Jessica Chastain faz apelo pela diversidade no Critics’ Choice Awards

16. janeiro 2015 Cinema 2
Jessica Chastain faz apelo pela diversidade no Critics’ Choice Awards

No mesmo dia em que os indicados ao Oscar foram divulgados, com poucas indicações a mulheres e negros, ontem também aconteceu a cerimônia de entrega do Critics’ Choice Awards, prêmio dos críticos dos Estados Unidos.

Neste ano, a premiação criou uma nova categoria, a de Ator Mais Valioso (Most Valuable Player – MVP -, em inglês) e o concedeu à atriz Jessica Chastain, que saiu em 4 filmes em 2014: “Insterstellar”, “O Ano Mais Violento”, “The Disappearance of Eleanor Rigby” e “Miss Julie”. O prêmio é um reconhecimento ‘a um extraordinário ator, por seu trabalho em vários filmes importantes ao longo de um ano’.

Ao subir ao palco e receber sua estatueta, Jessica Chastain aproveitou o momento para, além de fazer os famigerados agradecimentos, falar sobre a importância da diversidade na indústria do cinema.

“Hoje é aniversário de Martin Luther King Jr, e isso me fez pensar na nossa necessidade de fortalecer a diversidade na nossa indústria e nos levantarmos contra a homofobia, sexismo, misoginia, racismo, anti-Semitismo e agendas racistas.

Sou otimista. E eu não posso evitar esse sentimento de esperança para o futuro dos filmes, especialmente quando olho para essas lindas pessoas neste evento. Martin Luther King Jr. disse ‘Nossas vidas começam a acabar quando nos silenciamos sobre coisas que importam’. E eu gostaria de encorajar todos aqui para, por favor, manifestarem-se”.

A atriz já havia manifestado seu apoio à diversidade em entrevista ao site Indiewire. Na ocasião, além de falar sobre a falta de papéis para mulheres diversas, como asiáticas e de 60 anos, Jessica Chastain reconheceu que a representatividade importa.

“Eu sempre internalizei as vozes da sociedade. Há grupos de pessoas que, ao crescerem, sentiram que não tinham voz. E eu não acho isso certo. Dei uma entrevista, recentemente, ao lado de  Xavier Dolan, e eu o amo tanto, […] e ele disse algo maravilhoso sobre Jane Campion (diretora de cinema). Ele disse que, ao crescer sendo gay, conectava-se com mulheres, porque sentia a necessidade de ser ouvido. Todo mundo gosta de ser visto e ouvido. E é por isso que eu quero lutar. Por isso eu falo sobre atores asiáticos ou mulheres negras. Antes de tudo, faço parte da plateia, e quando vou ao cinema, quero ouvir a voz de todos”.

A fala de Jessica Chastain, nos dois momentos, vão de encontro aos apelos feitos após a lista de indicados ao Oscar ser divulgada. Nenhum negro foi indicado nas categorias de atuação, e nenhuma mulher para direção, roteiro e fotografia. A tag #OscarsSoWhite foi um dos assuntos mais comentados ontem, onde muitos reclamaram da falta de diversidade nas escolhas feitas pela Academia.

Com informações do Buzzfeed.