Lily Collins luta contra a anorexia no trailer de “To The Bone”

21. junho 2017 Cinema 0
Lily Collins luta contra a anorexia no trailer de “To The Bone”

Lançado no começo do ano no Festival de Cinema de Sundance, “To The Bone” – ou “O Mínimo para Viver” – foi muito elogiado pela crítica ao fazer um retrato de uma garota que luta contra a anorexia. Comprada pela Netflix, a produção finalmente ganhou um trailer.

No filme, a protagonista é Ellen (Lily Collins), uma jovem garota com anorexia, que entra em um programa de tratamento para pessoas com transtornos alimentares. Dirigido por Marti Noxon, que faz sua estreia em um longa-metragem, a narrativa acompanha os desafios que a menina enfrenta por conta do distúrbio, mostrando que essa não é apenas uma questão de comer mais ou de força de vontade.

Não só isso, “To The Bone” traz um olhar para a família de Ellen e como ela é afetada pela anorexia. E isso não é para tornar a pessoa em questão pior consigo mesma, mas para explicar que as pessoas próximas também acabam sofrendo com o transtorno, e que é preciso que todos se unam para poder superar o problema.

O Mínimo para viver

Toda vez que você ouvir aquela voz, você sabe o que fazer. O Mínimo para Viver, filme original com Lily Collins e Keanu Reeves, estreia dia 14 de julho.

Posted by Netflix on Wednesday, June 21, 2017

A anorexia é um tema importante para Marti Noxon, já que ela sofreu do mesmo mal quando era adolescente. Ela também é roteirista do filme, o que significa que a obra reconta um pouco o que já vivenciou.

“Dos meus 14 anos até os meus 20 e poucos anos, eu era anoréxica e então bulímica”, ela contou ao Deadline. “Sinto que só houve filmes na TV sobre o assunto. Acho que o problema não melhorou desde que eu era criança, por isso, eu quis tentar trazê-lo para as grandes telas com um pouco de humor e a perspectiva que eu tenho, agora que sou mais velha”.

Não só ela, mas Lily Collins também lutou contra a anorexia na vida real. A história de sua personagem Ellen também é muito próxima dela.

“Quando eu recebi o roteiro, [o distúrbio] não era algo que eu estava comentando ainda. Era esse medo sendo colocado bem na minha frente. E fazer esse filme significava que eu teria de enfrentá-lo”, disse a atriz ao Refinery29. “A princípio, foi um processo assustador. Era algo que eu achava arriscado, pois há uma linha tênue entre encarar algo e superá-lo ou ter uma recaída. Mas eu sabia que, dessa vez, eu teria ajuda. Eu perderia peso com a supervisão de uma nutricionista e teria todas essas mulheres incríveis no set de filmagem comigo. Então, eu sabia que seria um ambiente seguro para explorar esse tema. Eu tinha acabado de escrever o capítulo do meu livro [“Unfiltered: No Shame, No Regrets, Just Me”] uma semana antes de receber o roteiro, sobre meu histórico com transtornos alimentares. Era como se o universo estivesse, literalmente, jogando isso na minha cara e dizendo que era algo que eu precisava fazer, seja por mim ou por qualquer jovem que estivesse passando pelo mesmo”.

Doenças como a bulimia e anorexia não são incomuns. Segundo o Manual de Psiquiatria de diagnóstico de distúrbios mentais, publicado pela Associação Americana de Psiquiatria, estima-se que uma a cada cinco mulheres sofra com algum tipo de transtorno alimentar, sendo mais frequente em jovens mulheres, entre 12 e 24 anos. Ou seja, precisamos falar mais sobre isso.

Com sorte, “To The Bone” pode ajudar a criar uma conversa necessária, que pode vir a ajudar muita gente. Se você já ficou ansioso pela produção, saiba que ela estreia na Netflix no dia 14 de julho.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *