Estas celebridades sabem que saúde mental é importante e decidiram dividir suas histórias

02. setembro 2016 Famosos 2
Estas celebridades sabem que saúde mental é importante e decidiram dividir suas histórias

Embora seja tão importante quanto a saúde física, a saúde mental não recebe o mesmo cuidado. A falta de informação e o estigma associado a ela dificultam o entendimento e impedem que pessoas que precisam de algum tipo de tratamento procurem ajuda.

Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, 23 milhões de brasileiros precisam de atendimento para doenças mentais, entretanto, a dificuldade de acesso a um tratamento, o não reconhecimento de que se está doente e o preconceito acabam ficando no caminho daqueles que estão sofrendo. Este último, aliás, precisa ser combatido urgentemente.

“Só porque você não vê [a doença mental] como poderia ver um osso quebrado, não significa que não seja prejudicial e devastadora para uma família ou um indivíduo”, comentou a cantora Demi Lovato, a qual é bipolar e já teve de lidar com o vício em álcool, além de enfrentar a bulimia. Hoje, ela advoga pela conscientização e tratamento dos distúrbios psicológicos.

Contudo, saúde mental não é só estar livre de algum tipo de transtorno mental (como a depressão, o transtorno bipolar e a esquizofrenia, por exemplo), mas é também estar em paz consigo mesmo e conseguir lidar com as eventuais dificuldades da vida de maneira equilibrada.

E como o assunto precisa de atenção, além da Demi, outros grandes artistas decidiram compartilhar com o público suas histórias e mostrar que não é preciso sofrer calado, mas que há sempre uma porta aberta e ajuda disponível.

Katy Perry:

katy-perry-saude-mental

A garota da Califórnia pode ter uma personalidade divertida, mas a verdade é que nem sempre foi assim. Com o fim do seu casamento com o comediante Russell Brand, a cantora se viu sem chão, deprimida e com pensamentos suicidas. Esse período difícil em sua vida está presente na canção “By The Grace of God”, faixa de seu último álbum de estúdio “Prism”.

“Às vezes você pode ficar cego por fortes emoções. Eu estava procurando respostas quando escrevi essa música e, sim, eu estava deprimida, triste, e houve pensamentos, mas nunca ações. Mas eu queria dividir esse pedaço da minha história, porque sei que há tantas pessoas por aí que passaram por momentos similares, e você se sente como se fosse o único a passar por isso”, revelou a cantora em uma entrevista a um canal de televisão australiano. “E então aparece uma música que fala por você e te faz sentir: ‘Meu Deus, eu posso passar por isso, porque ela conseguiu passar por isso'”.

Zayn Malik:

zayn-malik-saude-mental

Em junho deste ano, Zayn Malik cancelou o show que faria no Capital FM’s Summertime Ball, devido a uma crise de ansiedade.

“Voei para o Reino Unido ontem à noite para me apresentar no meu país natal para a minha família, meus amigos, e, acima de tudo, meus fãs britânicos.

Infelizmente, minha ansiedade, que tem me assustado ao longo dos últimos meses quando vou me apresentar ao vivo, levou a melhor… Com a magnitude do evento, eu sofri a pior crise de ansiedade da minha carreira. Peço mil desculpas, mas quero ser honesto com todos que pacientemente esperaram para me ver. Prometo que farei meu melhor para compensar todos a quem decepcionei hoje.

Sei que aqueles que sofrem de ansiedade vão entender, e espero que aqueles que não, possam ser solidários com a minha situação”, escreveu o cantor em seu Instagram.

Segundo o jornal Sunday Mirror, ele teria pedido ajuda à Adele, que também enfrentou o mesmo problema no começo da careira. “Eu tenho ataques de ansiedade, constantemente ficando em pânico no palco. Meu coração tem vontade de explodir”, admitiu a cantora na época.

Jared Padalecki:

SAN DIEGO, CA - JULY 21: Actor Jared Padalecki poses during the "Supernatural" press line during day 4 of Comic-Con International on July 21, 2013 in San Diego, California. (Photo by Chelsea Lauren/WireImage)
Foto: Chelsea Lauren/WireImage

Em entrevista para a revista Variety, o astro da série “Supernatural” contou ter sido diagnosticado com depressão quando filmava a terceira temporada da atração. Quase 10 anos depois, o ator quer ajudar a acabar com o estigma sobre doenças mentais.

“Eu digo constantemente que não é preciso ter vergonha em lidar com essas coisas. Talvez você não ganhe todas as batalhas. Haverá dias muito difíceis. Talvez haja momentos difíceis todos os dias, mas, com esperança, talvez isso ajude alguém a pensar: ‘isso não é fácil, é uma luta, mas eu vou continuar sempre lutando’”.

Dwayne Johnson:

dwayne-johnson-saude-mental

O ator, um dos protagonistas da franquia “Velozes e Furiosos”, também teve de lidar com a depressão. Felizmente, ele superou a doença, e hoje quer lembrar a todos que estão vivendo com ela de que não estão sozinhos.

“Você não está sozinho. Você não é o primeiro a lidar com ela e nem será o último. Às vezes, você se sente sozinho. Lembre-se: você só precisa agarrar àquela qualidade fundamental da fé. Tenha fé. Do outro lado da dor, há algo bom”.

Jout Jout:

Júlia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, sempre compartilha em seus vídeos coisas que aprende com a terapia. Mas no seu vídeo mais recente, ela decidiu falar sobre “o preconceitinho de só gente esquisita vai pro psicólogo porque foi fraco e não conseguiu resolver os próprios problemas”.

“Algumas pessoas acham que, pra você ir ao psicólogo, você precisa ter sérios problemas neurológicos e mentais, e ser uma pessoa completamente perturbada, com vozes na cabeça. Não é só nesses casos que a gente vai ao psicólogo. […] Quando você é uma pessoa que não escuta vozes, não vê coisas e não tem sérios distúrbios psicológicos, você também pode ir a um psicólogo”.

Demi Lovato:

Foto: InTouch Weekly/Getty Images
Foto: InTouch Weekly/Getty Images

Demi Lovato é uma das artistas que mais têm se dedicado na luta contra a desinformação sobre doenças mentais. No ano passado, ela foi ao Congresso americano pedir por uma reforma no tratamento de transtornos mentais e foi rosto de uma campanha que visa encorajar jovens a externalizarem o que estão vivendo.

“Vivendo com transtorno bipolar, houve vários momentos em que eu me senti sozinha. O mais difícil era viver com minha bipolaridade depressiva. Quando eu finalmente cheguei no fundo do poço, decidi pedir ajuda. E assim as coisas começaram a mudar. O transtorno bipolar pode ser parte da minha vida, mas não é quem eu sou”.

Jean-Claude Van Damme:

Jean-Claude-Van-Damme-saude-mental

Segundo o ator, ele sofria com depressão na adolescência, o que fez com que ele “compensasse” nas artes marciais aquilo que sentia. Van Damme estourou em Hollywood na década de 80, mas nos anos 90 sua vida começou a ruir por conta do vício em cocaína. Ele se internou em uma clínica de reabilitação em 1995, porém, abandonou o tratamento apenas sete dias depois do início.

Em 1997, depois das filmagens de “Knock Off”, o artista belga se tornou suicida, e foi diagnosticado com transtorno bipolar no ano seguinte. Foi aí que o artista belga começou um tratamento com valproato de sódio, que funciona como um estabilizador de humor, também utilizado para pessoas com epilepsia. Sobre o que passou, ele disse:

“Eu não tinha qualquer razão para viver. Talvez seja egoísta dizer isso, mas eu não me animava com nada. É aí que você precisa encontrar sua autoestima e, então, bem devagar, cada parte sua se torna preciosa de novo. Tem dias que você passa e tem dias que não. Não são as drogas, o problema é contigo, que é o que precisa ser curado”.

Catherine Zeta-Jones:

Catherine-Zeta-Jones-saude-mental

Estima-se que o transtorno bipolar afete de 8% a 10% da população mundial. Entre essas pessoas está a atriz Catherine Zeta-Jones, que revelou ter a doença em 2011. Em entrevista à revista People, ela disse que estava levando sua doença a público, para poder ajudar outras pessoas que talvez estivessem vivendo o mesmo.

“Se minha revelação de sofrer de doença bipolar incentivou uma pessoa a procurar ajuda, então valeu a pena. Não há necessidade de sofrer em silêncio e não há vergonha em procurar um profissional”.

Carrie Fisher:

carrie-fisher-saude-mental
Alberto E. Rodriguez/Entertainment Weekly/Getty Images

A eterna princesa Leia da franquia “Star Wars” é uma heroína dentro e fora das telas. Também diagnosticada com transtorno bipolar, a atriz é outra artista que luta contra o estigma sobre as doenças mentais. Ela também já enfrentou o vício em drogas, mas hoje é um exemplo de recuperação e de que é possível levar uma vida feliz.

“Você precisa procurar ajuda. Não é uma doença [bipolaridade] fácil e ela não vai embora”, contou Carrie em uma entrevista. “Mas sou quem a define em vez de deixá-la me definir”.

Wentworth Miller:

wentworth-miller-saude-mental

Em março deste ano, Wentworth Miller fez um desabafo no Facebook  após ver uma foto ter se transformado em meme na internet. A imagem era de 2010, ano em que ator da série “Breaking Bad” pensava em suicídio. Ele aproveitou então para falar sobre sua longa luta contra a depressão:

“Eu luto contra a depressão desde a infância, é uma batalha que me custou tempo, oportunidades, relações e várias noites sem dormir. […] Eu sobrevivi. Assim como essas fotos. Mas eu estou feliz. Agora, quando vejo essa imagem minha na camisa vermelha, com um raro sorriso no meu rosto, eu lembro da minha batalha”.

Jennifer Lawrence:

Foto: Jeffrey Mayer/WireImage
Foto: Jeffrey Mayer/WireImage

Jennifer Lawrence sempre foi muito aberta quanto à forma como lida com a ansiedade. Em 2013, quando foi capa da Vogue americana, ela contou que teve uma infância “infeliz” por conta do transtorno.

“Eu era esquisita. Sempre tive essa ansiedade esquisita. Eu odiava o recesso, não gostava de excursões, festas me estressavam muito. E eu tinha um senso de humor diferente”.

Mesmo tendo feito terapia e ter sido medicada, a artista só começou a melhorar quando começou a atuar. Ela disse à revista Madame Figaro:

“Eu finalmente encontrei um caminho, uma porta aberta para um universo que eu entendia, que era bom para mim e me fazia feliz, porque eu me sentia capaz”.

Selton Mello:

selton-mello-saude-mental

O protagonista de “Ligações Perigosas” teve depressão em 2008, após decidir parar de tomar remédios para emagrecer. “Vivi um inferno”, ele contou à revista Veja Rio. Em uma entrevista ao Terra, Selton contou que na época sentia-se “confuso, em crise com a profissão, me sentindo mau ator, feio e triste”, mas revelou que fazer análise o ajudou a se reerguer.

“Eu já recuperei esse desejo de atuar. Sempre fui um workaholic, mas agora quero desacelerar. Quero ter tempo para viver, andar de bicicleta, ler e me conhecer melhor”.

Geri Halliwell:

Hello

A photo posted by Geri Horner (@therealgerihalliwell) on

As Spice Girls foram um dos maiores fenômenos da música pop nos 90. Mas o sucesso conquistado pelo grupo é apenas uma parte da história do quinteto. Geri Halliwell, a Ginger Spice, tornou-se bulímica na época em que as meninas estavam no auge, mas foi algo que ela não dividiu com as outras integrantes.

A doença é presente, na maioria dos casos, entre jovens mulheres. Embora o diagnóstico não seja fácil, existe tratamento e a recuperação é possível, como afirmou a própria Geri.

“Alguém me disse para ir a um programa de 12 passos de recuperação, pelo qual eu sou incrivelmente grata”.

Ellen DeGeneres:

Foto: Andrew Eccles/ABC/Getty Images
Foto: Andrew Eccles/ABC/Getty Images

A apresentadora foi mais uma celebridade a ter depressão. Depois que sua personagem saiu do armário em seu sitcom na década de 90, Ellen se viu rejeitada pelo público, o que levou a ficar deprimida. A experiência, por mais dolorida que tenha sido, ensinou a ela algumas lições:

“Achei que, se conseguisse ser famosa, as pessoas iriam me amar. E aí você tem tudo aquilo, e eu trabalhei tanto para conquistar aquilo tudo e parece loucura mas eu tive a maior e mais maravilhosa bênção, que foi perder meu programa, perder minha carreira inteira, perder tudo por três anos … Mas aprendi a parar e observar as outras pessoas e aprender o que é o julgamento e o que é a compaixão. E aprendi que não só sou forte o suficiente para chegar lá, mas que também sou forte o suficiente para dar a voltar por cima e chegar lá de novo. Como sou sortuda por ter aprendido isso. Custou caro. Eu queria me encolher, entrar num buraco e me esconder para sempre; eu tinha vergonha. É por isso que considero essa experiência uma benção”.

Emma Stone:

emma-stone-saude-mental

É difícil imaginar que alguém sempre para cima como Emma Stone tenha tido problemas com a ansiedade. Mas a verdade é que aos 8 anos idade a atriz começou a ter ataques de pânico:

“Foi muito ruim. Tive meu primeiro ataque de pânico na casa de uma amiga e pensei que a casa estava sendo queimada. Liguei para minha mãe e ela me levou para casa. Por três anos isso não parou”, contou a atriz ao Wall Street Journal.

