“The Good Doctor”, série que entrou para o catálogo do Globoplay nessa semana, merece ser assistida

22. agosto 2018 Televisão 0
“The Good Doctor”, série que entrou para o catálogo do Globoplay nessa semana, merece ser assistida

Até a semana passada, o serviço de streaming da Rede Globo só contava com as produções da própria emissora em seu catálogo, mas as coisas mudaram a partir do dia 22, com a chegada da 1ª temporada completa da série norte-americana, transmitida originalmente pelo canal ABC, “The Good Doctor”.

O programa é inédito no Brasil e chega com total exclusividade pelo Globoplay. Essa faz parte da nova estratégia do canal, que quer fortalecer seu serviço de streaming. “A missão do Globoplay é entregar o que há de melhor sempre, levando grandes histórias ao público. Estamos trazendo produções reconhecidas no mundo, a começar com ‘The Good Doctor’. Nosso intuito é reunir estas produções de prestígio internacional com o conteúdo incomparável dos Estúdios Globo, que tem qualidade indiscutível”, afirma Bianca Serra, Head de Conteúdo do Globoplay.

Mas sobre o que se trata “The Good Doctor”? A série tem como protagonista o doutor Shaun Murphy, um jovem cirurgião com síndrome de Savant, que se junta à unidade cirúrgica de um hospital de prestígio. Sozinho no mundo e incapaz de se conectar pessoalmente com aqueles que estão à sua volta, Shaun usa seus dons médicos extraordinários para conquistar seus colegas e salvar as vidas dos pacientes.

É interessante que em um momento, no qual tanto necessitamos e pedimos por representatividade, inclusive de pessoas com algum tipo de distúrbio psíquico, essa série chegue ao Brasil. A síndrome de Savant, distúrbio que é retratado na série, faz a pessoa ter sérias dificuldades em se comunicar, compreender o que lhe é transmitido e estabelecer relações interpessoais. No entanto, o indivíduo pode ter inúmeros talentos, principalmente ligados à sua extraordinária memória. É esse último ponto que faz o doutor Shaun Murphy ser um excelente cirurgião. Mas a série não exita em mostrar todo o preconceito sofrido pelo protagonista, o qual precisa se provar diariamente para os colegas de hospital. Além disso, conhecemos a infância do protagonista em flashbacks, e como ele era incompreendido pelos pais, algo muito comum entre pessoas com algum tipo de síndrome.

A série tem nomes conhecidos em sua criação: David Shore, que também estava por trás da série “House”, é o criador de “The Good Doctor”. Inclusive, as séries apresentam características bem parecidas: um médico incompreendido pela maioria dos colegas, mas que é um gênio e resolve os mais difíceis casos, além de termos médicos dificílimos sendo explicados de forma didática para o público, muitas vezes até mesmo visualmente, através de diagramas na tela.

Outro nome conhecido na produção é Freddie Highmore, o intérprete do Dr. Shaun. O ator acabou de vir de outra série de sucesso, “Bates Motel”, em que também interpretava um personagem forte e marcante, Norman Bates. Aqui, Freddie mostra que é um bom ator (não é à toa que ele brilha desde pequenininho, quando protagonizou a versão mais recente de “A Fantástica Fábrica de Chocolate”), dominando totalmente esse novo personagem e mostrando que estudou realmente a Síndrome de Savant. Vale dizer também que o ator já foi indicado ao Globo de Ouro na categoria de Melhor Ator em Série Dramática por esse primeiro ano de “The Good Doctor”.

Os 18 episódios dessa série que foi um dos maiores sucessos da TV aberta americana no último ano já estão disponíveis no Globoplay. Mas se você ficou curioso, pode assistir na próxima segunda-feira, dia 27 de agosto, os dois primeiros episódios de “The Good Doctor” na Rede Globo. Em uma estratégia inédita, a emissora irá transmitir o início da série na Tela Quente, em formato de um filme.

“The Good Doctor” é uma série médica inspiradora e gostosa de ser assistida, trazendo um olhar de representatividade para a questão da Síndrome de Savant, mostrando as dificuldades e preconceitos sofridos por uma pessoa portadora dessa síndrome. Vale a pena dar o play!