Quase metade da segunda temporada de “Luke Cage” será dirigida por mulheres

Quase metade da segunda temporada de “Luke Cage” será dirigida por mulheres

A Marvel está disposta a oferecer mais oportunidades para mulheres trabalharem como diretoras em suas produções. Depois de confirmar que Anna Boden dirigirá o filme da “Capitã Marvel” e de uma segunda temporada de “Jessica Jones” toda dirigida por mulheres, “Luke Cage” retornará para mais um ano com quase metade dos episódios dirigidos por mulheres.

Quem deu a notícia foi o site Black Film, afirmando que dos 13 episódios da próxima temporada do seriado, 6 terão assinaturas femininas na direção. Lucy Liu já havia sido confirmada em julho do ano passado, e ganhou companhia na função com Neema Barnette, Millicent Shelton, Kasi Lemmons, Steph Green e Salli-Richardson-Whitfield. A iniciativa é uma evolução para a série exibida pela Netflix: no primeiro ano, nenhuma mulher dirigiu qualquer episódio da atração.

Lucy Liu foi o primeiro nome a ser divulgado pela Marvel, depois da atriz e diretora ter sido vista no set de filmagem de “Luke Cage”. A artista é bem conhecida em Hollywood, graças aos diversos trabalhos que realizou na área de atuação. Em questão de direção, ela ainda possui uma curta experiência, tendo dirigido alguns episódios de “Elementar”, seriado no qual atua, além de um episódio de “Segredos do Paraíso” e o curta-metragem “Meena”. Porém, além dessas experiências, ela tem a seu favor filmes de ação (“Kill Bill” e “As Panteras”), o que a torna, com certeza, uma escolha acertada para a série.

Neema Barnette tem um vasto currículo, tendo em seu histórico “Queen Sugar”, “Being Mary Jane” e “Gilmore Girls”. Millicent Shelton também tem uma longa experiência na direção, e já trabalhou em “Insecure”, “Empire”, “Jessica Jones”, “Black-ish”, “Supergirl” e “Flash”. Kasi Lemmons já trabalhou em “Shots Fired”, Steph Green trabalhou em “The Americans”, “Motel Bates” e “American Crime”, e Salli-Richardson-Whitfield tem “Cara Gente Branca”, “O Justiceiro” e “Queen Sugar” na sua bagagem.

É uma iniciativa muito positiva, visto que o número de mulheres trabalhando atrás das câmeras ainda é pequeno. Entre as temporadas 2016 e 2017, somente 21% dos episódios de séries de televisão foram dirigidos por mulheres, sendo delas também 32% da direção de primeiros episódios. São dados do Sindicato dos Diretores dos Estados Unidos, e que indicam que ainda é preciso fazer muito mais para garantir uma paridade de gênero na indústria do entretenimento. Ao menos já há um movimento nesse sentido.

E não se engane: há um time de mulheres poderosas atuando na frente das câmeras em “Luke Cage”. Além de Rosario Dawson, estão no elenco Alfre Woodward e Simone Missick. Essas duas últimas são negras e estarão em espectros opostos: enquanto a primeira encarna uma vilã, a segunda é uma detetive inteligente e pronta para a briga. Isso é especialmente interessante, pois oferece novas possibilidades e nuances a mulheres negras.

A segunda temporada do seriado chega à Netflix no dia 22 de junho.