O Marcos do “BBB” é um homem abusivo. Chega de dizer o contrário

O Marcos do “BBB” é um homem abusivo. Chega de dizer o contrário

Eu sou só mais uma pessoa a falar o que todo mundo já disse, mas vamos lá: o Marcos, participante do “Big Brother Brasil”, exibido pela Rede Globo, é um homem abusivo. As imagens compartilhadas nas redes sociais na manhã de domingo (9) comprovam isso mais uma vez.

Nelas, o médico aparece apontando o dedo (de novo), na cara de Emilly, com quem ele tem um relacionamento nada saudável, beliscando e apertando o braço dela, bem como intimidando-a e a colocando, literalmente, contra a parede.

Se para muita gente o comportamento de Marcos não passa de uma pessoa ‘tomada pelas emoções’, isso só reforça como o assédio e o machismo foram naturalizados pela sociedade, a ponto de que ninguém se compadece pela vítima, mas pelo seu agressor. Isso fica claro ao vermos uma busca incessante por ‘provas’ de que Emilly seria mimada, infantil e provocadora, o que despertaria a ira que existe no rapaz.

Esse é mais um exemplo de culpabilização da mulher pela violência que sofre. “Se ela não agisse de determinada maneira, ele não reagiria daquela forma”. Na verdade, nada disso importa, pois violência continua sendo violência.

E para entender isso melhor, é preciso entender que a violência contra a mulher não é apenas física, apesar de que Marcos chegou a agredi-la fisicamente ao beliscá-la, deixando-a com marcas nos braços, além de ter apertado seus punhos. A violência de gênero ocorre de outras formas, como o cirurgião plástico, infelizmente, demonstra com seu comportamento.

Em todas as brigas, além de apontar o dedo na cara de Emilly, ele grita com ela, a pressiona, diminui, coage, isola e a culpa pelas suas atitudes problemáticas. Tudo isso soa o alerta vermelho de violência contra a mulher e de relacionamento abusivo.

Portanto, por mais que alguém tente defender Marcos, ele claramente é um homem abusivo. Se não fosse, ele trataria sua parceira como sua igual e de forma respeitosa. Mas isso não acontece, como é possível ver nas imagens da última briga entre os dois.

No domingo, a produção do “BBB” conversou com ambos os participantes, mas não puniu o cirurgião plástico, deixando a cargo de Emilly decidir o que fazer. De uma forma, parece que o programa quis dar a ela uma autonomia sobre sua situação. Porém, a realidade é que muitas mulheres não percebem que estão em um relacionamento abusivo. Ele nem sempre é fácil de ser identificado, por isso, é fundamental que as pessoas que estão de fora possam ajudar.

E boa parte da internet reconheceu o abuso, e pediu nas redes sociais para que Marcos fosse expulso do programa. Infelizmente, não foi o que aconteceu. Para piorar ainda, ele, que estava no paredão contra Marinalva no domingo, continuou na atração. Esse é um triste sinal de que o país é conivente com a violência contra a mulher e a enxerga como algo menor. Desde que as brigas entre os dois entretenha, tudo bem manter um homem abusivo na televisão. E quando a própria emissora não faz nada para impedir o ciclo de violência, ela é, também, conivente com as agressões.

É difícil dizer qual participante sairá vencedor do “Big Brother Brasil”. Certo mesmo é que, até agora, o maior ganhador do programa continua sendo o machismo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *