Para não perder a fé: as boas vitórias que vieram das eleições 2018

08. outubro 2018 Internet 0
Para não perder a fé: as boas vitórias que vieram das eleições 2018

Os resultados das eleições 2018 já saíram e deixaram muita gente entristecida. Por exemplo, segundo reportagem do G1, neste ano, 30 mulheres concorreram ao cargo de governador, mas nenhuma foi eleita no primeiro turno – e apenas uma concorre no segundo: Fátima Bezerra, do PT, no Rio Grande do Norte. Se ela não for eleita, será a primeira vez desde 1990 que o Brasil não terá nenhuma mulher governadora.

Além disso, candidatos como Janaína Paschoal (PSL) e Eduardo Bolsonaro, ambos do mesmo partido do candidato à presidência Jair Bolsonaro, foram eleitos com uma quantidade expressiva de votos. Não só eles, vários candidatos conservadores conquistaram muito espaço no Legislativo, e ainda teremos um segundo turno entre Bolsonaro e Haddad para o cargo mais importante do Executivo nacional.

Ou seja, é um cenário pouco favorável para a ampliação e garantia dos direitos humanos no país. Ainda assim, há o que ser comemorado. Para não perder a fé, a seguir você confere coisas boas que vieram dessas eleições:

Três candidatas trans foram eleitas

Ontem, São Paulo elegeu sua primeira deputada estadual trans: Erica Malunguinho da Silva, do PSOL, com 54,4 mil votos. Ela é a primeira pessoa trans a conseguir uma vaga na Assembleia Legislativa Paulista. 

Erika Hilton, que integra a Bancada Ativista do PSOL, foi outra trans a ser eleita em São Paulo. A Bancada Ativista possui 9 integrantes, de diferentes causas, e fará um mandato coletivo e participativo, como descreve o site do movimento.

Em Pernambuco, o Juntas (PSOL) elegeu 5 mulheres para o cargo de deputada estadual. Entre elas, está a advogada trans Robeyoncé Lima, eleita com 38 mil votos, que se juntou a Carol Vergolino, Jô Cavalcanti, Kátia Cunha e Joelma Carla para a candidatura. No ano passado, Robeyoncé Lima tornou-se a primeira advogada trans do norte-nordeste a conquistar nome social.

Primeira mulher indígena eleita

Joênia Wapichana, do REDE, tornou-se a primeira mulher indígena a ser eleita para a Câmara dos Deputados, recebendo 8.267 votos em Roraima. Com a vitória, ela se torna a segunda indígena a ocupar o cargo: o primeiro foi Mário Juruna, em 1982.

Primeira negra eleita como deputada estadual pela Bahia em 20 anos

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Olívia Santana (@oliviasantana_oficial) em

O Estado mais negro do Brasil elegeu sua primeira deputada estadual negra em 20 anos: Olívia Santana, do PCDdoB, foi eleita na Bahia, com 55 mil votos.

PSOL vai crescer em 2019

[ATUALIZAÇÃO: Douglas Belchior (SP) não conseguiu ser eleito, como o próprio indicou pelo Facebook]

Um dos partidos mais progressistas e atuantes pelos direitos humanos, o PSOL aumentou sua bancada no Congresso: de 6, foram 10 candidatos eleitos. Sâmia Bonfim (SP), Luiza Erundina (SP), Ivan Valente (SP), Marcelo Freixo (RJ), Talíria Petrone (RJ), Glauber Braga (RJ), Jean Wyllys (RJ), Edmilson Rodrigues (PA), Fernanda Melchionna (RS) e Áurea Carolina (MG) foram os escolhidos pelo povo nas urnas.

Senador gay pelo Espírito Santo

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Fabiano Contarato – 181 (@fabianocontarato) em

O Espírito Santo elegeu no domingo o senador Fabiano Contarato, que é gay, casado e pai de duas crianças. Fabiano é do partido REDE e recebeu 1.117.036 votos.

Primeiro deputado da Câmara Legislativa assumidamente LGBT no Distrito Federal

Fábio Felix, do PSOL, foi eleito com 10.955 votos. Ele é o primeiro deputado assumidamente gay a conquistar uma vaga na  Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Esse post será atualizado, caso novidades boas na política brasileira apareçam.