Emma Watson escreve uma carta aberta a favor do aborto legal no mundo todo

03. outubro 2018 Famosos 0
Emma Watson escreve uma carta aberta a favor do aborto legal no mundo todo

A bruxa mais inteligente de todos os tempos, Emma Watson, escreveu uma carta aberta em homenagem a uma mulher que inspirou um movimento para reverter a proibição do aborto na Irlanda. Em 2012, a dentista Savita Halappanavar procurou um hospital por conta de dor nas costas. Grávida de 17 semanas, os médicos disseram que ela estava, na verdade, sofrendo um aborto espontâneo, mas que não poderia encerrar a gravidez porque o feto tinha batimentos cardíacos. Essa negativa era amparada em lei, a agora extinta Oitava Emenda, que equiparava a vida do feto e da mulher. O aborto foi impedido por dias, até que o batimento cardíaco parou, e os médicos puderam retirá-lo. Porém, Savita teve uma infecção generalizada e morreu em seguida.

A morte de Savita levou a protestos, que resultaram em um referendo nacional realizado neste ano, e que fez com que o país abolisse a Oitava Emenda, depois de 66% dos irlandeses se manifestarem a favor. Nesta semana, a convite da revista Porter, Emma Watson, conhecida por lutar pela causa feminista, escreveu uma carta aberta pedindo a legalização do aborto no mundo.

“Querida dra. Savita Halappanavar, você não queria se tornar o rosto de um movimento, você queria um procedimento que pudesse salvar sua vida. Quando a notícia da sua morte foi divulgada, uma chamada urgente para ação de ativistas irlandeses reverberou pelo mundo – repelindo a Oitava Emenda da Constituição Irlandesa”, escreveu a atriz. “De tempos em tempos, quando nossas comunidades locais e globais choram por uma morte trágica, devido a uma injustiça social, nós fazemos homenagens, nos mobilizamos e proclamamos: descanse em poder. Uma promessa aos que se foram e uma chamada de atenção à sociedade, nós gritamos: nunca mais. Mas é raro ver a justiça prevalecer de verdade para aqueles cujas mortes simbolizam desigualdade estrutural. É mais raro ainda uma vitória feminista histórica, que simboliza a luta por justiça reprodutiva em todos os lugares”.

A artista continuou, lembrando a vida de Savita, que além de dentista, era uma ótima dançarina, ganhando um prêmio em um festival hindu, e ensinando crianças a dançar. “Ao compartilhar a dor e a esperança com o mundo, sua família apoiou publicamente a campanha de legalização do aborto. Celebrando a conquista, seu pai expressou sua ‘gratidão ao povo irlandês’. Em troca, quem votou a favor disse que deve muito à sua família”.

Por fim, Emma Watson pediu para que o aborto seja legal em outras partes do mundo, como a Argentina e a Polônia, dois países que tiveram grandes manifestações neste ano a favor da legalização do procedimento.

“Da Argentina para a Polônia, leis restritivas ao aborto punem e colocam em perigo meninas, mulheres e pessoas que engravidam. Ainda assim, a lei de aborto da Irlanda do Norte é mais antiga que a lâmpada. Em sua memória, e em busca de liberdade, nós continuamos a lutar por justiça reprodutiva”, concluiu, pedindo ainda apoio a instituições que ajudam pessoas que precisam de aborto na Irlanda e no mundo.

O aborto é uma discussão também no Brasil, onde ele só é possível caso a gravidez ofereça risco à vida da mãe, anencefalia e em casos de estupro. E mesmo assim, o acesso a ele é dificultado. Em 2018, houve um grande debate sobre o procedimento no país, que chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF), e convocou uma audiência pública para discutir a descriminalização do aborto. Caso a proposta seja aprovada, essa já seria uma boa conquista para as mulheres brasileiras, as quais morrem em números alarmantes com a proibição do aborto no país.

Leia a carta completa de Emma Watson (em inglês), aqui.