Taís Araújo leva o feminismo para a série “Mister Brau” da Rede Globo

Taís Araújo leva o feminismo para a série “Mister Brau” da Rede Globo

No episódio desta semana de “Mister Brau”, série protagonizada pelo casal da vida real Lázaro Ramos e Taís Araújo, foi levantado um debate necessário sobre feminismo e racismo. Transmitido pela Rede Globo, o seriado trouxe a personagem de Taís, Michele, falando com estudantes de uma escola sobre duas questões ainda sem grande discussão na televisão aberta.

“Vou dar uma palestra sobre o que é ser mulher negra num país como o Brasil”, avisa Michele ao seu marido na ficção e fora dela. “Numa escola pública. Falar sobre um assunto importantíssimo no lugar certo e no momento apropriado.”

A seguir, ela surge no pátio de uma escola, em frente a um grupo de estudantes, a maioria composta por meninas negras. E é aí que Taís diz:

“Nas histórias que contam para a gente, as pessoas estão divididas em dois tipos: homens e mulheres. E esses dois tipos estão divididos em duas cores: brancos e negros. Só que, geralmente, as nossas histórias são contadas por homens brancos. Então, ser mulher e negra, é lembrar o tempo todo que cada pessoa tem o seu próprio desejo, tem sua própria cor… É lutar, cada uma de nós aqui, para que a gente conte as nossas histórias.”

Em seguida, ela abre a conversa para perguntas. Uma garota questiona o motivo para que homens sejam considerados ‘bacanas’ por ‘pegarem’ várias meninas, enquanto as meninas são consideradas ‘piranhas’. Uma outra pergunta por que a responsabilidade pela criação dos filhos parece recair somente sobre as mulheres.

“Sabe qual o nome disso? Machismo. E é esse machismo que diz que o responsável pelo filho é a mãe. Que o pai e o menino não têm nada a ver com o filho, quando na verdade têm tudo a ver, porque o filho é fruto do amor desses dois.”

Uma menina a interrompe para dizer que “os meninos só querem saber de sexo, eles não querem falar de amor.”

“Sexo e amor são coisas completamente diferentes. São ótimos os dois, se juntos, melhor ainda. Mas vocês são jovens demais. Um filho cedo pode complicar a vida, os estudos, a profissão de vocês. Tem que ser uma atitude muito pensada pelas garotas e pelos garotos também. Okay, garotos?”

Foi uma cena bem rápida, mas que possibilita uma conversa importante sobre a situação das mulheres, especialmente as negras, no Brasil. Elas são a maioria das vítimas em casos de violência doméstica, recebem salários muito menores do que homens brancos e ainda são a maioria das mortes por aborto.

Nas redes sociais, Taís Araújo agradeceu os comentários do público que assistiu ao episódio de “Mister Brau”.

A atriz postou um vídeo com a cena em sua página do Facebook, o qual recebeu, até o fechamento desse post, mais de 470 compartilhamentos, mais de 8,8 mil reações e 320 comentários, a maioria elogiando a postura de Taís em em levar debates importantes para a TV aberta.

Aliás, em suas redes sociais, a artista se manifesta por diversas causas, entre elas o fim da homofobia, do machismo e do racismo. É através da internet que Taís promove o trabalho de ‘mulheres que inspiram’, como ela as define, opina sobre a situação política do país e fala sobre o preconceito racial no Brasil.

Vítima de ataques racistas no final do ano passado, ela denunciou os agressores e pediu para que outras pessoas fizessem o mesmo em situações similares. “Quero que esse episódio sirva de exemplo: sempre que você encontrar qualquer forma de discriminação, denuncie. Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes. Só assim vamos construir um Brasil mais civilizado.”

Taís já pode incluir outra mulher em sua lista de mulheres inspiradoras: ela mesma!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *