Como as marcas estão se posicionando para o mês do Orgulho LGBTQ+

Como as marcas estão se posicionando para o mês do Orgulho LGBTQ+

Junho chegou e, com ele, o mês do Orgulho LGBTQ+. É nessa época que intensificamos nossas vozes e discursos contra o preconceito, e celebramos nossa história, luta, cores e existências.

O Brasil é um dos países mais violentos contra essa população e, por isso, é fundamental que existam eventos que nos homenageiam e que gritam por respeito e direitos.

Esse é, também, um período em que as empresas aproveitam para fazer campanha de seus produtos para o público LGBTQ+, demonstrando seu apoio à causa (ou só ao dinheiro). Existe uma linha fina entre o apoio legítimo e à ganância capitalista, mas eis alguns exemplos de ações positivas de algumas marcas que ‘saíram do armário’ pela diversidade:

Doritos

Com o sucesso no ano passado dos nachos nas cores do arco-íris, Doritos volta mais uma vez com a edição Rainbow. Em 2018, a marca aposta no mote “Amplie seu mundo”, convidando o público a ouvir as vozes da população LGBTQ+, e lançou um vídeo especial e representativo com a cantora trans Liniker, a drag queen Ikaro Kadoshi, o youtuber Murilo Araújo, o jornalista e idealizador da Casa 1 Iran Giusti, a judoca Rafaela Silva e o ativista João Silvério. A escolha deles é bem significativa, já que muitos ali são negros, e lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans negros possuem pouca representação na mídia.

A ação tem como objetivo doar 100% do valor das vendas para instituições que cuidam de LGBTQ+ em situação de vulnerabilidade no Brasil, uma em cada região do país. Doritos Rainbow já está disponível para compra em pontos de venda de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. É possível saber mais sobre a iniciativa no site da campanha.

Skol

Em uma campanha muito bacana, a Skol se reuniu com outras quatro marcas, para ‘doar’ letras de cada uma delas para instituições que oferecem apoio a LGBTQs. A Skol doou o L, Burger King o G, o Bis o B, Trident o T e Quem Disse, Berenice? o Q, formando assim as identidades que compõe a comunidade do arco-íris: lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans. Juntas, elas se tornaram as #MarcasAliadas, e convidam outras empresas a se unirem à causa e doarem letras para o + (que abrange outras identidades de gênero e sexualidades).

Mas a ação não ficou só nisso, não. Ela vai além e cada uma das marcas doará dinheiro para Coletivo Não Desculpo, Casinha, TODXS e Coletivo Transformação. A Skol é também patrocinadora da Parada do Orgulho LGBTQ+, que acontece no dia 3 junho, em São Paulo. 

Burger King

O Burger King também vem com um produto novo no cardápio, voltado para o público LGBTQ+. É o Shake Unicórnio, feito de blueberry, baunilha, calda de morango e granulados. Segundo matéria do Huffington Post Brasil, a sobremesa custará R$ 14,90 e estará disponível nos restaurantes entre 30 de maio e 15 de junho. 

Além disso, o Burger King também estará presente na Parada do Orgulho LGBTQ+ com ações diferentes e mudará seu nome diversas vezes no domingo, acompanhando os trios que passarem em frente à loja da marca na Avenida Paulista.

“Essa parceria representa para nós estar junto na luta pela diversidade, o que é a cara do Burger King. Todos sabem que nossas portas estão abertas para todos e queremos que nossos consumidores se sintam sempre à vontade em nossos restaurantes, com a liberdade de ser quem são”, disse Ariel Grunkraut, diretor de Marketing do Burger King, ao Huff Post Brasil.

No ano passado, a marca inovou e foi a primeira rede de fast food a colocar uma drag queen em um comercial nacional.

Uber

A Uber vem há algum tempo demonstrando seu apoio à comunidade LGBTQ+, capacitando seus motoristas a tratar com respeito esse público, e oferecendo programas de incentivo à empregabilidade da população trans e patrocinando paradas pelos Brasil, inclusive a de São Paulo, a maior do mundo. Além disso, a empresa é signatária do Fórum de Empresas e Direitos LGBT, comprometendo-se assim a promover os direitos de lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans.

Recentemente, a Uber reuniu ativistas, comunicadores e pessoas ligadas à causa LGBTQ+ para discutir respeito, representatividade e inclusão. Alguns dos participantes foram a cantora Liniker; o idealizador da ONG Casa 1, Iran Giusti; os youtubers Danilo Dabague (criador da drag queen Lorelay Fox), Jessica Tauane (Canal das Bee) e Pedro HMC (Põe na Roda).