esposa, Sharon Osbourne, ao tentar estrangulá-la na casa que era dos dois no Reino Unido.

“Ele [Ozzy] estava bebendo e tomando drogas e isso chegou ao ponto em que ele ficou violento comigo e quase me sufocou até a morte, e eu chamei a polícia”, revelou a empresária em um programa de televisão. Na época, ela disse que “ele é um presente de Deus, mas, se eu tivesse uma arma, eu a teria usado.”


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *