Mulher do Ano, Madonna discursa sobre desigualdade de gênero em premiação

10. dezembro 2016 Famosos 0
Mulher do Ano, Madonna discursa sobre desigualdade de gênero em premiação

Madonna pode ser considerada a ‘Mulher do Ano’ há mais de três décadas, mas foi em 2016 que a revista Billboard resolveu reconhecê-la como tal no evento ‘Mulheres na Música’, realizado ontem, 9, na cidade de Nova York.

Ao receber seu prêmio, a rainha do pop discursou sobre as dificuldades que teve para fazer sucesso, além de chamar a atenção para o machismo na sociedade e na indústria musical.

“Estou na frente de vocês como um capacho. Oh, quero dizer, uma artista feminina”, começou. “Obrigada por reconhecerem minha habilidade de continuar minha carreira por 34 anos diante de machismo e misoginia explícitos, de bullying constante e abuso sem fim”.

Foi então que Madonna recordou quando se mudou para a cidade de Nova York para começar sua carreira.

“As pessoas estavam morrendo de AIDS em todos os lugares. Não era seguro ser gay, não era legal ser associada à comunidade gay”, disse. “Era 1979 e Nova York era um lugar assustador. No primeiro ano, eu fui roubada a mão armada, estuprada em um telhado com uma faca no meu pescoço e meu apartamento foi invadido e roubado tantas vezes, que eu parei de trancar a porta. Nos anos seguintes, eu perdi quase todos os amigos que eu tinha para a AIDS, drogas ou disparos. Como vocês podem imaginar, esses eventos não só me ajudaram a me tornar a mulher ousada que está de pé aqui, como também me lembram de como eu sou vulnerável. Na vida, não há segurança de verdade, exceto por acreditar em si mesmo”.

A voz de “Vogue” continuou, lembrando de um de seus ídolos, David Bowie, que morreu no começo do ano. Inspirada por ele, ela acreditava que não havia regras, exceto “se você for uma mulher”.

“Obviamente eu fui inspirada pela Debbie Harry, Chrissie Hynde e Aretha Franklin, mas meu ‘muso’ de verdade era o David Bowie. Ele incorporava o espírito masculino e feminino, e aquilo se encaixa a mim muito bem. Ele me fez acreditar que não existiam regras. Mas eu estava errada. Não há regras, caso você seja um homem. Há regras se você for uma mulher”, recordou. “Se você for uma mulher, você precisa jogar o jogo. É permitido que você seja bonita, meiga e sexy. Mas não pode ser muito esperta. Não tenha uma opinião que está fora do status quo. Você pode ser objetificada pelos homens e se vestir como uma vadia, mas não pode assumir sua ‘vadiagem’. E não, eu repito não, compartilhe suas próprias fantasias sexuais com o mundo. Seja o que os homens querem que você seja, mas mais importante, seja o que as mulheres se sintam confortáveis com você sendo ao redor de outros homens. E, finalmente, não envelheça. Porque a idade é um pecado. Você será criticada e vilipendiada e definitivamente não vai tocar na rádio.”

Madonna então recordou do do álbum “Erotica” e do livro “Sex”, lançados há 23 anos. Por conta do conteúdo, a cantora disse ter sido chamada de “bruxa e vagabunda”, sendo comparada até com o diabo.

“Eu pensei: ‘espera aí. O Prince não está por aí com salto alto, batom e com a bunda de fora?’ Sim, ele estava. Mas ele era homem. Foi a primeira vez que eu entendi que as mulheres não tinham as mesmas liberdades dos homens. Acho que a coisa mais polêmica que já fiz foi resistir. Michael [Jackson] se foi. Tupac se foi. Prince se foi. Whitney [Houston] se foi. Amy Winehouse se foi. David Bowie se foi. Mas eu ainda estou aqui. Sou uma das sortudas e todos os dias agradeço minhas bençãos”.

Perto do fim do discurso, a artista agradeceu a todos que “duvidaram, fizeram um inferno comigo e disseram que eu não podia, que não conseguiria e não deveria”, acrescentando que foi isso o que a fez resistir, ser mais forte e a lutadora que é hoje. E concluiu com um conselho às mulheres:

“As mulheres foram oprimidas por tanto tempo, que elas acreditam no que os homens dizem sobre elas. Elas acreditam que precisam do apoio de um homem para realizar um trabalho. E há alguns homens bons por aí, que valem a pena apoiar, mas não porque são homens: porque eles têm valor. Enquanto mulheres, nós precisamos começar a apreciar nosso próprio valor e o das outras. Procure por mulheres fortes para que sejam amigas, se una a elas, para aprender, colaborar, se inspirar, apoiar e se iluminar”.

https://www.instagram.com/p/BN0B7NjBsl0/?taken-by=madonna

 

Tags: