O filme dos “Power Rangers” terá uma personagem LGBT entre os super-heróis

21. março 2017 Cinema 0
O filme dos “Power Rangers” terá uma personagem LGBT entre os super-heróis

Quem diria que o filme dos “Power Rangers” seria o primeiro a apresentar uma super-heroína LGBT do cinema? Tanto a Marvel quanto a DC Comics deixaram de levar para as telonas a história de um personagem abertamente LGBT de seus quadrinhos, o que fez com que os fãs das gigantes do entretenimento fizessem campanhas na internet por um super-herói lésbica/gay/bissexual/trans em suas futuras produções.

Mas como os pedidos (ainda) não foram ouvidos, os “Power Rangers” vêm para preencher essa lacuna. No filme da Lionsgate, Trini (Becky G), a Ranger Amarela, estará em processo de descoberta de sua orientação sexual (ainda não se sabe se ela é bissexual ou lésbica).

Segundo a revista The Hollywood Reporter, que deu a notícia, “um personagem assumirá que ela tem ‘problemas com um namorado’, e logo perceberá que, talvez, ela esteja com ‘problemas com a namorada’. É uma cena pequena, mas que o diretor Dean Israelite considera ‘fundamental’ para o filme todo”.

“Trini está questionando muito quem ela é. Ela ainda não se descobriu totalmente”, disse o cineasta à publicação. “O que eu acho legal sobre essa cena e o que ela transmite pelo resto do filme é que está tudo bem. O filme está dizendo que está tudo bem e que todos os jovens precisam entender quem são e encontrar sua tribo”.

A Hollywood Reporter recorda que há personagens LGBT nos quadrinhos da DC e da Marvel (como a “Mulher Maravilha”, a “Harley Quinn” e “Homem de Gelo”), mas suas orientações sexuais, quando levadas para o cinema, são apagadas e todos são representados como heterossexuais.

Talvez alguém argumente que “Deadpool”, o super-herói da Marvel que fez sucesso no ano passado, seja abertamente pansexual. Embora isso seja verdade, o personagem não é visto tendo experiências homossexuais ou com pessoas com diferentes identidades de gênero em seu filme. Isso não invalida a orientação sexual do super-herói, obviamente, mas também não muda o fato de que ele segue a velha linha cisgênera e heterossexual desse gênero cinematográfico.

A Ranger Amarela surge logo após a Disney apresentar um personagem homossexual em uma de suas produções: LeFou (Josh Gad), de “A Bela e a Fera”. No ano passado, a empresa do Mickey Mouse foi criticada por não apresentar qualquer personagem LGBT em seus longa-metragens.

Aparentemente, ela parece querer dar passos na direção da diversidade, um movimento que além de positivo para a representação LGBT, ainda se mostrou bem lucrativo. Mesmo com a Rússia dando uma classificação etária adulta para o filme e o longa-metragem ter sua estreia adiada na Malásia, o live-action de “A Bela e a Fera” arrecadou US$ 350 milhões de bilheteria no mundo todo.

Talvez as pessoas estejam mais abertas para ver personagens LGBT nos cinemas. E é bom que os estúdios percebam isso logo.

“Power Rangers” chega aos cinemas no dia 23 de março.