O calendário Pirelli 2018 destaca a beleza negra em toda sua glória

26. julho 2017 Estilo 0
O calendário Pirelli 2018 destaca a beleza negra em toda sua glória

Do que depender do novo calendário da Pirelli, 2018 será uma viagem ao país das maravilhas.

Na semana passada, a empresa italiana liberou o tema para o seu tradicional calendário, que tem como tema o famoso livro escrito por Lewis Carroll, transformado em animação pela Disney em 1951: “Alice no País das Maravilhas”.

Contudo, há uma bonita mudança: todos os artistas convidados para o ensaio fotográfico são negros. Se um dia você se pegou imaginando como seria um mundo de fantasia, povoado apenas por pessoas negras, você enfim pode vê-lo. E alerta de spoiler: tudo é lindo, como você podia esperar.

A modelo sudanesa e australiana Duckie Thot, conhecida por sua aparência de boneca Barbie, ficou responsável por interpretar a curiosa Alice na sessão de fotos. Já RuPaul, apresentador do reality show “RuPaul’s Drag Race”, ganhou o papel apropriado de Rainha de Copas.

E se você quer mais nomes de peso do cinema, da música e das passarelas, também estão no elenco: Naomi Campbell, Adwoa Aboah, Thando Hopa, Lupita Nyong’o, Djimon Hounsou, o rapper Diddy, Whoopi Goldberg, Adut Akech, Alpha Dia, King Owusu, Lil Yachty, Sasha Lane, Wilson Oryema e Zoe Bedeaux.

As imagens foram feitas pelo fotógrafo Tim Walker, famoso por brincar com elementos lúdicos e de contos de fadas em seus trabalhos.

O figurino do ensaio foi feito por ninguém menos que Edward Enninful, o primeiro editor-chefe da Vogue britânica em mais de 100 de história da publicação. Em entrevista ao jornal The New York Times, Enninful explicou que o objetivo do ensaio é desafiar estereótipos envolvendo raça, além de torná-lo um símbolo cultural para a época em que vivemos.

“A inclusão faz mais parte da conversa do que jamais fez antes, mas isso vai além de preto e branco”, afirmou. “É sobre todos os credos, cores, tamanhos e pessoas vivendo suas verdades. Muito disso é sobre a internet dar voz às pessoas, e a uma nova geração que se recusa a ceder e que quer respostas para questões que importam para elas. Dado ao estado do mundo hoje, às vezes, acho que todos nós sentimos como se tivéssemos caído na toca do coelho. Para mim, recontar ‘Alice’ para o mundo moderno foi um projeto perfeito, particularmente por conta desse elenco”.

Esse novo calendário da Pirelli continua seguindo uma nova direção. Se entre 1964 e 2014, apenas modelos magras e usando poucas roupas tinham espaço na folhinha, desde 2015, a marca tem buscado um novo direcionamento. Há dois anos, a iniciativa apresentou mulheres fortes e de diferentes profissões (como a tenista Serena Williams, a diretora Ava DuVernay e a atriz Amy Schumer). Em 2016, foi a vez de grandes artistas do cinema serem fotografadas, mas sem retoques digitais em suas imagens.

Em 2017, foi a vez de artistas negros serem destacados. E se você achou que a ideia de “Alice” veio da Pirelli, o fotógrafo Tim Walker revela que, na verdade, foi algo pensado por ele.

“A história da Alice foi contada muitas vezes e de diversas formas, mas sempre com um elenco branco”, contou Tim ao New York Times. “Nunca houve uma Alice negra. Por isso, eu quis avançar no modo como figuras fictícias podem ser representadas e explorar ideias em evolução de beleza”.

E a julgar pelas imagens, é seguro dizer que o mundo de “Alice no País das Maravilhas” nunca foi tão bem representado.

H/T: Mic.com

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *