Taylor Swift faz bonito discurso sobre o mês do Orgulho LGBTQ e prova que é mesmo uma fada

04. junho 2018 POP 0
Taylor Swift faz bonito discurso sobre o mês do Orgulho LGBTQ e prova que é mesmo uma fada

Em 2014, Taylor Swift proclamou em “Welcome to New York” que “você pode querer quem quiser, meninos e meninos e meninas e meninas”. Já em 2018, ela foi um pouquinho mais longe, fazendo um discurso “a todos que foram corajosos ao serem honestos sobre a forma como se sentem, por viverem suas vidas como são, como sentem que ela deve ser, como se identificam”.

Essas foram parte das palavras que a artista deu em meio ao show realizado em Chicago no último sábado (2). Como junho marca o mês do Orgulho LGBTQ+, a cantora aproveitou o momento no palco da Reputation Tour para falar sobre seus fãs e pessoas que se identificam como lésbicas, gays, bissexuais, trans e queer. Enquanto elogiava quem consegue viver sua vida livremente, ela ainda lembrou que “ainda há muito para ser feito”.

“É muito corajoso ser vulnerável sobre seus sentimentos em qualquer maneira e situação”, ela começou. “Mas é ainda mais corajoso ser honesto com seus sentimentos e quem você ama, mesmo sabendo que isso talvez encontre adversidade pela sociedade”. 

“Por isso, neste mês e em todos os meses, eu quero enviar o meu amor e respeito a todos que foram corajosos ao serem honestos sobre a forma como se sentem, por viverem suas vidas como são, como sentem que ela deve ser, como se identificam”, ela continuou. “E nesse mês, eu acho que precisamos celebrar o quanto conquistamos, mas também precisamos reconhecer o quanto ainda precisa ser feito. E eu quero enviar meu amor e respeito a todos que, em suas jornadas, ainda não se sentiram confortáveis para se assumirem e talvez façam isso no seu próprio tempo. Que nós tenhamos um mundo onde todos possam viver e amar igualmente, e ninguém mais precise ter medo de ser vulnerável e dizer o que sente. Quando se trata de sentimentos e quando se trata de amor e buscar alguém para passar o resto da sua vida… Tudo isso é muito delicado, sabe?”

Em seguida, ela emendou a música “Delicate”, mais recente single da era “Reputation”.

Essa não foi a primeira vez que Taylor Swift demonstrou seu apoio e carinho à comunidade LGBTQ. Além do show em Chicago e dos versos fofos em “Welcome to New York”, ela comemorou a aprovação do casamento igualitário nos Estados Unidos, em 2015. “Não é mais ‘casamento gay’ – é só casamento agora”.

Também neste ano, ela defendeu Hayley Kiyoko, cantora assumidamente lésbica, que reclamou para o site Refinery29 que executivos do mundo musical não queriam vê-la fazer mais música sobre garotas. Hayley rebateu dizendo que Taylor sempre escreve sobre ex-namorados e ninguém a acusa de ser menos original. O comentário foi muito criticado por fãs de Swift, que por sua vez se manifestou a favor de Kiyoko.

“Nós deveríamos aplaudir os artistas que são corajosos o suficiente para contar sua narrativa romântica honesta por meio de sua arte, e o fato é que eu nunca sofri homofobia e ela já. É direito dela falar sobre qualquer um que trate diferente o interesse amoroso gay e heterossexual”, escreveu a cantora e compositora no Instagram.

Alguns podem criticá-la por não atuar pela causa LGBTQ+ como fazem Lady Gaga, Madonna ou Miley Cyrus, mas ao menos Taylor deixa claro que é a favor da igualdade para todos. E essa é uma mensagem que todos nós podemos e devemos apoiar.