A Mulher-Maravilha não é mais Embaixadora da ONU

13. dezembro 2016 Internet 0
A Mulher-Maravilha não é mais Embaixadora da ONU

Em outubro, foi anunciado que a “Mulher-Maravilha”, super-heroína da DC Comics, seria a nova Embaixadora Honorária da ONU para o empoderamento de meninas e mulheres. Ela foi escolhida, segundo a organização, por ser um “símbolo da paz, justiça e igualdade”.

Contudo, a decisão da Organização das Nações Unidas não foi feita sem críticas: durante a cerimônia em que a “Mulher-Maravilha” recebeu a nomeação, membros da ONU viraram as costas como forma de protesto. Segundo afirmaram, a escolha era ‘ridícula’, pois “há tantas mulheres muito reais que poderiam ter sido eleitas”.

Não foi a primeira vez que a organização optou por personagens fictícios em suas campanhas. Em março deste ano, por exemplo, os pássaros de “Angry Birds” participaram de uma iniciativa de combate às mudanças climáticas. Porém, aparentemente, a “Mulher-Maravilha” realmente incomodou, e acabou perdendo seu posto de embaixadora.

A notícia foi confirmada por um porta-voz para a Reuters, que não explicou o motivo para o cancelamento, mas acrescentou que as ações envolvendo personagens fictícios não costumam durar tanto tempo. Contudo, a motivação pode ter vindo por conta de uma petição online, a qual conta com mais de 44 mil assinaturas, e pede à ONU para retirar a “Mulher-Maravilha” do programa.

“Embora os criadores originais tenham pretendido que a ‘Mulher-Maravilha’ representasse uma ‘guerreira’ forte e independente com uma mensagem feminista, a realidade é que a atual iteração da personagem é de uma mulher branca, com seios grandes, de proporções impossíveis, vestida em um uniforme justo, curto e brilhante, com uma bandeira dos Estados Unidos e botas altas – o epítome da garota ‘pin-up’. Essa é a personagem que as Nações Unidas escolheram para representar uma questão global importante: de igualdade de gênero e empoderamento de mulheres e meninas”, diz a petição.

Segundo o mesmo porta-voz da ONU, a campanha com a super-heroína vai acabar nesta sexta-feira, o que contraria os planos de que ela seria utilizada em campanhas durante 2017.

A honraria foi dada à “Mulher-Maravilha” no ano em que ela completou 75 anos de criação. Um quadrinho especial da personagem sobre empoderamento feminino ainda será lançado no que vem, e o filme da heroína chegará aos cinemas em junho de 2017, protagonizado por Gal Gadot.