Lily Collins conta como foi interpretar uma garota com distúrbios alimentares iguais aos que viveu

Lily Collins conta como foi interpretar uma garota com distúrbios alimentares iguais aos que viveu

No comecinho do ano, Lily Collins admitiu que teve de encarar uma luta silenciosa: os distúrbios alimentares. A atriz fez a revelação em meio à divulgação de seu novo filme, “To The Bone”, que narra a história de uma garota com os mesmos problemas, e que é o primeiro trabalho de Marti Noxon na direção de um longa-metragem. E, a propósito, ela também teve distúrbios alimentares.

Infelizmente, esses transtornos são mais comuns, principalmente entre mulheres, do que se pensa. O Manual de Psiquiatria de diagnóstico de distúrbios mentais, publicado pela Associação Americana de Psiquiatria, estima que uma a cada cinco mulheres sofre com algum tipo de transtorno alimentar, sendo mais frequentes entre jovens de 12 a 24 anos.

E por conta de sua personagem lidar com os mesmos problemas, é fácil imaginar que “To The Bone” pudesse fazer algum mal a Lily Collins. Contudo, o que aconteceu foi o contrário.

“Quando eu recebi o roteiro, não era algo que eu estava comentando ainda. Era esse medo sendo colocado bem na minha frente. E fazer esse filme significava que eu teria de enfrentá-lo”, contou a atriz ao Refinery29. “A princípio, foi um processo assustador. Era algo que eu achava arriscado, pois há uma linha tênue entre encarar algo e superá-lo ou ter uma recaída. Mas eu sabia que, dessa vez, eu teria ajuda. Eu perderia peso com a supervisão de uma nutricionista e teria todas essas mulheres incríveis no set de filmagem comigo. Então, eu sabia que seria um ambiente seguro para explorar esse tema. Eu tinha acabado de escrever o capítulo do meu livro [“Unfiltered: No Shame, No Regrets, Just Me”] uma semana antes de receber o roteiro, sobre meu histórico com transtornos alimentares. Era como se o universo estivesse, literalmente, jogando isso na minha cara e dizendo que era algo que eu precisava fazer, seja por mim ou por qualquer jovem que estivesse passando pelo mesmo”.

Para fazer o papel de Ellen, Lily procurou um grupo de ajuda para pessoas com anorexia e conversou com uma especialista em distúrbios alimentares, com as quais falou abertamente sobre o que viveu. Seu objetivo era dar veracidade à sua personagem.

“Recebi feedback delas e tive o sentimento de não estar sozinha, o que é o ponto do meu livro: fazer as pessoas entenderem que não estão sozinhas ou, pelo menos, que tenham algum conforto ao saber que muita gente passa pelas mesmas coisas”, acrescentou. “Para mim, conversar sobre meu histórico pela primeira vez foi muito terapêutico, de uma forma que eu não esperava. Sempre achei que ao admitir essas coisas, as pessoas me julgariam ainda mais. Na verdade, foi uma experiência libertadora em não ter mais essas restrições, e senti que eu estava presa em uma caixa dentro da minha própria cabeça. Eu também estava me escondendo do título ‘garota com transtorno’. Eu consegui me livrar disso trabalhando com a personagem e comigo mesma também”.

Portanto, emagrecer para o longa não foi um problema para ela, que teve o cuidado de uma equipe especializada para ajudá-la a manter-se saudável. Lily contou que nunca teve uma meta de peso para perder, mas queria fazer justiça a Ellen. Porém, ao mesmo tempo, ela não queria fazer mais do que podia, afinal, “fui contratada como atriz. Não fui contratada pela minha imagem”.

“To The Bone” foi apresentado no Festival de Sundance, no começo do ano, e foi comprado pela Netflix, que deve lançá-lo em algum momento deste ano. No elenco do filme, estão Keanu Reeves, Liana Liberato, Alanna Ubach, Brooke Smith e Carrie Preston.

(Na imagem: Lily Collins e a diretora Marti Noxon)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *