Lady Gaga fala sobre depressão, ansiedade e a importância de ser honesto consigo mesmo

27. outubro 2015 POP 0
Lady Gaga fala sobre depressão, ansiedade e a importância de ser honesto consigo mesmo

Durante o final de semana, Lady Gaga compareceu ao evento Emotion Revolution, promovido por sua instituição, a Born This Way Foundation, em parceria com o Centro para Inteligência Emocional de Yale, para falar sobre depressão e ansiedade com jovens, professores e legisladores de todos os cantos dos Estados Unidos. Os dois transtornos mentais acompanham a cantora, como ela revelou para a revista Billboard neste mês. O objetivo do encontro era discutir maneiras de canalizar emoções para fins positivos.

Numa conversa bem íntima, a voz de “Applause” dividiu com as pessoas presentes como surgiu sua fundação, que é voltada para jovens LGBT, criando-a durante a composição do álbum “Born This Way”. Gaga contou que todo o processo foi terapêutico, pois percebeu emoções nunca trabalhadas em sua vida, como a raiva e a tristeza, e viu o mesmo em seus fãs.

“A verdade é que dividimos nosso estresse, nossa ansiedade […] Queremos mostrar ao mundo que há uma estratégia para que todos sintam-se bem. Mas como paramos de falar para as crianças como elas devem fazer as coisas e começamos a ouvir o que podemos fazer para ajudá-las?”, indagou a cantora.

[Gaga aparece a partir da marca de uma hora]

Stefani Germanotta, seu nome verdadeiro, entra então num campo mais pessoal, contando que criou a Lady Gaga para se curar da depressão. “Eu a inventei e ela curou a minha vida. [Ela] É uma expressão da minha dor, foi assim que eu superei minha depressão: criando alguém que eu pensei ser mais forte do que eu”, confessou ao público, completando, no entanto, que as mudanças em sua carreira não mudaram não a livraram da doença. “Não importa quanto sucesso você tenha, quantas oportunidades, fama, fortuna… Não importa quantas pessoas aceitem você. A pessoa que realmente precisa te aceitar é você mesmo”.

Ela diz isso para lembrar que a saúde mental e a inteligência emocional são assuntos de extrema importância, pois afetam “seu futuro, sua habilidade de viver uma vida feliz, afetou a minha habilidade e ainda a afeta”.

É aí que Lady Gaga fala abertamente sobre seu diagnóstico de depressão e ansiedade e as formas como procurou controlá-las. “Eu tomo antidepressivos. Tentei sair deles, mas meu médico sempre diz para não fazê-lo, porque não é seguro. Todas as vezes que tentei, eu fiquei neurótica, maníaca, doente”, afirmou a estrela da nova temporada de “American Horror Story”. “Então eu estudei formas diferentes, mas então eu pensei ‘por que eu tenho que procurar todas essas áreas diferentes para saber como eu funciono?’ Eu procurei ayuverdismo, mindfullness, meditação, mantras, acupuntura, cupping, eu rezo às vezes, eu faço música, escrevo poemas, sou uma atriz agora – isso me ajudou bastante”.

Mas o que me ajudou de verdade, é que eu percebi que parte da minha identidade é dizer não às coisas que eu não quero fazer. E todos vocês estão na escola, possuem muitos professores e pessoas ao seu redor que dizem o que vocês precisam fazer, mas é seu direito decidir o que quer e não fazer. É seu direito escolher no que acreditar. É seu direito curar sua vida e sua perspectiva.

Eu tive que fazer decisões como… Por que estou infeliz? Ok, Stefani-Gaga, pessoa híbrida. Por que você está infeliz? Por que você quis deixar a música há alguns anos? Bem, eu não gosto de vender fragrâncias, perfumes. Eu não gosto de jogar meu tempo fora, passando dias apenas apertando mãos , sorrindo e tirando selfies. É superficial para a minha existência. Eu tenho muito mais a oferecer do que a minha imagem. Eu não gosto de ser usada para fazer dinheiro para as pessoas. Me sinto triste quando trabalho demais. E aí eu me torno uma máquina de fazer dinheiro e minha paixão e criatividade ficam para trás. Isso me deixa infeliz.

Então o que eu fiz? Eu comecei a dizer não. Não vou fazer aquilo, não quero fazer aquilo. Não vou tirar essa foto, não vou àquele evento, não vou apoiar isso porque não é algo que eu acredite. E devagar, mas sinceramente, eu lembrei quem eu era. E então você vai pra casa, se olha no espelho e diz ‘sim, eu posso dormir com você todas as noites’. Porque aquela pessoa, eu a conheço. Aquela pessoa tem coragem, aquele pessoa tem integridade, ela tem opinião. Aquela pessoa não diz sim. Aquela pessoa não recebe uma mensagem de alguém e diz ‘meu Deus, ele escreveu isso com este emoji. Devo mandar isso de volta? O que você acha, acha que tudo bem dizer isso? Será que ele vai gostar de mim se eu disser isso? Devo dizer algo diferente?’ Esta é a era em que vivemos. Nós não estamos nos comunicando de verdade. Estamos inconscientemente dizendo mentiras”.

Durante todo o evento, Lady Gaga postou imagens com a hashtag #IAmNotJust (“Eu não sou somente”), encorajando as pessoas a fazerem o mesmo e compartilharem quem são para além da forma como são vistas. A cantora compartilhou em seu Instagram: “Eu não sou somente ansiosa, eu tenho depressão”.

Lady Gaga quer ajudar a criar um mundo melhor e mais seguro para os jovens. Não podemos negar de que ela está fazendo um ótimo trabalho.

#IamNotJust ANXIOUS. I have depression. @btwfoundation

A photo posted by Lady Gaga (@ladygaga) on

H/T: Pop Crush.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *