Johnny Depp não quis uma vilã em “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar” para ‘não se repetir’

Johnny Depp não quis uma vilã em “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar” para ‘não se repetir’

Se existe algo em comum entre mim e Jessica e Chastain, é o fato de que nós dois reviramos os olhos quando ouvimos o nome Johnny Depp.

Desde que sua ex-esposa, a também atriz Amber Heard, pediu divórcio no ano passado, alegando violência física contra ela, minha admiração pelo ator foi diminuindo. E, mais uma vez, vejo que ela não irá voltar tão cedo (ou sequer voltar).

Isso porque o artista estará aos cinemas em breve com “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar”, e não quis uma mulher como vilã no longa, pois ele não quis ‘se repetir’, já que havia gravado outra produção com uma uma mulher no papel de sua inimiga. O papel, enfim, acabou ficando com o ganhador do Oscar, Javier Bardem.

(Eu consigo imaginar seus olhos revirando agora)

Quem fez a revelação foi o roteirista Tessy Rossio, que escreveu os quatro últimos filmes da franquia “Piratas do Caribe”. Em um texto publicado no ano passado, e que está circulando de novo pela internet, Rossio explica como é processo entre escrever um roteiro e, de fato, levá-los às telas do cinema. No meio de seu post, ele diz que seu roteiro para “A Vingança de Salazar” foi rejeitado, pois havia uma mulher como antagonista.

“Minha versão para ‘A Vingança de Salazar’ foi posta de lado porque tinha uma vilã, e Johnny Depp ficou preocupado de que isso fosse redundante com ‘Sombras da Noite’, que também tinha uma vilã”, ele escreveu. “Claro, há também a possibilidade de que todos os roteiros fossem simplesmente ruins. Mas, geralmente, quando eu volto a ler um roteiro que não foi produzido, veja, ele é melhor do que o filme que foi eventualmente produzido. Às vezes, só é preciso a decisão de uma única pessoa, frequentemente um capricho, para destruir anos de criação de uma história e de construção de um mundo”.

Tessy Rossio possui créditos na história do quinto capítulo de “Piratas do Caribe” e é também produtor-executivo da obra. Pelo que é possível entender em suas palavras, outras questões podem ter levado à troca de uma vilã por um vilão, mas é decepcionante, para não dizer enfurecedor, que a própria sugestão tenha vindo de Johnny Depp, o qual também parece ter tido um comportamento errático durante as filmagens de “A Vingança de Salazar”.

E se o ator não queria ‘se repetir’, é um privilégio e tanto para ele e qualquer ator, já que as atrizes estão sempre fazendo os mesmos papéis de esposas, namoradas e donas de casa. Em 2017, finalmente veremos mulheres interpretando vilãs, como Cate Blanchett, em “Thor Ragnarok”, e  Sigourney Weaver, em “Os Defensores”. E como esquecer de Charlize Theron em “Velozes e Furiosos 8”?

Os tempos estão mudando e seria bem melhor que Johnny Depp acompanhasse essa evolução.

H/T: The Daily Dot.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *