Logic fez o discurso que eu queria ter feito no Grammy Awards

29. janeiro 2018 POP 0
Logic fez o discurso que eu queria ter feito no Grammy Awards

Kesha fez a apresentação mais emocionante do Grammy Awards e o rapper Logic fez o discurso mais forte da premiação. O rapper subiu ao palco depois das homenagens aos artistas que morreram no último ano, exatamente após a imagem de Chester Bennington aparecer no telão. 

O vocalista da banda Linkin Park morreu em 2017, após tirar sua própria vida. Portanto, nada mais apropriado do que a música “1-800-273-8255”, parceria de Logic com Alessia Cara (vencedora do Grammy de Artista Revelação) e Khalid. A canção integra o último álbum do artista, “Everybody”, lançado em maio passado.

Durante a performance do trio, todos os telões trouxeram o nome da faixa, que é o número de telefone que as pessoas dos Estados Unidos podem ligar, caso estejam com pensamentos suicidas (no Brasil, o Centro de Valorização à Vida atende pelo site e pelo telefone 141). Perto do final da apresentação, pessoas com camisetas de apoio também foram ao palco, trazendo mensagens como: “você não está sozinho”.

Para terminar sua apresentação, Logic fez um discurso pedindo respeito e de apoio a mulheres e imigrantes:

“Preto é lindo, o ódio é feio. As mulheres são tão preciosas quanto são mais fortes do que qualquer homem que eu já conheci”, começou o rapper. “E para elas, eu digo que me manifesto e acabo com todos os predadores que estejam debaixo de seus corações cheios de amor, os quais eles nunca tirarão de vocês. Não tenha medo de usar sua voz, especialmente em circunstâncias como essas, quando você tem a oportunidade. Fique em pé e lute por aqueles que não são fracos, apenas precisam descobrir a força que o mal desse mundo escondeu tão bem. Para todos os lindos países cheios de cultura, diversidade e milhares de anos de história: vocês não são países de merda”.

A fala do artista diz respeito a um comentário feito pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o qual disse que não queria receber pessoas de “países de merda” em solo americano. As nações seriam o Haiti, El Salvador e países africanos. Trump nega ter dito essas palavras, mas elas renderam diversas críticas e campanhas na internet contra o racismo e a xenofobia.

“E por último, em representação àqueles que lutam por igualdade em um mundo desigual, injusto e que não está pronto para a mudança que nós estamos trazendo aqui, eu digo para que tragam os cansados, seus pobres e qualquer imigrante que busca refúgio. Nós podemos construir não apenas um país melhor, mas um mundo que está destinado a ser unido”, concluiu o rapper.

Esse é o discurso que eu queria fazer, caso vencesse algum prêmio. Sem mais a acrescentar, eu fico apenas com as palmas. Valeu, Logic!