“This Is Us” poderia ser um seriado sobre a minha vida ou a sua

“This Is Us” poderia ser um seriado sobre a minha vida ou a sua

Depois de muito resistir (assim como resisto a assistir a qualquer seriado), resolvi dar uma chance para “This Is Us”, uma produção do canal de televisão americano NBC. Não pesquisei muito sobre ela, apenas li os comentários feitos no Twitter, e logo percebi que era preciso ter ânimos fortes, pois a série parecia emocionar até os corações mais duros. E ao acabar o primeiro episódio, entendi o motivo.

Para quem ainda não conhece a história, “This Is Us” acompanha quatro histórias diferentes. A primeira é do casal Jack (Milo Ventimiglia) e Rebecca Pearson (Mandy Moore), que estão prestes a ter trigêmeos, mas enfrentam uma gravidez de risco. Em seguida, conhecemos os irmãos Kevin (Justin Hartley) e Kate (Chrissy Metz), cada um deles com suas lutas individuais. Ele é um ator que busca o tempo todo provar que é mais do que apenas um rosto bonito, enquanto ela é uma mulher obesa cheia de complexos por conta de seu peso. E a quarta história é de Randall (Sterling K. Brown), o qual vive uma vida feliz com sua família, mas que depois de mais de 30 anos, resolve ir atrás de seu pai biológico, que o abandonou quando ainda era um bebê.

São histórias diferentes, mas que se cruzam de uma linda e inesperada maneira. Mas o que mais cativa no seriado é o fato de que aquelas poderiam ser as vidas de qualquer um de nós sendo representadas na televisão, pois elas são muito reais. Elas nos lembram que, apesar de cada ser humano ser único, nós ainda estamos conectados um ao outro de alguma maneira.

Cada personagem possui sua própria luta, seja em busca de seu valor, de sua autoestima, de sua origem e até de finalmente aceitar-se como realmente é. Todos precisam tomar difíceis decisões, enfrentar medos e superar obstáculos, ao mesmo tempo em que sorriem, amam e celebram pequenas conquistas. Ou seja, tudo o que qualquer um de nós fora dos holofotes de Hollywood também vive. Jack, Rebecca, Kevin, Kate e Randall poderiam ser qualquer um de nós. E, talvez, até sejam mesmo.

As histórias fazem mesmo qualquer um chorar, mas o seriado não pesa a mão no drama. O trunfo é a identificação que fazemos com aqueles personagens e suas narrativas, que de tão próximas da nossa realidade, acabam tornando-se as nossas mesmas.

“This Is Us” terminou sua primeira temporada recentemente e ainda não está sendo exibida no Brasil.Porém, depois das indicações ao Globo de Ouro, talvez possamos esperar que ela finalmente chegue por aqui. Vamos torcer!