Em entrevista à revista Vogue, ela revelou que não gostava de ir à casa de suas amigas e sentia-se imobilizada por sua ansiedade. Emma fez terapia, mas assim como Jennifer Lawrence, ela também descobriu na atuação uma forma de aliviar a mente.

“Há algo na urgência da atuação. Você não consegue pensar em um milhão de coisas, você precisa pensar na tarefa que está na sua frente.”

Kerry Washington:

kerry-washington-saude-mental

Saúde mental não deveria ser tabu e Kerry Washington sabe disso. A atriz faz terapia e acredita que pedir ajuda quando preciso não deveria ser visto como um ato de fraqueza.

“Meu cérebro e meu coração são muito importantes para mim. Não sei por que eu não procuraria ajuda. Para ter as coisas em ordem como meus dentes, eu iria a um dentista. Então por que eu não iria a um psicólogo?”, disse a artista à revista Glamour.

Cara Delevingne:

Foto: Karwai Tang/WireImage
Foto: Karwai Tang/WireImage

No ano passado, Cara Delevingne disse ter enfrentado a depressão e pensamentos suicidas na época em que era modelo.

“Achava que eu estava completamente sozinha. Eu também percebia como era sortuda e que família e amigos maravilhosos eu tinha, mas isso não importava. Eu queria que o mundo me engolisse, e nada parecia melhor do que a morte”.

A protagonista de “Cidades de Papel” revelou também que foi a modelo Kate Moss quem a ajudou a superar seus problemas, e compartilhou o que considera ser a chave para a felicidade:

“É sobre encontrar pessoas que se importem com você e que te apoiem. E eu pude me tornar um apoio para as pessoas também”.

Wayne Brady:

Wayne-Brady-saude-mental

O ator e comediante Wayne Brady já havia revelado em 2014 que vinha lutando contra a depressão por anos, mas no ano passado ele contou à revista People o impacto da doença nos homens. Ele acredita que é difícil para eles se abrirem por conta da cultura de que “homem não chora”.

“Acho que é difícil para os homens, em geral, por conta da forma que somos criados. Nós sentimos todas as emoções negativas ou aquela nuvem negra pairando sobre você e é como se você precisasse chorar ou falar com alguém sobre isso, mas pensa: ‘Não, eu não vou fazer isso, porque eu sou um homem’. “Que tipo de homem eu iria parecer se eu dissesse a alguém: ‘Ei, eu estou tão triste. Eu estou terrivelmente triste. Eu não consigo sair da cama. Eu me sinto vazio. Me ajude’. Eu seria [visto como] um fresco. Eu seria mole. Isso é o que te ensinam. Você foi programado assim”.

Lady Gaga:

lady-gaga-saude-mental

Em 2015, Lady Gaga se abriu com seus fãs e com o mundo e falou abertamente sobre o estupro que sofreu na adolescência e como ele a marcou, tendo ainda feito a música “Till It Happens To You” para o documentário “The Hunting Ground”, filme sobre o abuso sexual dentro das universidades americanas.

Não só isso, ela revelou sofrido com depressão e ansiedade durante toda sua vida. Contudo, ela contou que atuar na série “American Horror Story” a ajudou bastante a controlar seus transtornos mentais e aconselha a todos que estejam passando pelo mesmo a olharem para dentro de si para que possam se encontrar.

“E então você vai pra casa, se olha no espelho e diz ‘sim, eu posso dormir com você todas as noites.’ Porque aquela pessoa, eu a conheço. Aquela pessoa tem coragem, aquele pessoa tem integridade, ela tem opinião.”

Halle Berry:

halle-berry

Em 2007, Halle Berry, revelou ter tentado suicídio após o fim do seu casamento com o jogador de beisebol David Justice. Ela inalou o monóxido de carbono de seu carro, mas a figura de sua mãe lhe veio à mente, o que a fez desistir do ato.

“Pensei na minha mãe me encontrando (morta). Ela sacrificou tanto por seus filhos que acabar com a minha vida teria sido incrivelmente egoísta”. A atriz então decidiu que teria de “me reprogramar e ver o que havia de bom em mim. O fato de que alguém não gostava de mim não significa que não fosse digna de ser amada”.


2 thoughts on “Estas celebridades sabem que saúde mental é importante e decidiram dividir suas histórias”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *