A história por trás desta casa pintada nas cores da bandeira trans é inspiradora

A história por trás desta casa pintada nas cores da bandeira trans é inspiradora

Em 2013, uma casa na cidade de Topeka, estado do Kansas, nos Estados Unidos, foi pintada nas cores do arco-íris pela organização sem fins lucrativos Planting Peace, que trabalha com diversas causas, entre elas, o combate à LGBTfobia. E a localização da casa não foi uma escolha aleatória: em frente a ela está a Igreja Batista de Westboro, a qual se dedica a criar ações contra a comunidade LGBT, como afirmar que “Deus odeia os viados”, comemorar o tiroteio na boate gay de Orlando e tentar atrapalhar o funeral de uma das vítimas do mesmo.

“Quero mostrar que, onde há ódio, também há amor”, explicou Aaron Jackson, um dos fundadores da Planting Peace. A residência é aberta a visitantes e é utilizada para eventos voltados ao movimento LGBT.

Agora, a casa acaba de ganhar uma vizinha bem colorida, pintada nas cores da bandeira trans: azul, rosa e branco. Martin Dunn, chefe de uma empresa de imóveis, foi o responsável pela compra da nova residência. Quando soube que a ONG estava interessada nela, ele logo demonstrou seu apoio.

“Eu tenho três filhos e se um deles fosse transgênero, eu gostaria que houvesse um lugar que o aceitasse e o celebrasse”, contou Martin ao Huffington Post. “Eu vivo em uma vizinhança progressista e meus filhos vão a uma escola é aberta e acolhedora a estudantes transgêneros, mas sei que essa não é a realidade para muitos jovens no país. Assim como a Casa da Igualdade [como é chamada aquela pintada nas cores do arco-íris], uma casa transgênera faz com que as pessoas tenham orgulho, sintam-se seguras e confiantes e apoiadas, isso é necessário. Toda cidade deveria ter uma. Se uma menina de 8 anos se manifesta contra o ódio e o preconceito, o mínimo que podemos fazer é apoiá-la.”

A garotinha em questão é Avery Jackson, que visitou a Casa da Igualdade quando ela foi pintada nas cores da bandeira trans, algo que acontece uma vez por ano e dura uma semana. “Eu adorei que a Casa do Arco-Íris foi pintada nas cores da bandeira trans. Fiquei feliz e orgulhosa por ser transgênera”, afirmou a pequena, que participou da campanha da Planting Peace para comprar a residência ao lado.

Foto: Planting Peace
Foto: Planting Peace

A história de Avery comoveu Martin Dunn, o qual comprou a casa e a doou para a ONG. A residência foi pintada no último domingo (26) com a ajuda de voluntários, o que deixou a menina em êxtase ao saber da notícia. “Achava que uma casa transgênera seria só um sonho, mas agora é realidade”, ela contou ao Daily News. “Eu amo a bandeira trans. É linda e me faz sorrir. Estou feliz que nós temos uma casa como a bandeira, para mostrar que as pessoas trans são lindas e isso as fará sorrir.”

Aaron Jackson, um dos fundadores da Planting Peace, acrescentou ao Huffington Post que a casa é importante, especialmente após os ataques recentes à comunidade LGBT, principalmente contra as pessoas trans, que lutam por direitos básicos e possuem um índice de suicídio muito alto, devido à falta de acolhimento com esses indivíduos, algo que Jackson quer ajudar a mudar.

“Enquanto aliados da comunidade LGBT, ouvimos várias histórias de pessoas transgêneras, que expressam o impacto devastador que isso [a falta de cuidados e direitos] possui, o que faz com que elas se sintam ‘menos’. Mensagens repetidas de ódio e intolerância contribuem para índices de suicídio chocantes dentro da comunidade trans. Nós precisamos lutar pelo direito de TODAS as pessoas a viverem e amarem com liberdade, sem medo. Estamos pintando essa casa hoje como um lembrete permanente de nossa mensagem à nossa família trans: vocês são amadas, valorizadas, apoiadas e lindas. Não há nada errado com vocês e nós vamos apoiá-las.”

Foto: Planting Peace
Foto: Planting Peace