5 filmes sobre resistência

30. outubro 2018 Cinema 0
5 filmes sobre resistência

“Então é assim que a liberdade morre, com um estrondoso aplauso”. Essa frase dita pela personagem de Natalie Portman na saga “Star Wars” foi bastante lembrada nos últimos dias e condiz totalmente com a situação política que vivemos no país. Além de “Guerra nas Estrelas”, as sagas “X-Men”, “Harry Potter” e “Jogos Vorazes” têm sido referenciadas por tratarem de tramas que falam de resistência ao autoritarismo, fascismo e exclusão de minorias.

Pensando nisso, selecionamos mais 5 filmes que podem nos dar força para sermos resistentes:

“Orgulho e Esperança”

Baseado em uma história real, “Orgulho e Esperança” é um dos melhores filmes para lembrarmos que minorias devem se unir em momentos de luta. Na década de 80, com Margaret Thatcher como Primeira Ministra da Inglaterra, o Grupo Nacional de Mineiros estava em greve e com grandes dificuldades. Nesse momento, ativistas LGBTs decidiram apoiar o grupo de mineiros, mas não foram bem recebidos por grande parte deles, pois muitos dos homens tinham ideias machistas e sentiam-se envergonhados em receber ajuda de um grupo gay. Mesmo assim, os ativistas da diversidade sexual não desistiram, pois achavam a luta dos trabalhadores tão importante quanto a sua. Apesar de tratar de um tema sério, o filme consegue ter leveza e momentos fofos. Importante e necessário em um momento onde todas as minorias estão ameaçadas.

“Zuzu Angel”

História verídica da famosa estilista Zuzu Angel (interpretada no filme por Patrícia Pillar), que teve seu filho, Stuart, torturado durante a ditadura militar. Apesar de ter se mantido longe dos “campos de batalha” por muito tempo, Zuzu é a primeira a lutar quando seu herdeiro desaparece. O filme acompanha a resistência e batalha da estilista contra os militares pelo direito de encontrar e se despedir do seu filho, cujo corpo jamais foi encontrado até hoje. Um filme emocionante e importante, principalmente para tantas mães de LGBTs e de minorias, que vêm lutando ao lado de seus filhos em momentos críticos.

“Aquarius”

A resistência de “Aquarius” foi além da história do filme: selecionado para representar o Brasil no Festival de Cannes em 2016, o diretor Kleber Mendonça Filho e os atores levaram placas informando o golpe político que o Brasil sofria na ocasião. Por causa dessa manifestação, “Aquarius” sofreu tentativas de boicote do Governo, como não ser selecionado para ser o representante do Brasil para o Oscar, quando era o grande favorito daquele ano. Foi uma pena, já que era a grande chance do país em décadas.

Mas vamos falar da trama: protagonizado por Sônia Braga, a história gira em torno de Clara, mulher de 65 anos, que vive no edifício Aquarius, um prédio antigo em Recife. Uma construtora quer comprá-lo e construir algo mais moderno no lugar. Clara não tem interesse e resiste às ofertas da grande empresa. A partir daí, a protagonista começa a sofrer ameaças e assédio. Um filme importante que tratou de resistência dentro e fora da história.

“Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento”

Baseado em fatos, o filme conta a história de Erin, mãe divorciada de três filhos e que trabalha como secretária em um escritório de advocacia. Investigando por conta própria, ela descobre que a água de uma cidade do deserto está envenenada e, por isso, tantos moradores estão doentes. Indo contra muita gente e resistindo contra grandes instituições, Erin consegue convencer os cidadãos da cidade a cooperarem com ela e lutarem a favor de seus direitos. Um bom filme para todas as mulheres e mães que batalham e resistem pela vida de todos. “Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento” deu o Oscar de Melhor Atriz para Julia Roberts.

“O Processo”

Filme mais recente da lista, “O Processo” é um documentário que conta um acontecimento importante da história recente brasileira: o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Dirigido por uma mulher, o filme mostra a resistência da presidenta e de seus aliados. A diretora Maria Augusta Ramos passou meses no Senado acompanhando essa luta resistente de senadores e aliados do PT contra o Golpe que estava em curso no Brasil. “O Processo” tem duração de 141 minutos, que são pesados e tristes, pois já conhecemos o final, mas também é de muita luta da parte de pessoas que, mesmo sabendo que muito provavelmente o pior iria acontecer, não deixaram de resistir.

Em momentos difíceis a arte pode ainda mais nos inspirar e nos dar forças para lutar. Que esses filmes sejam inspiração para que todos juntos sejamos resistência a quem fere qualquer tipo de existência!

Tags: