Tim Cook, CEO da Apple, assume homossexualidade

30. outubro 2014 Internet 2
Tim Cook, CEO da Apple, assume homossexualidade

Tim Cook, CEO de uma das maiores empresas do mundo, a Apple, assumiu sua homossexualidade em um texto para a Bloomberg BusinessWeek. Nele, Cook admite que nunca escondeu sua orientação sexual, mas também nunca a escancarou publicamente. “Tenho orgulho em ser gay, e acho que ser gay foi um dos maiores dons que Deus me deu”, escreveu.

O texto, divulgado hoje (30), foi escrito em primeira pessoa. Tim Cook cita Martin Luther King, ativista político estadunidense, que lutava pelos direitos das pessoas negras, para explicar o motivo para dividir com o mundo sua sexualidade, dizendo “Ao mesmo tempo, eu acredito profundamente, nas palavras de Martin Luther King, que disse ‘A questão mais persistente e urgente da vida é, ‘O que você está fazendo pelos outros?’ Eu me desafio constantemente com essa questão,  eu percebi que o meu desejo por privacidade me segurou para não fazer algo mais importante. Isso foi o que me trouxe até aqui hoje”.

tim-cook-big

Cook disse ainda que ser gay o ajudou a ter uma visão mais aprofundada em relação às minorias. “Ser gay fez-me compreender, de uma maneira profunda, o que significa pertencer a uma minoria e permitiu-me vislumbrar os desafios diários que outras minorias enfrentam. Tornou-me numa pessoa mais empática, o que enriqueceu a minha vida. Por vezes, foi difícil e desagradável, mas deu-me a confiança para ser eu mesmo, para seguir o meu caminho e para levantar a cabeça perante as adversidades e a intolerância”.

No artigo, Cook espera inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo. “Se  ouvir que o CEO da Apple é gay pode ajudar alguém que está lutando para chegar a um acordo com quem ele ou ela é, ou trazer conforto a alguém que está se sentindo sozinho, ou inspirar pessoas a insistirem pela igualdade, então a troca da minha privacidade terá valido a pena”, conta.

A homossexualidade de Tim Cook já vinha sendo especulada há algum tempo, mas somente agora o homem número 1 da Apple resolveu se abrir sobre sua sexualidade.