Troye Sivan celebra a luta do movimento LGBT no clipe de “Heaven”

19. janeiro 2017 POP 0
Troye Sivan celebra a luta do movimento LGBT no clipe de “Heaven”

“Sem perder uma parte de mim, como eu vou para o paraíso? Sem mudar uma parte de mim, como eu vou para o paraíso?”

Boto fé que muito LGBT já se fez alguma das duas perguntas que Troye Sivan se faz na canção “Heaven”, presente em seu primeiro álbum, “Blue Neighbourhood”, lançado no final de 2015. A música é sobre o processo de ‘saída do armário’ e aceitação do artista criado na Austrália.

“A pessoa para a qual foi mais difícil me assumir foi para mim mesmo”, ele confessou em vídeo lançado há pouco mais de um ano. “Quando eu comecei a perceber que eu era gay, eu tive de me perguntar todas essas perguntas, que são muito, muito aterrorizantes. ‘Será que eu vou encontrar alguém?’ ‘Eu terei uma família?’ ‘Se existe um Deus, Ele me odeia?’ ‘Se existe o paraíso, será que eu vou chegar até lá?’ Essas eram perguntas assustadoras para um menino de 14 anos. E então, durante o processo, eu construí uma auto-confiança e esse amor-próprio. E aí eu percebi que era gay. Eventualmente, eu cheguei a um ponto no qual eu pensei: ‘se existe um paraíso, mas se eu não puder ser eu mesmo lá, então, talvez, eu não queira o paraíso”.

É uma das faixas mais bonitas do seu disco de estreia, justamente pelo seu conteúdo pessoal. E ela acaba de ganhar um clipe, lançado hoje (19), que mostra as lutas do movimento LGBT, bem como Troye sendo abraçado por um rapaz, o qual não tem seu rosto mostrado.

Filmado em preto e branco, o vídeo foi dirigido por Luke Gilford, que já fotografou o cantor para a revista Out Magazine. À publicação, ele contou que escrever “Heaven” foi terapêutico, pois o forçou a refletir sobre o conflito entre sua religião (ele foi criado em uma família de judeus) e sua sexualidade.

“Eu estava pensando sobre como eu tento ser uma boa pessoa e então sentir que, mesmo antes de eu abrir meus olhos quando era um bebê – porque eu acredito que eu nasci gay – , eu era um pecador. Essas são conversas bem confusas e dolorosas que você tem consigo mesmo quando é LGBT”.

E o vídeo sai um dia antes da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, o qual possui uma equipe formada por pessoas contrárias aos direitos LGBT. O vice-presidente, Mike Pence, já disse que é contrário ao casamento entre pessoas do mesmo gênero e se opôs a uma lei que proibia a discriminação contra gays, lésbicas, bissexuais e pessoas trans no ambiente de trabalho.

Ou seja, a mensagem é clara: por mais que muito tenha sido conquistado em relação aos direitos LGBT, a luta precisa continuar.