O Mercado Livre fez uma campanha fofa para o Dia das Mães com uma garota que tem duas mães

O Mercado Livre fez uma campanha fofa para o Dia das Mães com uma garota que tem duas mães

O Dia das Mães está próximo, então, nada mais natural para a publicidade do que os comerciais e anúncios para a data. O Mercado Livre, empresa de comércio eletrônico, já colocou na internet a sua campanha – e ela promete derreter corações.

Para comemorar a data (e estimular as vendas), a companhia fez quatro vídeos com jovens presenteando suas mães. O interessante da campanha é que ela foge do lugar comum reservado às figuras maternas. Em vez do clichê da mãe zelosa e que sonha em ganhar produtos para a casa, o Mercado Livre preferiu apostar em mensagens que se alinham com os tempos de hoje.

Uma delas vem no vídeo da menina Sophia, que deixa todos seus amigos confusos ao fazer comentários opostos sobre sua mãe. Ao colocar um disco para dançar com as amigas, ela diz que sua mãe ama a banda que está tocando, para depois dizer que a mãe prefere algo mais calmo. Em seguida, em um restaurante, ela conta que a mãe está numa fase “mais light”, sem comer alimentos gordurosos, mas depois diz que a mãe prefere coisas mais fáceis de cozinhar ou pedir pelo delivery, como uma boa pizza. Numa praça, ela vê uma moça caminhando com uma bota que é a cara da mãe dela, mas depois diz que a mãe prefere uma rasteirinha mais confortável.

Os comentários deixam os amigos quebrando a cabeça, mas logo entendemos (ou se você não entendeu até aqui, agora fica mais fácil): Sophia é filha de um casal de mulheres. Ao final do comercial, ela dá presentes para as duas, terminando com um abraço e um sonoro: “amo vocês, mães”. 

É muito positivo que uma marca esteja disposta a tratar famílias formadas por pais ou mães LGBTs de uma maneira tão natural. Muitas empresas evitam apresentar lésbicas, gays, bissexuais ou pessoas trans em suas campanhas, com medo dos possíveis comentários negativos e/ou pedidos boicotes, o que torna a iniciativa do Mercado Livre motivo de aplauso.

Mas esse não é o único vídeo da campanha de Dia das Mães da companhia que merece destaque. Os outros três também trazem novas perspectivas às famílias e às mães. No vídeo de Aninha, ela se gaba de ser igual à mãe. Ao final, conhecemos a mãe dela, que é uma mulher negra, e entendemos que ela é adotada. Porém, isso não a impede de possuir as mesmas características da mãe. As diferenças físicas entre elas não as impedem de serem iguais.

No vídeo de Miguel, o menino demonstra um interesse grande por futebol e está doido para comprar uma chuteira nova. Tudo nos faz pensar que o menino estaria se preparando para algum jogo, mas a verdade é que sua mãe é jogadora e ele queria presenteá-la com uma chuteira.

Por fim, Brenda resolve dar à mãe o mesmo presente de sempre. Ela dá um celular novo para a matriarca, que depois pede o verdadeiro presente: um porta-retrato. Na estante que reúne fotos de família, é possível sugerir que a mãe de Brenda é mãe solteira.

São vídeos curtos e que tratam as novas formações familiares e as figuras femininas com respeito e com a naturalidade que merecem. Essas pessoas já existem, então, por que não dar visibilidade a elas? Ponto para o Mercado Livre e quem teve a boa ideia de fugir de antigos padrões. Tomara que a publicidade continue seguindo esse caminho.