Eis alguns filmes dirigidos por mulheres para você não perder em 2017

Eis alguns filmes dirigidos por mulheres para você não perder em 2017

Durante o Festival de Cinema de Tribeca deste ano, Barbra Streisand resolveu puxar a orelha de Hollywood pela falta de mulheres trabalhando como diretoras na indústria cinematográfica.

“Não há muitas mulheres dirigindo agora. Eu adoro ver o nome de uma mulher em um filme. E eu rezo para que ele seja bom”, disse a atriz, que foi a primeira e até hoje a única mulher a ganhar um Globo de Ouro na categoria de Direção. O feito foi realizado em 1984, com o filme “Yentl”.

Mas esse não foi o único filme que Barbra dirigiu: além de “Yentl” (1983), ela trabalhou atrás das câmeras em “O Príncipe das Marés”, de 1991. Ambas as produções chegaram a receber indicações ao maior prêmio do cinema, o Oscar, mas em ambos os anos, a cineasta foi esnobada e deixou de receber nomeações por seu trabalho como diretora.

“Muitos diretores mais velhos não queriam ver uma mulher dirigindo”, ela afirmou, segundo o site da revista Entertainment Weekly, acrescentando que decidiu trabalhar com direção após uma briga com Sydney Pollack, que a dirigiu em “Nosso Amor de Ontem” (1973). 

E a artista está certa: há poucas mulheres trabalhando como diretoras em Hollywood. De acordo com um levantamento do Center for the Study of Women in Television and Film, apenas 7% dos 250 filmes mais populares de 2016 foram dirigidos por mulheres. Ou seja, fica mais do que claro que a indústria cinematográfica possui um grave problema de desigualdade de gênero.

No Brasil, a realidade é um pouco melhor: em 2016, 29 dos 143 filmes nacionais lançados foram dirigidos por mulheres, segundo um relatório divulgado pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). Isso equivale a 20,3% do total, um aumento de 5,6% em relação ao ano anterior.

Não há solução fácil e rápida para essa situação, mas nós, enquanto público, podemos ajudar a mudar esse cenário tão negativo ao comprar ingressos de filmes feitos e sobre por mulheres, pois isso envia uma mensagem aos grandes executivos e estúdios que é isso o que queremos ver. Não só isso, temos a internet como nossa aliada, e podemos demonstrar nossa insatisfação nas redes sociais até que nos escutem.

Há alguns meses fizemos uma lista de diretoras brasileiras para ficarmos de olho. Hoje, vamos ajudar com uma lista de filmes que chegaram e vão chegar aos cinemas dirigidos por mulheres. Dessa maneira, além de incentivar mais pessoas a ver essas produções, também valorizamos os trabalhos dessas cineastas. Confira:

“Quase 18”

Direção: Kelly Fremon Craig
Estreia: 2 de fevereiro 
Sinopse: Crescer não é nada fácil para alguns, como para Nadine (Hailee Steinfeld), uma estudante que está enfrentando uma difícil situação desde que sua melhor amiga, Krista (Haley Lu Richardson), está namorando com o seu irmão mais velho, Darian (Blake Jenner). Nadine se sente mais sozinha do que nunca, ao menos até começar uma amizade com um jovem atencioso (Hayden Szeto).

“A Cidade Onde Envelheço”

Direção: Marília Rocha
Estreia: 9 de fevereiro
Sinopse: Francisca, uma jovem emigrante portuguesa morando no Brasil, recebe em sua casa Teresa, uma antiga conhecida com quem já havia perdido contato. Teresa acaba de chegar e vive momentos de descoberta e encantamento com o novo país, enquanto Francisca anseia por Lisboa. O filme acompanha as aventuras de cada uma pela cidade e a profunda ligação que nasce entre elas, obrigando-as a lidar com desejos simultâneos e opostos: a vontade de partir para um país desconhecido e a saudade irremediável de casa.

“Toni Erdmann”

Direção: Maren Ade
Estreia: 9 de fevereiro
Sinopse: Winfried (Peter Simonischek) é um senhor que gosta de levar a vida com bom humor, fazendo brincadeiras que proporcionem o riso nas pessoas. Seu jeito extrovertido fez com que se afastasse de sua filha, Ines (Sandra Hüller), sempre sisuda e extremamente dedicada ao trabalho. Percebendo o afastameto, Winfried decide visitar a filha na cidade em que ela mora, Budapeste. A iniciativa não dá certo, resultando em vários enfrentamentos entre pai e filha, o que faz com que ele volte para casa. Tempos depois, Winfried ressurge na vida de Ines sob o alter-ego de Toni Erdmann, especialista em contar mentiras bem-intencionadas a todos que ela conhece.

“Era o Hotel Cambridge”

Direção: Eliane Caffé
Estreia: 16 de março
Sinopse: Refugiados recém-chegados ao Brasil dividem com um grupo de sem-tetos um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Além da tensão diária que a ameaça de despejo causa, os novos moradores do prédio terão que lidar com seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntos a vida nas ruas.

“Além da Ilusão”

Direção: Rebecca Zlotowski
Estreia: 27 de julho
Sinopse: Paris, fim da década de 1930. Kate e Laura Barlow, duas jovens médiuns americanas, estão terminando sua turnê mundial. Especialistas em comunicação com os mortos, as irmãs são bem menos jeitosas para lidar com os vivos. Fascinado pelo dom das garotas, André Korben, um poderoso produtor de cinema francês, decide contratá-las para um projeto ambicioso. No turbilhão das novas experiências e sentimentos, o grupo prenuncia, sem se dar conta, um período sombrio que abalará todo o continente europeu muito em breve.

“Laerte-se”

Direção: Lygia Barbosa da Silva e Eliane Brum
Estreia: 19 de maio
Sinopse: Retrata a trajetória da cartunista e chargista brasileira Laerte, considerada uma das mais proeminentes do gênero no Brasil. Tendo vivido parte de sua vida como homem, ela assumiu sua transexualidade aos 57 e, de lá pra cá, experimenta uma jornada única e pessoal sobre o que é, de fato, ser uma mulher.

“Mulher-Maravilha”

Direção: Patty Jenkins
Estreia: 1 de junho
Sinopse: Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

“Tudo e Todas as Coisas”

Direção: Stella Meghie
Estreia: 15 de junho
Sinopse: E se você não pudesse tocar absolutamente em nada do mundo? E se não pudesse respirar ar fresco, sentir o sol quente em seu rosto… ou beijar seu vizinho? “Tudo e Todas as Coisas” narra a improvável história de amor de Maddy, uma garota de 18 anos, inteligente, curiosa e cheia de imaginação, vítima de uma doença raríssima que a impede de abandonar a proteção do ambiente hermeticamente fechado no qual vive dentro de sua casa, e Olly, o vizinho da casa ao lado que não está disposto a deixar que a condição de Maddy os afaste um do outro.
Maddy está desesperada para experimentar o desejado e estimulante mundo além das paredes de seu quarto – e a promessa de seu primeiro amor. Os olhares trocados apenas pelo vidro das janelas e as conversas por textos criaram um profundo laço entre Maddy e Olly, que os leva a arriscar tudo para ficarem juntos… ainda que eles possam perder absolutamente tudo.

“A Noite é Delas”

Direção: Lucia Aniello
Estreia: 15 de junho
Sinopse: Na audaciosa comédia “A Noite É Delas”, cinco melhores amigas do colegial (interpretadas por Scarlett Johansson, Kate McKinnon, Jillian Bell, Ilana Glazer e Zoë Kravitz) se reúnem depois de 10 anos para uma louca despedida de solteira em Miami. Só que a festa é interrompida quando acidentalmente elas causam a morte de um stripper. Em meio à loucura de descobrir o que farão em seguida, a noite delas sofre inesperadas e engraçadas reviravoltas que acabam por aproximá-las ainda mais umas das outras e do que realmente importa.

“Divinas Divas”

Direção: Leandra Leal
Estreia: 22 de junho
Sinopse: Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte Búzios são personagens icônicos da primeira geração de artistas travestis do Brasil que desafiaram a moral de um país no auge da ditadura militar, nos anos 1960 e 1970, em apresentações no Teatro Rival produzidas por Américo Leal, avô de Leandra Leal. O documentário relembra os 50 anos de carreira no palco, e a luta pelos direitos humanos e pelas liberdades individuais no Brasil de ontem e de hoje.

“Um Reino Unido”

Direção: Amma Asante
Estreia: 29 de junho
Sinopse: Seretse Khama (David Oyelowo), primeiro presidente do Botswana, causa uma polêmica de proporções nacionais ao se casar com uma mulher branca (Rosamunde Pike).

“O Estranho que Nós Amamos”

Direção: Sofia Coppola
Estreia: 24 de agosto
Sinopse: Um soldado da União, ferido em combate durante a Guerra de Secessão, acaba encontrando refúgio e um lugar para se curar dentro de um internato para mulheres localizado em território Confederado. Lá, o soldado se recupera, mas acaba conquistando o coração de algumas das mulheres no processo.

“Uma Verdade Mais Inconveniente”

Direção: Bonni Cohen e Jon Shenk
Estreia: 9 de novembro
Sinopse: Dez anos após o filme “Uma Verdade Inconveniente” ter abordado sobre a mudança climática no coração da cultura popular, agora a sequência nos mostra o quão próximos estamos de presenciar uma verdadeira revolução energética.

“Detroit”:

Direção: Kathryn Bigelow
Estreia: sem data
Sinopse: No ano de 1967, a cidade de Detroit viveu cinco dias de intensos protestos e violência.

“O Zoológico de Varsóvia”

Direção: Niki Caro
Estreia: sem data
Sinopse: Polônia, 1939. O zoológico de Varsóvia é mantido sob o comando de Jan Zabinski e cuidados de Antonina, sua esposa. Quando o país é invadido pelos nazistas, eles são forçados a se reportar para o zoologista, Lutz Heck. Logo, Jan e Antonina começam a trabalhar com a resistência e planejam salvar centenas de vidas ameaçadas pela invasão.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *