Helen Mirren já não tinha paciência para perguntas machistas em 1975

24. agosto 2016 Famosos 0
Helen Mirren já não tinha paciência para perguntas machistas em 1975

Nem todos os heróis vestem capa mesmo. Helen Mirren, uma das maiores artistas britânicas, vem combatendo o machismo por décadas, como é possível perceber em uma entrevista que concedida por ela em 1975 ao apresentador Michael Parkinson, o qual tinha um programa de televisão que levava seu nome.

Ela estava com 30 anos na época, trabalhava no teatro e era uma promissora atriz no Reino Unido, onde trabalhava em uma das maiores companhias da ilha, a Royal Shakespeare Company. Segundo a Vanity Fair, ela já havia começado a fazer alguns papéis na televisão e preparava-se para viver Lady MacBeth, na peça escrita por William Shakespeare. Ao sentar para conversar com o apresentador, em vez de falar sobre seu trabalho e sua carreira em ascensão, a artista teve de lidar com perguntas machistas que fazem os olhos de qualquer um revirarem.

Antes de ser anunciada, Parkinson se refere a ela como “dama do sexo” e cita um crítico que escreveu o seguinte sobre a atriz: “ela é especialmente notável em projetar o erotismo de uma vagabunda”. Imagine só! E isso foi só o começo, mas já dá para imaginar para onde essa entrevista vai parar.

Parkinson começa a entrevista perguntando a Helen se a descrição dita por ele a chateia/é um elogio/a incomoda de alguma maneira, ao que ela responde um simples e calmo “não”. “Você fica cansada de ser rotulada dessa maneira?”, indaga o apresentador. “Não, talvez tenha alguma verdade nisso, já que não param de falar”, respondeu a atriz, que é interrompida em seguida. “Eu acho que eles estão certos”, diz Parkinson. “Eu espero que não. Mas você é o que você é”, rebate a então estrela do teatro inglês.

Depois, o apresentador diz algo que incomoda (com razão) Helen. “Você é, entre aspas, uma atriz séria”, diz fazendo o sinal de aspas. “Entre aspas? O que você quer dizer com ‘entre aspas’? Como ousa?”, pergunta a artista. “Uma atriz séria, o contrário de uma atriz brincalhona”, ele explica enquanto Mirren olha para o alto. “Você acha que o fato, do que poderia ser melhor descrito como equipamento, impede você nessa busca [de ser uma atriz séria]?” A atriz pede então para que ele esclareça o que seria o “equipamento” citado anteriormente.

“Seus atributos físicos”, responde Parkinson. “Você quer dizer os meus dedos?”, questiona a artista. “Não. Eu quis dizer seus [ele olha para o corpo dela]… Sua figura”. “Minha figura? Porque atrizes sérias não podem ter peitos grandes, é isso o que você quis dizer”. “Eu acho que isso pode distrair a performance”, responde Parkison. “Eu não acho que isso seja necessariamente verdade. Que performance ruim se as pessoas ficarem obcecadas com o tamanho dos peitos acima de qualquer coisa. Eu gostaria que a performance, a peça e as relações entre as pessoas no palco e do público superassem tais perguntas entendiantes. Sério”, rebateu Helen.

E é assim que se responde perguntas machistas!

Helen.-mirren

Em 2011, a atriz conversou com o jornal The Telegraph e relembrou a entrevista, dizendo que foi seu primeiro talk show e que estava apavorada. “Eu assisti e pensei: ‘caramba! Eu fui muito bem! Eu era muito nova e inexperiente. E ele [Parkinson] era tão machista. Ele era. Ele nega isso até hoje, mas claro que era”.

No mês passado, ela participou de um vídeo da plataforma AOL Makers, falou sobre diversos assuntos, entre eles, como o feminismo ajudou a criar um mundo melhor para as mulheres. “Todas as mulheres são feministas”, disse. “Elas não percebem que estão vivendo em um mundo que o feminismo, de certa maneira, criou para elas. Isso é muito animador, porque é delas. É isso o que eu amo sobre elas. Elas têm direito sobre sobre ele”.