Gretchen conta como fez para aceitar a transexualidade de Thammy – e é emocionante

Gretchen conta como fez para aceitar a transexualidade de Thammy – e é emocionante

Nota: em alguns momentos, Gretchen se refere ao seu filho Thammy no feminino. Embora ele pareça não se importar, é imprescindível tratar pessoas trans pelos pronomes corretos e pelo gênero com o qual o indivíduo se identifica.

Gretchen, a rainha da internet, nos deu mais um motivo para amá-la. Além de ter sido a estrela do lyric video de “Swish Swish”, novo single de Katy Perry, a cantora contou como fez para aceitar a transexualidade de seu filho Thammy.

Em entrevista ao programa da Fernanda Souza, transmitido pelo canal pago Multishow, a artista falou sobre sua relação com o filho, o qual considera muito mais corajoso do que ela.

“Você ter a coragem de fazer isso há 15 anos e contar pra todo mundo: ‘eu sou homossexual. Quem gostar, gostou. Que não gostar, que se dane’. Cortar um cabelo daquele e assumir tudo o que ela assumiu”, começou Gretchen, recordando quando Thammy se assumiu como uma mulher lésbica antes de se assumir um homem transexual.

Em seguida, Fernanda lembra que o rapaz é uma inspiração para jovens trans. Embora ela tenha usado a palavra ‘transformar’, ao se referir aos sonhos de muitas pessoas trans, o que ela quis dizer é assumir a identidade de gênero e fazer a transição.

Para Gretchen, essa experiência toda foi um grande aprendizado para ela.

“Alguma coisa aconteceu nesse universo pra que nós duas fossemos isso. Eu, mãe de um trans, ela, uma filha de um símbolo sexual. Porque não tem explicação pra isso que nós somos, por nós sermos quem nós somos e ter acontecido isso”, disse. “Alguma coisa nós viemos ensinar pra alguém. Alguma missão nós duas temos nesse mundo. Eu, de fazer com que os pais aceitem seus filhos como eles são, independente de quem eles sejam. E ele [aponta para o Thammy] de ensinar aos pais que eles têm que amar os filhos independente de quem eles sejam”. 

"Não tem explicação pra isso que nós somos. Alguma coisa nós viemos ensinar pra alguém" <3 #VaiFernandinhaEp19♫ Se você é assinante e não tá em casa, não tem problema: com o Multishow Play, você pode assistir ao #VaiFernandinhaEp19 de onde quiser: http://bit.ly/2opiFHq ♫

Posted by Multishow on Tuesday, July 4, 2017

E Thammy conta como é importante esse apoio que recebe da mãe, e como ele é fundamental na vida de toda pessoa trans.

“Quando você cai na real que isso não é uma opção, que eu sou assim e não tem o que eu fazer e agora eu vou ter que conviver com isso e saber como as pessoas vão lidar com isso”, afirmou. “Você tem um mundo inteiro lá fora para enfrentar. Então, o mínimo que você quer é ter um aconchego na sua casa. Para falar: putz, eu tenho uma pessoa do meu lado, uma pessoa que eu posso contar e chorar e falar: ‘mãe, eu não tô aguentando. Tá todo mundo fechando as portas pra mim, eu não tenho o que comer, eu não tenho o que fazer, eu não sei mais o que fazer, eu não quero que ninguém mais me reconheça na rua, eu não quero mais ser filho da Gretchen, eu quero sumir do planeta’. E você precisa ter uma pessoa. E se ainda você não tem seus pais ao seu lado, é o índice de suicídio que é gigantesco”.

Esse índice citado por ele vem de um estudo realizado pela Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio, que diz que 41% da população trans tenta se matar. E a falta de apoio dos pais é um dos fatores que levam muitos a tirar a própria vida. Thammy teve muita sorte de encontrar amor dentro de casa, já que tantos outros transexuais não têm o mesmo.

“É por isso que eu falo muito, principalmente no meu canal, com os pais, [para] que as mães lembrem daquele momento que ela tava grávida, que aquele bebezinho chutava, e você desejou a cada minuto ver a carinha”, concluiu Gretchen. “Na hora em que ele nasceu você ficou encantada, deu de mamar, ensinou a andar, e você dava uma mamadeira – não pode se esquecer disso na hora em que ele chega para você e diz assim: ‘eu não sei se eu sou menino ou se eu sou menina’. Esse pai e essa mãe não podem se esquecer disso, é muito importante. Porque se você pensar nisso, você vai saber amar cada minuto do que eles viverem”.

Por fim, Thammy conclui:

“Se eu for referência de alguma coisa, eu quero ser referência de garra, de coragem, de lutar para ser feliz. Lutar para ser quem você é”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *