Esta cena deletada de “O Diabo Veste Prada” não faz qualquer sentido com o restante do filme

31. agosto 2017 Cinema 0
Esta cena deletada de “O Diabo Veste Prada” não faz qualquer sentido com o restante do filme

Já faz mais de dez anos desde o lançamento de “O Diabo Veste Prada”, filme que se tornou um clássico do cinema, e traz Anne Hathaway no papel de Andy, uma jornalista que aceita trabalhar como assistente da temível Miranda Priestly (Meryl Streep), editora-chefe da revista Runway. Ao seu lado está a irritante e adorável Emily (Emily Blunt), que não torna o trabalho de sua colega nenhum pouco fácil.

O longa é uma obra-prima do cinema, especialmente por conta da personagem de Meryl Streep, que interpreta uma mulher dura e controladora, cujo jeito baixo de falar, quase um sussurro, aterroriza todos à sua volta. Miranda não é fácil de lidar, mas você simplesmente não consegue se desligar dela. O único momento em que ela demonstra fragilidade, acontece perto do final da produção, quando seu marido pede o divórcio a ela durante a Semana de Moda de Paris.

Contudo, uma cena deletada de “O Diabo Veste Prada”, que voltou a circular nessa semana (ela está disponível desde 2015 no Youtube), mostra um lado da vida da editora-chefe que faz o filme ganhar um novo e inesperado sentido. Ela se passa durante o jantar beneficente, aquele em que Andy precisa participar em vez de ir ao aniversário do seu namorado (que acredita que o seu aniversário é mais importante do que a carreira dela).

Um dos repórteres do Buzzfeed encontrou o vídeo da sequência em questão e o publicou no Twitter, escrevendo: “acabei de ver essa cena deletada de ‘O Diabo Veste Prada’ pela primeira vez. E, honestamente, ela mudou todo o filme para mim”.

Sem mais demora, vamos à cena: Andy está entediada e ansiosa para sair logo do evento e encontrar seu namorado. Bem diferente do que a personagem faria de verdade, Emily diz para sua colega ir embora, pois ela dá conta da ajudar Miranda sozinha. Mas no segundo em que vira as costas, o marido de sua chefe aparece, fazendo reclamações à esposa, que corre para tentar controlá-lo, mas sem perder a pose.

“Três pessoas não me reconheceram, uma me chamou de sr. Priestly, e agora pouco o bartender se negou a me servir”, diz. Em seguida, ele vira para Irv Ravitz, chefe de Miranda. “Por que você não pega uma bebida para mim? Ele deve ouvir você, não é, cara pequeno?”

Nesse momento, Andy vai até Irv e faz uma pergunta sobre um antigo editor da Runway, o que distrai o empresário e faz com que Miranda consiga tirar seu marido dali. Por cima do ombro dele, ela diz à sua assistente um gentil “obrigado”, o que, convenhamos, jamais seria algo que a editora-chefe diria.

Faz sentido que a cena tenha sido deletada, afinal de contas. Embora ela ofereça novas nuances à personagem de Meryl Streep (uma mulher poderosa casada com um homem que não entende sua profissão e parece pouco se importar com a imagem dela), a sequência destoa totalmente de “O Diabo Veste Prada”. 

Como dito anteriormente, grande parte do charme do filme vem justamente da relação entre a doce Andy e a dura Miranda, na qual a primeira se ajusta ao jeito difícil de sua chefe e acaba conquistando-a. O motivo pelo qual essa cena chegou a existir é um mistério, mas ainda bem que foi deletada.