Rapper Logic e Spotify incentivam o tratamento para saúde mental com a música “1-800-273-8255”

14. setembro 2017 POP 0
Rapper Logic e Spotify incentivam o tratamento para saúde mental com a música “1-800-273-8255”

No final de abril, o rapper Logic lançou uma nova música, “1-800-273-8255”, a qual leva no título o número da Linha Nacional de Prevenção ao Suicídio dos Estados Unidos. Na canção, ele divide os vocais com Alessia Cara e Khalid, e o trio canta justamente sobre saúde mental e depressão, doença que leva muitas pessoas a tirarem suas próprias vidas. 

O trabalho dos três músicos gerou resultados. De acordo com a própria Linha Nacional de Prevenção ao Suicídio, no dia em que a música foi divulgada, a instituição teve o segundo dia com mais ligações de sua história. Foram 4.573 ligações, 27% a mais do que a média registrada nas semanas anteriores. As buscas pelo telefone da LNPS tiveram 100% mais buscas no Google depois de “1-800-273-8255”, e um terço das pessoas que ligaram para o órgão informaram que foram incentivadas pela música de Logic.

Esse é o poder da arte. Mas uma conversa importante como essa não pode parar, é preciso dar continuidade a ela. Junto do Spotify, o rapper, Alessia Cara e Khalid querem continuar encorajando mais pessoas a procurarem ajuda. Por isso, depois da faixa ser reproduzida na playlist “Out Now”, dentro da plataforma de streaming, uma mensagem de Khalid é tocada, na qual ele lembra que “você não está sozinho”.

“Ei, aqui é o Khalid! Você não está sozinho e pode ligar para a Linha Nacional de Prevenção ao Suicídio a qualquer momento pelo número 1-800-273-8255”.

É um gesto bem simples, mas que pode vir a ajudar muitas pessoas que estão em situações de extrema fragilidade e angústia. Na época de lançamento da canção, Logic comentou justamente sobre a influência que sua música tem na vida das pessoas.

“O primeiro refrão e verso é a perspectiva de alguém que está ligando para pedir ajuda e que quer cometer suicídio. Ele quer se matar. Ele quer acabar com a própria vida”, explicou. “Quando eu fiz uma turnê de ônibus, que começou em Los Angeles e terminou em Nova York, eu fiz uma turnê com meus fãs. Eu ia até a casa deles, comia com eles, nós saíamos, eu colocava meu álbum para eles antes de ser lançado. Era só eles e outras pessoas que estavam na turnê. Eram fãs que eu conheci aleatoriamente, e eles diziam coisas como: ‘sua música salvou minha vida. Você salvou minha vida’. E eu dizia que era legal eles dizerem aquilo e agradecia. Eu dava um abraço neles, mas eu só conseguia pensar: ‘como assim?’ E eles falavam sério. Eu nem tinha a intenção de salvar a vida de ninguém. Foi então que me ocorreu: o poder que eu tenho enquanto artista com uma voz”.

No VMA deste ano, realizado há poucas semanas, o artista, ao lado de Alessia Cara e Khalid, usaram o palco da premiação para incentivar a busca por tratamento para saúde mental, além de se manifestarem contra as diversas formas de preconceito.

“Quero usar um minuto aqui para agradecer a todos vocês por me darem uma plataforma para falar de algo que os meios de comunicação não querem falar: saúde mental, ansiedade, suicídio, depressão e tantas coisas mais sobre as quais eu falei nesse álbum. Desde racismo, discriminação, machismo, violência doméstica, assédio sexual e muito mais. Não ligo se você é preto, branco, ou de qualquer outra cor. Não me importa se é cristão, muçulmano, homossexual, heterossexual, eu vim aqui lutar pela sua igualdade. Pois acredito que todos nascemos iguais, mas não somos tratados como iguais, e é por isso que devemos lutar. Devemos lutar pela igualdade de cada homem, mulher e criança, independente de raça, religião, cor, credo e orientação sexual. Por isso eu digo, aqui e agora: se você acredita nessa mensagem, na minha mensagem, de paz, amor e positividade, e igualdade para todos, peço que se levante e aplauda, não somente por si mesmos, mas pela base que deixaremos para as nossas crianças”.

E se você estiver precisando de ajuda, aqui no Brasil, temos o Centro de Valorização à Vida (CVV), cujo atendimento pode ser feito por telefone (141) ou pelo site e via Skype.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *