Viola Davis encorajou sua filha a parar de pedir desculpas – e esse é um bom conselho para todas as meninas

Viola Davis encorajou sua filha a parar de pedir desculpas – e esse é um bom conselho para todas as meninas

Viola Davis é conhecida por ser uma excelente atriz e por falas e discursos maravilhosos. O mais recente deles foi feito no evento “100 TIME Gala”, promovido pela revista TIME, a qual lista anualmente as 100 pessoas mais influentes do mundo.

A artista faz parte dos selecionados de 2017, e teve seu perfil escrito pela sua amiga, a também atriz Meryl Streep, a qual afirmou que os dons de Viola enquanto artistas são “inatacáveis, inegáveis, profundos, ricos e verdadeiros”. A gente não poderia concordar mais, né?

Mas de volta à premiação, que aconteceu na noite de terça-feira (24), a ganhadora do Oscar passou pelo tapete vermelho e compartilhou um conselho que deu à sua própria filha: pare de se desculpar.

“Eu tenho dito para a minha filha ultimamente: pare de se desculpar”, disse Davis. “Acho que nós, mulheres, estamos nesse grande ponto de nossas vidas na história, na qual nós precisamos agarrar o nosso poder e não dá-lo a alguém ou pedir desculpas por ele. E precisamos entender isso em tudo o que fizermos. Nós merecemos estar ali e merecemos ter uma voz”.

Não é raro vermos mulheres se desculpando por coisas que não são culpa delas ou pelo sucesso que conquistaram no trabalho, como se aquilo não fosse algo que elas deveriam se orgulhar. Um exemplo disso aconteceu em 2015, quando Katy Perry foi capa da revista Forbes. A cantora contou, em seguida, que a capa foi oferecida a outras mulheres, as quais não toparam por não quererem parecer metidas ou algo do tipo.

Não há vergonha alguma em ver seu esforço ganhar visibilidade. E é isso o que Viola Davis quer ensinar para sua filha – e para meninas no mundo todo.

No mesmo evento da revista TIME, a atriz também foi convidada a fazer um brinde, e relembrou uma viagem sua a Gâmbia, país que fica no continente africano. Lá, ela conheceu as mulheres da tribo Mandinka, as quais faziam um ritual para que Deus as ouvisse e permitisse a elas que pudessem engravidar, já que poder gerar filhos era a maior benção que uma mulher poderia ter.

“Tenho certeza de que todos que estão aqui hoje, em algum ponto da vida, passaram por algo e sobreviveram. Mas vocês não apenas sobreviveram, mas pegaram o trauma, a dor, a revelação, o que quer que tenha sido, e usaram isso para criar conexão, para dar, influenciar e ajudar. E essa é a beleza e o propósito do que nós estamos nessa Terra para fazer”, disse Viola. “Eu ergo essa taça para todos aqui, todos que decidiram viver uma vida maior do que eles mesmos. A todos que decidiram matar aqueles dragões e disseram: ‘não é apenas sobre mim’. E eu bato palmas para vocês. E eu estou honrada por estar nesse salão com vocês”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *