A famosa cena de estupro de “Último Tango em Paris” não foi consensual, admite o diretor

04. dezembro 2016 Cinema 0
A famosa cena de estupro de “Último Tango em Paris” não foi consensual, admite o diretor

“Durante os 16 dias de ativismo na luta contra a violência à mulher, blogs envoltos pelo #feminismonerd, se propuseram a discutir as problemáticas em torno da representação de mulheres como uma matriz que reitera os discursos de violência e ódio, quanto veículos que visibilizam a discussão. Sabemos que, apenas a exposição e discussões possibilitam o combate direto, a resolução e identificação do problema. Como reitera a escritora e teórica feminista Audre Lorde : é preciso transformar o silêncio em linguagem e ação”.

Uma entrevista realizada em 2013 com o diretor italiano Bernardo Bertolucci voltou a circular na internet – e seu conteúdo é perturbador. Nela, o cineasta admite que a famosa cena de estupro no filme “Último Tango em Paris”, envolvendo o ator Marlon Brando, que tinha 48 anos na época do lançamento (1972), e a novata francesa Maria Schneider, com então 19 anos, não foi consensual. Ou seja, foi um estupro de verdade.

O longa, muito elogiado pela crítica, é considerado uma obra-prima do cinema. Bem, não será mais a partir de agora.

Na cena em questão, o personagem de Brando, Paul, usa manteiga como lubrificante para estuprar Jeanne, personagem de Schneider. A ideia de usar manteiga surgiu entre o ator e diretor, que optaram por não contar para a atriz o que fariam.

“A sequência da manteiga foi uma ideia que eu tive com o Marlon [Brando] pela manhã, antes de filmá-la”, disse Bertolucci em entrevista à La Cinémathèque Française, em Paris, há 3 anos. “De uma forma, eu fui horrível com a Maria, porque eu não disse a ela o que estava acontecendo. Eu queria sua reação enquanto garota, não como atriz”.

E fica pior:

“Eu queria que ela reagisse humilhada. Acho que ela odiou a mim e Marlon, porque nós não contamos para ela sobre o detalhe da manteiga como lubrificante”, continuou o cineasta, que confessou que a protagonista nunca mais falou com ele depois das gravações do filme. “Eu me sinto muito culpado por isso”.

Ele se sente culpado, mas será que se arrepende?

“Não, mas eu me sinto culpado”, admitiu. “Para fazer filmes, às vezes… Para obter algo, você precisa estar completamente livre. Eu não queria que Maria interpretasse sua humilhação e sua raiva. Eu queria que ela sentisse a raiva e a humilhação. Ela, então, me odiou por toda [sua] vida”.

Em 2007, poucos anos antes de morrer (ela faleceu em 2011), Maria Schneider concedeu uma entrevista para o site Daily Mail, para o qual confessou ter sentido-se violentada em “Último Tango em Paris”, além de contar que nunca mais quis fazer cenas nua.

“Aquela cena não estava no roteiro original. A verdade é que foi Marlon quem teve a ideia”, disse a atriz. “Eu deveria ter ligado para o meu agente ou meu advogado, para que fossem ao set de filmagem. Você não pode forçar alguém a fazer algo que não está no roteiro. Mas naquela época, eu não sabia disso. Eu me senti humilhada e, para ser honesta, um pouco estuprada por ambos, Marlon e Bertolucci. Depois daquela cena, Marlon não me consolou ou pediu desculpas. Ainda bem que foi apenas uma tomada”.

Depois do lançamento do filme, a artista francesa confessou ter usado drogas para “fugir da realidade”, além de ter tentado suicídio algumas vezes. Sua carreira nos Estados Unidos nunca decolou depois do filme, mas ela continuou trabalhando em seu país de origem.

Com o vídeo da revelação circulando na internet, as celebridades se manifestaram nas redes sociais, demonstrando nojo e raiva contra Marlon Brando e Bernardo Bertolucci.

Jessica Chastain: “A todas as pessoas que amam esse filme: vocês estão assistindo uma garota de 19 anos sendo estuprada por um homem de 48 anos. O diretor planejou o ataque. Eu me sinto mal”.

Chris Evans: “Uau. Eu nunca mais vou olhar para esse filme, Bertolucci ou Brando da mesma maneira de novo. Isso é mais do que nojento. Estou com raiva”

Anna Kendrick: “A senhora Schneider admitiu isso há alguns anos. As pessoas (homens) costumavam revirar os olhos para mim quando eu contava isso a elas”.

Chris Evans: “Eu não sabia. Teria sentido raiva também. Eles deveriam estar na cadeia”.

Evan Rachel Wood: “Isso é de partir o coração e ultrajante. Os dois são duas pessoas doentes por não verem problema naquilo”

Ava DuVernay: “Indesculpável. Como diretora, eu mal consigo compreender isso. Como mulher, eu estou horrorizada, com nojo e raiva”.

BLOGS QUE PARTICIPAM DESTA AÇÃO COLETIVA:

Momentum Saga

Collant Sem Decote

Nó de Oito

Delirium Nerd

Vanilla Tree

Preta, Nerd & Burning Hell

Ideias em Roxo

Psicologia & Cultura Pop

Minas Nerds

Iluminerds

Kaol Porfírio

Valikírias

Pac Mãe

Séries Elas Por Elas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *