Emma Stone pensou que não seria capaz de morar sozinha por conta da ansiedade – mas ela está muito bem hoje

Emma Stone pensou que não seria capaz de morar sozinha por conta da ansiedade – mas ela está muito bem hoje

A luta de Emma Stone contra a ansiedade não é novidade para ninguém: a atriz, que ganhou o Oscar por seu trabalho em “La La Land – Cantando Estações”, sempre foi muito aberta sobre como esse transtorno atrapalhou seu crescimento. Foi aos 8 anos que a artista teve seu primeiro ataque de pânico.

“Foi muito ruim. Tive meu primeiro ataque de pânico na casa de uma amiga e pensei que a casa estava sendo queimada. Liguei para minha mãe e ela me levou para casa. Por três anos, isso não parou”, contou a atriz ao Wall Street Journal em 2015.

No ano passado, Emma revelou para a revista Rolling Stone que a combinação da terapia, a atuação e um livro escrito por ela a ajudaram a lidar com a ansiedade.

“Isso me ajudou muito. Eu escrevi um livro chamado ‘Eu Sou Maior que a Minha Ansiedade’, o qual eu tenho até hoje”, disse. “Eu desenhei um monstro verde no meu ombro que diz no meu ouvido coisas que não são verdade. E toda vez que eu o escuto, fica tudo maior. Se eu o escuto muito, eu quebro. Mas se eu virar minha cabeça e continuar fazendo o que estou fazendo, deixá-lo falar, mas sem dar a importância que ele precisa, ele diminui e vai embora”.

É positivo que as celebridades se abram e falem sobre como é conviver com uma doença mental, pois mostram às outras pessoas que é possível levar uma vida normal, algo que para muitos parece impossível. E não se engane: a atriz também achava que jamais teria uma vida plena.

“[A ansiedade] Sempre foi algo que eu tive e que fica maior em diferentes momentos da minha vida. Às vezes, quando acontece, como quando estou em uma fase de grande agitação, parece que nunca vai acabar. Mas acaba”, disse a Skeeter Phelan do filme “Histórias Cruzadas” em um vídeo feito para a Child Mind Institute, uma organização sem fins lucrativos que cuida de crianças com algum tipo de transtorno mental ou de aprendizado.

Emma Stone afirmou que pensava nunca ser capaz de sair da casa de seus pais, de tão paralisante que a ansiedade parecia, mas encontrou maneiras de lidar com ela e a “viver uma vida normal, animadora e vibrante”.

“Honestamente, quando criança, eu não achava que conseguiria morar sozinha ou ficar longe de pessoas com quem eu tinha ansiedade de separação”, contou. Mas ela conseguiu dar a volta por cima e sabe o que fazer para controlar sua mente. “É bom saber que as coisas vão mudar nesses momentos de intensidade real, e que há coisas que eu posso fazer para me ajudar”.

E sendo a pessoa incrível que é, ela deu um ótimo conselho para quem vive com ansiedade.

“Você é normal. Todo mundo vivencia uma versão de ansiedade ou preocupação em suas vidas”, disse a artista em outro vídeo. “Talvez nós a vivenciamos de uma maneira diferente e mais intensa por períodos maiores de tempo, mas não há nada de errado com você. Ser uma pessoa sensível, que se importa demais, que vê as coisas com mais profundidade, isso é parte do que torna você maravilhoso. Você pensa e sente demais. É a melhor coisa. Eu não trocaria por nada, mesmo quando tudo fica difícil. Há muitas ferramentas que você pode utilizar para se ajudar nessas situações. Tudo fica mais fácil e melhor conforme a vida vai passando e você vai se conhecendo. E você descobre o que dispara ansiedade e o que faz você se sentir seguro e confortável. Não se sinta esquisito por isso, porque somos todos esquisitos”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *