Em alguns anos, você não poderá concorrer ao Bafta Awards se o seu filme não apresentar diversidade

20. dezembro 2016 Cinema 0
Em alguns anos, você não poderá concorrer ao Bafta Awards se o seu filme não apresentar diversidade

Diversidade se tornou um assunto caro para a indústria cinematográfica, a qual continua falhando na representação feminina e de outras minorias. O exemplo mais claro disso foi no Oscar deste ano, que pelo segundo ano consecutivo deixou de indicar atores e atrizes de minorias étnicas nas quatro categorias de atuação, além de deixar de indicar mulheres em categorias como ‘direção’ e ‘fotografia’.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas resolveu agir, depois de críticas intensas, começando um processo de mudança em seu corpo de membros que escolhem, os quais são responsáveis por decidir quais artistas e filmes para concorrem na premiação.

Quem mais decidiu se mexer foi o Bafta Awards, evento britânico que também reconhece os melhores do cinema. Segundo informações da BBC, a partir de 2019, um filme só poderá concorrer nas categorias ‘Melhor Filme Britânico’ e ‘Melhor Lançamento por um Roteirista, Diretor ou Produtor Britânico’, caso ele preencha, ao menos, dois dos quatro critérios listados abaixo:

  • personagens e temas;
  • líderes de equipe e equipes;
  • treinamento profissional e progressão de carreira;
  • acesso à audiência e apelo a audiências pouco representadas.

As mudanças, segundo a publicação, foram feitas para se alinhar aos padrões de diversidade da British Film Institute (BFI), entidade responsável pelo desenvolvimento de filmes e programas de televisão em todo o Reino Unido. A organização usa os mesmos critérios para o financiamento projetos.

De acordo com um comunicado da Bafta, o objetivo é “aumentar a representação de grupos pouco representados na frente e atrás das câmeras”.

Outra mudança significativa na premiação diz respeito à filiação de novos membros, os quais escolhem os ‘melhores do ano’. A partir deste ano, um novo membro não precisa mais ser recomendado por dois integrantes que já estejam dentro da instituição. Dessa forma, permite-se que mais mulheres e pessoas de minorias étnicas possam se juntar ao corpo de jurados do Bafta.

São medidas que podem ajudar a não haver uma versão britânica do #OscarsSoWhite, além de garantir que mulheres e minorias possam se ver representadas no cinema e consigam mais trabalhos. É um passo acertado e o qual todos saímos ganhando.